• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

3 fatos cotidianos que mostram que a Cinemática Vetorial está em todo lugar

O estudo de vetores pode ser um pouco monótono para algumas pessoas, mas não para o estudante do Descomplica! Vem descobrir mais sobre Cinemática Vetorial!

Você sabe o quão importante é o estudo dos vetores e sabe que estão presentes em praticamente tudo em nossa vida. A seguir, temos 3 exemplos práticos do uso dos vetores na Cinemática Vetorial.

1. Andando de Bicicleta

3 fatos cotidianos que mostram que a Cinemática Vetorial está em todo lugar

Provavelmente você já viu um para-lamas de bicicleta ou moto e sabe exatamente para que serve: impedir que a água ou lama que está no chão vá para a sua perna através da roda. Isso acontece porque, em determinado instante, o atrito entre a água e o pneu não foi suficiente para segurar a tendência natural do movimento dessas gostas de água na extremidade do pneu. Ou seja, as gotas d’água saíram pela tangente.

 

2. Atravessando um rio com correnteza

3 fatos cotidianos que mostram que a Cinemática Vetorial está em todo lugar

Atravessar a nado um rio pode ser uma tarefa difícil caso a correnteza seja muito forte e você pode parar bem longe do local onde queria chegar. Ao começar a cruzar o rio sempre nadando para frente, existe uma composição de movimentos entre a velocidade do nadador e a velocidade da correnteza de tal forma que a velocidade resultante entre eles seja na diagonal. Ou seja, ao terminar de cruzar o rio, o nadador vai perceber que além de ter se deslocado para frente, também foi deslocado na mesma direção e sentido da correnteza. Ok, se você mora na cidade e não tem nenhum rio por perto (assim como eu), vai dizer que nunca vai utilizar isso pra nada, mas é só pensar na correnteza do mar então (:

3 fatos cotidianos que mostram que a Cinemática Vetorial está em todo lugar

“É bem óbvio, não?”

 

3. Acelerar na chuva

Já parou para pensar em por que falam para não acelerar numa curva quando se está dirigindo? Bom, você sabe que conseguimos fazer curvas devido à aceleração centrípeta (que faz o vetor velocidade mudar de direção). A aceleração centrípeta é calculada pela relação |a|=|v|²/R. Imagine que você esteja acelerando numa curva (no caso, a aceleração tangencial estaria envolvida), o valor da velocidade irá aumentar e a aceleração centrípeta também (dá uma olhada na equação). Se a curva for muito fechada, o atrito entre o pneu e o chão pode não ser suficiente para “segurar” o movimento do carro.

3 fatos cotidianos que mostram que a Cinemática Vetorial está em todo lugar

“O Descomplica adverte: Não tente isso em casa!”

Continue a estudar este assunto! Leia um resumo, resolva questões e veja um mapa mental sobre Cinemática Vetorial! Você consegue ver em quais outras atividades do seu cotidiano envolve a Cinemática Vetorial? Conte para a gente nos comentários! 😀