Blog Descomplica

Modelo de redação do Enem: veja como alcançar a nota 1000!

porDescomplica| 16/02/2012

Compartilhe

Quem está estudando firme pras provas, precisa conferir um bom modelo de redação. Afinal, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dá grande importância pra esta prova e, garantir a nota 1000 é o sonho de milhares de estudantes ao redor de todo o país.

Fazer “O” texto incrível não vai ser um bicho de sete cabeças se você se dedicar. E é pra isso que estamos aqui: pra descomplicar os seus estudos e mostrar que é possível, sim, ir bem na prova e realizar os seus sonhos.

Por isso, acompanhe este texto pra aprender tudo sobre o modelo de redação dissertativo-argumentativo. 

Vamos ensinar a fazer a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Além disso, você também vai conhecer vários modelos prontos pra se inspirar e se aprimorar!

Como fazer um modelo de redação nota 1000 para o Enem?

Modelo de redação

Em primeiro lugar, você precisa entender o que, exatamente, quem avalia deseja encontrar no seu texto. Já parou pra pensar nisso? 

Se você conhecer as competências avaliadas, vai realizar o seu texto com mais atenção e cuidado. Confira as 5 competências de uma redação nota 1000:

  1. Domínio da norma culta da língua portuguesa;
  2. Compreensão da proposta de redação e aplicação de conceito de várias áreas do conhecimento pra desenvolver o tema, dentro da estrutura do texto dissertativo-argumentativo;
  3. Seleção, relacionamento, organização e interpretação das informações e argumentos em defesa de um ponto de vista;
  4. Demonstração de conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários pra construir a argumentação;
  5. Elaboração de proposta de intervenção pro problema abordado, respeitando os direitos humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Cada uma das competências vale até 200 pontos na sua redação. Como se trata de um texto argumentativo, não basta escrever bem. 

Ainda, é necessário articular as suas ideias e mostrar que você consegue sustentar os seus argumentos e relacioná-los com seus conhecimentos.

Por isso, na preparação pra prova, vale entender conhecimentos de outras disciplinas relacionadas ao tema da redação. 

Outra coisa bem bacana é usar referências culturais no seu texto, como cenas de filmes e trechos de obras literárias que ajudem a fortalecer o seu ponto de vista. 

Desse modo, um texto com boa escrita, referências e proposta de solução vão te proporcionar uma nota excelente!

Como aplicar tudo isso na hora da prova?

A prova de redação exige prioridade. Afinal, escrevendo um bom texto você tem a chance de receber aquela tão desejada nota 1000. Uma dica é iniciar a prova lendo o tema com atenção. Após compreender o enunciado, prepare o seu rascunho. 

Pensando nisso, também temos um conselho. Lembre-se de preparar a estrutura do texto antes de dar início à escrita. 

Pense nos argumentos que vai utilizar e as propostas de intervenção que deem conta de resolver os problemas abordados. Uma estrutura bacana pros parágrafos seria esta:

  • introdução;
  • primeiro parágrafo de desenvolvimento;
  • segundo parágrafo de desenvolvimento;
  • conclusão.

Sendo assim, você precisa elencar as principais ideias que se encaixam em cada etapa do texto. Com tudo organizado, fica bem mais fácil escrever, pois os fatos já estão todos ordenados.

Depois, você resolve as questões e reserva tempo hábil pra escrever a versão definitiva do seu texto. Não tenha medo de pular aquelas que não souber resolver e deixar pro final. 

Isso pode garantir o tempo que precisa pra finalizar a redação. Além disso, revise o texto pra evitar erros ortográficos e gramaticais, ok?

Agora que você sabe o que será avaliado e como se organizar durante a prova, vamos falar da produção textual em si. Este tema pode assustar alguns estudantes que não tem tanta familiaridade com a escrita. Porém, vamos demonstrar com exemplos, pra ficar fácil de entender. Se liga aí!

Introdução

Pra fazer a introdução da sua redação pro Enem, escolha uma maneira criativa de abordar o tema. Entretanto, não se alongue demais. 

Em um parágrafo, você precisa introduzir o tema e apresentar a tese que vai defender ao longo da redação dissertativa-argumentativa. 

Essa tese corresponde à ideia principal que vai descrever e o próprio objetivo do texto. Existem muitas maneiras de fazer a introdução. A seguir, citamos algumas opções pra você se preparar:

  • resgate histórico;
  • narração de cena de ficção;
  • citação de pensador ou filósofo;
  • uso de dados de institutos de pesquisa;
  • contextualização de conceitos etc.

Desenvolvimento

Após apresentar a sua tese, ou seja, o objetivo que vai defender no texto, precisa construir seus argumentos. Pra isso, desenvolva dois ou até três parágrafos. 

Este é o momento de demonstrar a coesão e a coerência da sua argumentação. Uma dica é preparar as suas ideias, de acordo com a seguinte estrutura:

  • afirmar o seu argumento;
  • explicar do que se trata;
  • exemplificar com situação;
  • concluir e oferecer um “gancho” pro próximo parágrafo.

É importante que você tome cuidado pra garantir que suas ideias sejam coerentes e fundamentadas. Evite citar dados sem remeter às fontes. 

Também fuja de jargões, gírias, ou uma linguagem informal demais. Assim, você permanece no tempo e garante a sua pontuação.

Conclusão

Na hora de finalizar o texto, você precisa sintetizar os seus argumentos e apresentar uma solução ao problema. Pra iniciar a sua conclusão, você pode utilizar conjunções e expressões, como:

  • portanto;
  • por fim;
  • em suma;
  • em síntese;
  • como resultado;
  • logo, etc.

Pode parecer difícil, mas você pode conferir vários modelos de conclusões exemplares no nosso blog. Desse modo, lembre-se de evidenciar como você pretende resolver a situação, demonstre os agentes necessários pra que isso aconteça e os resultados esperados.

Modelo de redação pronta

O Descomplica possui vários modelos de redação pra você se inspirar e estudar. Por isso, vamos recomendar alguns deles. Aproveite pra anotar tudo o que você acha legal em cada um deles:

Agora que você já conhece os principais pontos de um modelo de redação pro Enem, pode se animar ainda mais com os estudos. 

Temos várias dicas pra você se organizar e conquistar a sua vaga na faculdade. Sendo assim, confira o nosso blog pra aprender mais e arrasar nas provas! Conheça também o nosso curso Preparatório!

Comentários

Cristiane Siquiera
Cristiane Siquiera
14/03/2012 às 04:30

OI GOSTARIA DE SABER SE POSSO OU NÃO USAR ESSE MODELO PARA REDAÇÃO P/ CONCURSO, PELO QUE VI VOCÊ DEU A DICA BASEANDO-SE EM QUEM IRIA FAZER O ENEM, E O MEU PROFº VIVE DIZENDO ESQUECE O ENEM AQUI É DIFERENTE. IAI É DIFERENTE OU NÃO?? POR FAVOR, ME DE UM HELP ESTOU FICANDO LOUCA. RS BJUS.. AGUARDO RESPOSTA..

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Cristiane Siquiera
Cristiane Siquiera
14/03/2012 às 04:30

OI GOSTARIA DE SABER SE POSSO OU NÃO USAR ESSE MODELO PARA REDAÇÃO P/ CONCURSO, PELO QUE VI VOCÊ DEU A DICA BASEANDO-SE EM QUEM IRIA FAZER O ENEM, E O MEU PROFº VIVE DIZENDO ESQUECE O ENEM AQUI É DIFERENTE. IAI É DIFERENTE OU NÃO?? POR FAVOR, ME DE UM HELP ESTOU FICANDO LOUCA. RS BJUS.. AGUARDO RESPOSTA..

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Eduarda Souza
Eduarda Souza
06/03/2012 às 12:55

Minha maior dificuldade foi respeitar o número máximo de linhas. O que eu poderia retirar ou modificar para melhorar isso?

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Eduarda Souza
Eduarda Souza
06/03/2012 às 12:55

Minha maior dificuldade foi respeitar o número máximo de linhas. O que eu poderia retirar ou modificar para melhorar isso?

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Eduarda Souza
Eduarda Souza
06/03/2012 às 12:54

Tema: O desafio de se conviver com a diferença - ENEM 2007 Redação: A cultura do preconceito Foi pelo pioneirismo português que na tentativa de descobrir novos caminhos para as índias se aventuraram pelo atlântico, passando assim interagir com o mundo conhecido e desconhecido, e dessa forma, apresentar o novo mundo ao velho, que as civilizações começaram a se modificar e por vezes até extinguir seus costumes milenares, para fundir suas tradições muitas vezes forçadas por outros povos, tradições estas, responsáveis por todo tipo de preconceito existente até hoje. Em primeiro lugar é pertinente pontuar que a dificuldade de se conviver com o diferente nem sempre está atrelada à crueldade como muitos julgam. Toma-se como exemplo Pero Vaz de Caminha que ao escrever a carta dirigida ao rei de Portugal, se refere aos nativos brasileiros, como selvagens. Tal afirmação aparentemente xenofóbica pode parecer ao homem pós-moderno, pejorativa, porém, não podemos nos esquecer de que os europeus que aqui chegaram, nunca haviam tido contato com uma cultura tão diferente, pois se na atual conjuntara seria estranho ver pessoas nuas andando pelas ruas, que dirá, há séculos. Então, assim como não podemos exigir hoje que um jovem tenha a mesma perspectiva de mundo que um idoso, também não podemos exigir que uma pessoa de família com costumes extremamente arraigados e de forte influência religiosa veja com naturalidade o homossexualismo. Por outro, lado não se pode ignorar a consequência que essa diversidade cultural por tantas vezes desrespeitada tem causado. Em meio a tantas culturas e religiões diferentes existentes numa mesma sociedade, onde valores se misturam e se contradizem, como por exemplo, o conflito árabe-israelense, onde dois povos de culturas e razões diferentes guerreiam pela supremacia de um território sendo impossível definir quem está certo, assim também acontece em todas as esferas da sociedade. O homossexual tem direito de viver de acordo com que julga natural, o religioso e um idoso que o critica também, como então definir que está certo se todos vivem numa sociedade onde são livres para expressar suas opiniões? A verdade é que ninguém está errado a não ser que tente de algum jeito impedir que o diferente continue a ser diferente, agir e pensar como tal. A necessidade não está em mudar os conceitos sociais, e sim em transforma-lo de forma a assegurar o bom convívio e respeito ao próximo. Contudo, existem casos em que mesmo não havendo contradições de ideais, o preconceito persiste, referentes a costumes antigos, por saírem dos padrões de normalidade, como no caso da deficiência. Em casos como esse cabe à sociedade educar gradativamente, através de campanhas e estratégias educacionais, desde o cidadão mais jovem até o idoso, para que a sociedade possa um dia ver a diferença com naturalidade. Em síntese, é coerente dizer que sempre haverá dificuldade de se lidar com a diferença, até porque, mesmo quando os antigos preconceitos já houverem sido sanados, novidades virão e causará novamente espanto em quem não estiver preparado para elas, e virá junto a elas o preconceito. Portanto, é indispensável que o homem aprenda a respeitar aquilo que não concorda ou admira, pois caso contrário à sociedade imergirá no caos causado pelo dissemelhante.

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Eduarda Souza
Eduarda Souza
06/03/2012 às 12:54

Tema: O desafio de se conviver com a diferença - ENEM 2007 Redação: A cultura do preconceito Foi pelo pioneirismo português que na tentativa de descobrir novos caminhos para as índias se aventuraram pelo atlântico, passando assim interagir com o mundo conhecido e desconhecido, e dessa forma, apresentar o novo mundo ao velho, que as civilizações começaram a se modificar e por vezes até extinguir seus costumes milenares, para fundir suas tradições muitas vezes forçadas por outros povos, tradições estas, responsáveis por todo tipo de preconceito existente até hoje. Em primeiro lugar é pertinente pontuar que a dificuldade de se conviver com o diferente nem sempre está atrelada à crueldade como muitos julgam. Toma-se como exemplo Pero Vaz de Caminha que ao escrever a carta dirigida ao rei de Portugal, se refere aos nativos brasileiros, como selvagens. Tal afirmação aparentemente xenofóbica pode parecer ao homem pós-moderno, pejorativa, porém, não podemos nos esquecer de que os europeus que aqui chegaram, nunca haviam tido contato com uma cultura tão diferente, pois se na atual conjuntara seria estranho ver pessoas nuas andando pelas ruas, que dirá, há séculos. Então, assim como não podemos exigir hoje que um jovem tenha a mesma perspectiva de mundo que um idoso, também não podemos exigir que uma pessoa de família com costumes extremamente arraigados e de forte influência religiosa veja com naturalidade o homossexualismo. Por outro, lado não se pode ignorar a consequência que essa diversidade cultural por tantas vezes desrespeitada tem causado. Em meio a tantas culturas e religiões diferentes existentes numa mesma sociedade, onde valores se misturam e se contradizem, como por exemplo, o conflito árabe-israelense, onde dois povos de culturas e razões diferentes guerreiam pela supremacia de um território sendo impossível definir quem está certo, assim também acontece em todas as esferas da sociedade. O homossexual tem direito de viver de acordo com que julga natural, o religioso e um idoso que o critica também, como então definir que está certo se todos vivem numa sociedade onde são livres para expressar suas opiniões? A verdade é que ninguém está errado a não ser que tente de algum jeito impedir que o diferente continue a ser diferente, agir e pensar como tal. A necessidade não está em mudar os conceitos sociais, e sim em transforma-lo de forma a assegurar o bom convívio e respeito ao próximo. Contudo, existem casos em que mesmo não havendo contradições de ideais, o preconceito persiste, referentes a costumes antigos, por saírem dos padrões de normalidade, como no caso da deficiência. Em casos como esse cabe à sociedade educar gradativamente, através de campanhas e estratégias educacionais, desde o cidadão mais jovem até o idoso, para que a sociedade possa um dia ver a diferença com naturalidade. Em síntese, é coerente dizer que sempre haverá dificuldade de se lidar com a diferença, até porque, mesmo quando os antigos preconceitos já houverem sido sanados, novidades virão e causará novamente espanto em quem não estiver preparado para elas, e virá junto a elas o preconceito. Portanto, é indispensável que o homem aprenda a respeitar aquilo que não concorda ou admira, pois caso contrário à sociedade imergirá no caos causado pelo dissemelhante.

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro

Eduarda Souza
Eduarda Souza
05/03/2012 às 23:16

Olá descomplica :D Minha maior dificuldade em produzir uma redação é de respeitar o número limite de linhas. Sempre passo pelo menos umas 5 ou 10 linhas por mais que eu tente resumir.

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Meliande
Meliande
07/03/2012 às 21:41

Olá, Eduarda, Como sugestão para o seu problema posso falar para você tentar diminuir um pouquinho a letra e seguir o modelinho proposto pela Carolina! Além disso, fica de olho que essa semana ela está dando super dicas sobre como fazer uma boa introdução! http://www.desconversa.com.br/redacao/


Eduarda Souza
Eduarda Souza
05/03/2012 às 23:16

Olá descomplica :D Minha maior dificuldade em produzir uma redação é de respeitar o número limite de linhas. Sempre passo pelo menos umas 5 ou 10 linhas por mais que eu tente resumir.

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Meliande
Meliande
07/03/2012 às 21:41

Olá, Eduarda, Como sugestão para o seu problema posso falar para você tentar diminuir um pouquinho a letra e seguir o modelinho proposto pela Carolina! Além disso, fica de olho que essa semana ela está dando super dicas sobre como fazer uma boa introdução! http://www.desconversa.com.br/redacao/


ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Quer receber novidades em primeira mão?
Prontinho! Você receberá novidades na sua caixa de entrada.

Veja também

Separamos alguns conteúdos pra você

logo descomplica