5 provas de que a Crise de 1929 foi o resultado de uma festa que deu errado

15/06/2016 Camila Paula

Não, não estamos falando do churrasco do seu tio-avô nos finais de semana. A crise de 1929 também foi uma festa que deu errado e a gente te mostra o porquê.

A Crise de 1929 foi uma das piores crises já vistas no cenário mundial. Os Estados Unidos, que durante a década de 20 viveram no ápice de sua economia, saindo da Primeira Guerra Mundial como maior potência mundial, viu o sua prosperidade ir por água abaixo no final da década. Foi como se a quebra da Bolsa de Nova Iorque marcasse o fim da grande festa que os EUA vinham vivendo ao longo da década.

1. Vamos fazer uma festa?

Sabe aquela animação e vontade de celebrar que você sente quando tem vontade de fazer uma festa com os seus amigos? Pois era esse mesmo sentimento que pairava entre os estadunidenses no fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918. Os EUA saíram da guerra como a principal potência mundial. A Europa estava quebrada e os EUA eram seu principal credor!

2. Como organizar a festa?

Essa é uma das etapas mais importantes e arriscadas. Nesse momento, você tem que decidir como vai organizar a festa:  cada convidado leva comida e bebida ou organizador compra tudo e depois divide no final? Os Estados Unidos, como estavam com a economia em pleno crescimento – lembremos que nesse período, com a contribuição do sistema fordista, os automóveis dominaram as cidades estadunidenses e o poder de comprar entre os cidadãos era enorme -, os bancos distribuíam empréstimos a juros baixos e essa facilidade de crédito possibilitou que muitos estadunidenses investissem na Bolsa. Ou seja, os EUA optaram por uma festa na qual os convidados pagariam depois.

3. Ritmo de Festa

Durante a década de 20, os Estados Unidos viviam uma grande festa. Era o auge da Era do Rádio, que apesar de seu alto valor, invadia as casas americanas, juntamento com o jazz, que ganhava espaço nesse período. A melindrosas estavam por toda parte quebrando regras, inclusive, a da Lei Seca.

4. Toda festa (ou carnaval) tem seu fim

Alguns são ok, outros são catastróficos! Com gente passando mal, casa quebrada e afins. O fim da festa dos EUA se enquadra no segundo caso, o da tragédia. Digamos que os convidados dos EUA foram embora sem pagar. Com a crescente especulação e compra de ações, a Bolsa de Nova Iorque quebrou, em 1929. Milhares de pessoas passaram da riqueza para a pobreza de um dia para o outro, o que causou diversos suicídios. Bancos declararam falência, empresas fecharam suas portas e o desemprego aumentou exponencialmente.

5. Limpando a bagunça

A bagunça sempre sobre para o dono da casa. Depois que a festa acaba é o organizador quem tem que lidar com as consequências. Para tentar resolver os problemas gerados com a quebra da Bolsa, o presidente Roosevelt implementou uma série de medidas intervencionistas (keynesianismo), na chamado New Deal, visando reestruturar a economia, como o controle da produção e dos preços e o investimento em obras públicas, com o objetivo de diminuir o desemprego.

Camila Paula

Camila Paula escreveu 2656 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *