• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Atualidades: Supremacia Branca

 

Em 14 de agosto de 2017, uma manifestação racista de supremacistas brancos marchou na cidade americana de Charlottesville no Estado da Virgínia (EUA). O motivo inicial do protesto era reclamar contra a remoção da estátua do General Robert E. Lee, comandante confederado na Guerra Civil americana. O oficial foi defensor da manutenção do escravismo na década de 1860.

CONFERE AQUI 25 TEMAS QUE PODEM CAIR NA REDAÇÃO DO ENEM 2017 

Estes manifestantes chocaram o mundo com bandeiras estampando suásticas e saudações nazistas. Em contrapartida, centenas de democratas, ativistas do movimento negro e cidadãos em geral que repudiaram o ato também foram às ruas protestar contra o posicionamento dos supremacistas brancos. Apesar da intervenção da polícia, o conflito entre ambos os lados foi violento e resultou em uma morte e várias pessoas feridas.

O presidente Donald Trump foi a público posicionar-se a respeito do ocorrido – o político  deu uma declaração ambígua criticando “todos os lados”. Mesmo assim, sua primeira colocação não foi o suficiente para conter os “ânimos” dos cidadãos. Em sua segunda aparição, Trump precisou adotar um tom mais incisivo chamando os nazistas e os integrantes da Ku Klux Klan de “maus e repugnantes”.

Antifacistas em Charlottesville

Manifestantes “antifacistas” em Charlottesville

A proporção global da passeata motivou grupos de extrema direita, anti-semitas, homofóbicos e autoritários de todo mundo a “buscarem evidência” – se é que podemos assim dizer. O crescimento do movimento estimulou debates sobre qual o melhor modo de combater o neonazismo no Século XXI.

Porém, toda ação tem sua reação. Alguns grupos online expuseram certos participantes da marcha de Charlottesville na internet. Dois destes perderam seus empregos. Empresas online, como Airbnb e aplicativos de namoro, começaram a banir nazistas de suas bases de dados.

Além disso, o PayPal bloqueou o uso para grupos de ódio, enquanto Facebook e Twitter desenvolveram ferramentas para denunciar essas comunidades. Figuras públicas norte-americanas, como George Clooney e Arnold Schwarzenegger,  repudiaram a reação de Trump.

Movimentos de extrema direita estão ganhando força em todos os cantos do mundo. O que você acha que isso significa para a sociedade como um todo? Comente!