Quer receber materiais gratuitos e conteúdos exclusivos? 😉

Insira seu e-mail e receba todas as novidades sobre o Enem 2018 em primeira mão

Como estudar Química para o Enem

Você tem pavor de Química e não quer errar todas as questões da matéria no Enem? A gente te dá todas as dicas que você precisa para superar esse medo e acertar todas!

Química é mesmo aquela matéria que muito aluno quer passar longe e que causa alguns traumas no Ensino Médio. Se o bicho-papão tivesse sobrenome, a gente até chutaria que seria algum elemento da tabela periódica. Mas calma, a gente não tá aqui pra fazer alarde e sim para mostrar como estudar Química para o Enem de um jeito que você nem vai enlouquecer!

BAIXE AQUI UM MAPA MENTAL COMPLETÃO DA TABELA PERIÓDICA

Antes de tudo, você precisa saber qual o seu objetivo estudando Química. Você pode até não gostar e não ter afinidade, mas vai precisar dela pra fazer sua prova, certo? Nesse sentido, estudar Química é aprender a ganhar tempo e aqui vamos dar algumas dicas sobre como desenvolver essa habilidade em você!

Seja um descobridor de questões de Química

Existe uma grande diferença entre o aluno normal, o aluno bom e o aluno que passa. O aluno normal representa a maioria dos seus concorrentes e isso é bom para você, porque esses só fazem as questões que o professor manda e olhe lá! O aluno que é bom mesmo faz todas as questões disponíveis na apostila, livro, material do Descomplica. Agora, o aluno que passa é aquele que emociona o professor: além de tudo isso, descobre mais questões para fazer e treinar.

Você com certeza tem habilidade pra stalkear o crush, então também vai conseguir achar muitas questões para fazer, né? Nosso conselho aqui é muito simples: seja um hacker de exercícios. Resolvê-los e tirar dúvidas vai te colocar muito à frente na matéria e te dar confiança para resolver qualquer questão que aparecer no Enem.

Procure relembrar as pastas mentais da Química

Enquanto estiver estudando Química, você vai se deparar com milhões de nomes esquisitos, tipo oxirredução, amida, amina, permanganato, carboxílico… Quando esses nomes aparecerem nas questões, você precisa saber que parte da matéria deve acessar para resolver o problema. Pense no seu cérebro como um computador: dentro dele, você tem várias pastinhas, com vários arquivos e, para acessar esses documentos, existe uma rota certinha para chegar até lá. Veja a questão abaixo por exemplo:

(USJT-SP) Alguns compostos são muito utilizados para intensificar o sabor de carnes enlatadas, frangos, carnes congeladas e alimentos ricos em proteínas. Por exemplo:

Esse composto não contribui, por si só, com o sabor. Sua função é explicada por duas teorias:

  • estimula a atividade das papilas do gosto;
  • aumenta a secreção celular.

Quais as funções orgânicas existentes no composto acima?

a) Amida, amina e ácido.

b) Anidrido de ácido e sal orgânico.

c) Amina, ácido carboxílico e sal orgânico.

d) Amida, ácido carboxílico e sal orgânico.

e) Amido, ácido orgânico e éster de ácido.

O exercício que você deve fazer a partir de agora ao estudar Química é ler a questão é fazer o caminho para chegar até conteúdo que a resolve. No caso do problema anterior, o caminho seria:

Química > Orgânica > Funções orgânicas > Funções Oxigenadas > Funções Nitrogenadas > Ácido Carboxílico / Amina / Sal Orgânico

Aprenda a interpretar questões

Principalmente nos problemas de Química, interpretação é sinônimo de filtragem de informações! Muitas vezes você vai ter muitos textões pra ler e com eles pode vir muito mimimi, o que pode te levar a perder tempo. Estudar Química é aprender a ganhar tempo e diferenciar as informações relevantes, ou seja, filtrar apenas o que vai ser importante para a resolução da questão.

Uma dica bem fácil de aproveitar é ir escrevendo os dados da questão durante a leitura. Ao terminar, você já vai ter um resumo do que o problema te dá e assim pode escolher quais dados usar. Considere a questão abaixo:

(Enem 2012) No Japão, um movimento nacional para a promoção da luta contra o aquecimento global leva o slogan: 1 pessoa, 1 dia, 1 kg de CO2 a menos! A ideia é cada pessoa reduzir em 1 kg a quantidade de CO2 emitida todo dia, por meio de pequenos gestos ecológicos, como diminuir a queima de gás de cozinha. Um hambúrguer ecológico? É pra já!

Disponível em: http://lqes.iqm.unicamp.br. Acesso em: 24 fev. 2012 (adaptado).

Considerando um processo de combustão completa de um gás de cozinha composto exclusivamente por butano (C4H10), a mínima quantidade desse gás que um japonês deve deixar de queimar para atender à meta diária, apenas com esse gesto, é de

Dados: CO2 (44 g/mol); C4H10 (58 g/mol)

a) 0,25 kg.

b) 0,33 kg.

c) 1,0 kg.

d) 1,3 kg.

e) 3,0 kg.

Lembra das pastas mentais?

Química > Química Inorgânica > Estequiometria.

Sabemos que, em estequiometria, para resolver as questões, precisamos de uma reação química balanceada. Qual a reação química aqui? A banca não diz explicitamente no problema, mas pelo trecho “combustão completa do gás butano”, conseguimos saber como proceder.

Temos a equação:

C2H10 + O2 > CO2 + H2O

que balanceada fica

C2H10 + 13/2O2 > 4CO2 + 5H2O

química

Dessa forma, fica bem mais fácil continuar com a questão, não acha?

Gráficos são amigos!

A primeira coisa que devemos saber sobre gráficos é que eles vêm para ajudar. Se eles atrapalham, é porque você precisa aprender a lidar melhor com eles. Aqui vamos te dizer como!

Olhe para os eixos x e y. Parece óbvio, a princípio, mas saber o que os eixos estão medindo te ajuda a pensar nas fórmulas que você conhece sobre o tema, por exemplo. Analisar os intervalos no eixo x e comparar como é o comportamento em função de y te ajuda a entender o que o gráfico está mostrando para você. Inclusive, uma dica bem legal é analisar as curvas do gráfico por partes para entender o todo em seguida. No problema abaixo, o gráfico inteiro já dá a resposta, letra E.

(UFSM-RS) Considere o gráfico:

química

Indique a alternativa correta:

a) No intervalo de temperatura de 0 ºC a 30 ºC, há diminuição da solubilidade do nitrato de potássio.

b) A solubilidade do sulfato de sódio diminui a partir de 20 ºC.

c) Na temperatura de 40 ºC, o nitrato de potássio é mais solúvel que o sulfato de sódio.

d) Na temperatura de 60 ºC, o sulfato de sódio é mais solúvel que o nitrato de potássio.

e) No intervalo de temperatura de 30 ºC a 100 ºC, há diminuição da solubilidade do sulfato de sódio.

Mesmo em Química, não esqueça das atualidades

Você ouve falar em todos os lugares que atualidades cai no Enem, não é? Isso é até verdade, mas o que importa é que as notícias servem mais como contexto do que cobradas diretamente. Por isso, é importante não ser o amigão alienado no ano de vestibular, hein! Mesmo que você não saiba se aprofundar nas questões, cabe ficar atento ao que está rolando. Isso ajuda quando aparece uma questão mostrando um estudo científico super complicado e você nem se abala porque já teve um contato mínimo com aquele assunto.

Olhe a notícia abaixo! Volta e meia esses tipos de estudo aparecem na sua timeline ou nas páginas principais dos sites de notícia. Fique atento a eles, procure na notícia palavras que você está familiarizado: células-tronco, acidificação, transplante de órgãos. Nesse momento, acessar as pastinhas mentais também ajuda!

química

A notícia acima gerou essa questão:

A acidificação dos oceanos foi um dos principais impulsionadores da maior extinção em massa na Terra há cerca de 250 milhões de anos, afirmaram cientistas.

As mudanças nas águas da Terra foram causadas por uma intensificação da atividade vulcânica, acabando com mais de 90% da vida nos oceanos e dois terços dos animais terrestres, disseram os autores do estudo publicado na revista “Science”.

Os oceanos absorveram enormes quantidades de dióxido de carbono a partir das erupções vulcânicas, tornando a água mais ácida e menos propícia para formas de vida ainda frágeis.

“Esta é uma descoberta preocupante, considerando que já podemos ver um aumento na acidez dos oceanos hoje, resultado de emissões humanas de carbono”, explicou Matthew Clarkson, da Escola de Geociências da Universidade de Edimburgo.

De acordo com o texto e do ponto de vista químico, a acidificação das águas dos oceanos se deve a:

a)Presença do dióxido de carbono, que ao entrar em contato com a água libera íons hidroxila, aumentando a acidez dos oceanos.

b)Um aumento do pH das águas por conta da reação do CO2, espécie de caráter ácido.

c)Presença do anidrido carbônico que, por apresentar caráter ácido, promoverá uma diminuição do pH das águas dos oceanos.

d)Um evento cíclico e de caráter apenas geológico.

e)A neutralização do dióxido do carbono pelas hidroxilas presentes na água, o que promoverá a formação de sais de caráter ácido.

Saber previamente do estudo te tranquiliza por causa da familiaridade com o assunto e, a partir disso, já fica mais tranquilo interpretar o que a questão pede.

Aposte nos atalhos da Química!

Antes de mais nada, precisamos destacar que recorrer a atalhos não deve ser a regra! Nem sempre existirão atalhos para todos os assuntos, por isso você deve saber o conteúdo. O atalho é um recurso a mais, uma carta na manga para usar, sabe?

Por exemplo: nas reações entre metais e ametais, temos duas situações em que a reação é espontânea:

Ame1 + MeAme2 > MeAme1 + Ame2

Essa reação só ocorre se Ame1 é mais reativo que Ame2, baseado nessa fila de reatividade de ametais:

F > O > Cl > Br > I > S

Para não esquecer: Folclore brasileiro, identidade soberana.

Me1 + Me2Ame > Me1Ame + Me2

Essa reação também  só ocorre se Me1 é mais reativo que Me2, baseado nessa fila de reatividade de metais:

K> Ba > Ca > Na > Mg > Al > Zn > Fe > H > Cu > Hg > Ag > Au

Para não esquecer: Cabaça na mangueira Alzen fez. Na hidro, o cu homogêneo aguenta tudo em inglês.

Existem milhares de macetinhos na Química que te ajudam com as questões e nós falamos pelo menos um em cada aula do Descomplica – fique ligado e anote todos eles! Pode ser útil 🙂