Blog Descomplica

Entenda tudo o que você precisa saber sobre as grandes crises do petróleo

Resolva exercícios de vestibular sobre "Termoquímica", aprenda o passo-a-passo das resoluções e prepare-se para o Enem e para os vestibulares!
porDescomplica| 04/07/2016

Compartilhe

O petróleo é um dos bens mais valiosos do mundo, sendo também o motivador por trás de muitas crises enfrentadas pelas nações. A busca incessante por esse recurso também serve como motor pro desenvolvimento de todo tipo de conflito.

Então, não é uma surpresa que tenha ocorrido mais de uma crise do petróleo que impactou as nações do mundo. Em cada um desses episódios, pudemos observar o quanto a dependência desse recurso causou danos até hoje não revertidos.

Sendo um tema sempre atual, entender sobre a importância geopolítica do petróleo é algo que costuma sempre figurar nos vestibulares e no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Então, se você está se preparando pra essas provas, é importante se aprofundar no assunto.

Vamos descobrir mais sobre as crises do petróleo? A seguir, nós, do Descomplica, separamos as principais informações sobre isso!

Primeira crise do petróleo (1970/1973)

Imagem para ilustrar artigo sobre crises do petróleo

Teve início durante a década de 1970. Nessa época, a galera descobriu que o petróleo não era uma fonte renovável e, justamente pelo descobrimento da finitude do que eles chamavam de “ouro negro”, a galera foi à loucura!

Este novo fator fez com que os preços dos barris de petróleo triplicassem! Junto com isso, no final da década de 1960 e toda década de 1970, os países membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estavam envolvidos em grandes conflitos bélicos, mas ao mesmo tempo se aliavam pra combinar preços do petróleo, supervalorizando-o.

Esse cenário completamente caótico deixou a economia dos principais consumidores de petróleo do mundo (EUA e Europa) com graves problemas no arranjo de suas economias.

O ápice dessa história toda aconteceu entre o final de 1973 e início de 1974, quando o preço do petróleo aumentou em 400%!

Aqui no Brasil, essa grande crise resultou no fim do milagre econômico da Ditadura Militar.

Segunda crise do petróleo (1979)

Os anos 1970 foram bem complicados, vocês perceberam, né? Lá no finalzinho dessa década surge um novo fator na geopolítica mundial.

O Irã, um dos grandes produtores de petróleo, passou a vivenciar sua Revolução Islâmica Fundamentalista. A Revolução Iraniana transformou a organização interna do país e, consequentemente, isso afetou a produção de petróleo.

Aliado a este fator, o Irã revolucionário entrou em guerra com o Iraque, outro grande produtor. A propósito, na época, os dois países eram os maiores produtores de petróleo do mundo.

A guerra entre Irã e Iraque afetou a produtividade de petróleo e ambos reduziram suas produções. Isso diminuiu a oferta do combustível no mundo, aumentando, então, o preço do barril.

Terceira crise do petróleo (1991)

A terceira grande crise que merece ser destacada rolou no início dos anos 1990. Em 1991, o Iraque, mais uma vez, entra em conflito, e desta vez com o Kuwait.

O governo iraquiano tinha a esperança de anexar o Kuwait ao seu território. Até aquele momento, o Iraque contava com o apoio dos EUA (reflexo da Revolução Iraniana), mas, a partir deste momento, os norte-americanos decidiram intervir na situação e expulsar os iraquianos.

Com isso, o Golfo Pérsico foi fechado; Iraque e Kuwait pararam de produzir petróleo naquele momento; os iraquianos, antes de saírem do Kuwait, incendiaram vários poços de petróleo.

Quarta crise do petróleo (2020)

Em março de 2020, a Arábia Saudita iniciou uma guerra de preços com o petróleo exportado pela Rússia, facilitando uma queda trimestral de 65% no preço do petróleo.

Essa guerra de preços foi desencadeada por um rompimento no diálogo entre a OPEP e a Rússia sobre os cortes de produção de petróleo propostos no meio da Pandemia de Covid-19. A Rússia deixou o acordo, levando à queda da aliança.

Os preços do petróleo já caíram 30% desde o início do ano devido a uma queda na demanda. A guerra de preços é uma das principais causas e efeitos do mercado global de ações.

Prospectos futuros do petróleo (2022)

Como o consumo de petróleo ainda é uma parte dominante das atividades econômicas mundiais, a tendência é que ele continue sendo um dos principais agentes responsáveis pelas movimentações da geopolítica. Dessa forma, ainda é possível que novas crises surjam a partir desse contexto.

Um exemplo disso é como a invasão da Rússia na Ucrânia, em fevereiro de 2022, contribuiu para o aumento no preço do petróleo mundial. Os preços já inflacionados do petróleo dispararam para mais de US$ 110 por barril, um aumento de 15%.

Como forma de sanção econômica, o governo do presidente Joe Biden proibiu as importações de petróleo russo para os EUA. Isso somado ao baixo investimento na produção de petróleo levou o preço do petróleo a níveis estratosféricos, além de ser passado para os consumidores na bomba em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil.

Aliás, o aumento no preço da gasolina também encareceu a cadeia de distribuição brasileira, que é muito dependente de transporte rodoviário. Assim, essa crise teve consequências na inflação do país e o agravamento do cenário econômico já prejudicado pela Pandemia de Covid-19.

Viu só como existiram várias crises do petróleo? A dependência desse recurso tende a ditar os rumos da economia do mundo. Então, é fundamental se aprofundar sobre esse tema pra discutir até mesmo os eventos recentes. Agora é hora de focar nos estudos tendo esse conhecimento como base!

Restou alguma dúvida sobre as crises do petróleo? Então, basta deixar a sua pergunta em um comentário pra que possamos complementar o post!

Comentários

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Quer receber novidades em primeira mão?
Prontinho! Você receberá novidades na sua caixa de entrada.

Veja também

Separamos alguns conteúdos pra você

logo descomplica