Questões Comentadas: Machado de Assis

Leia o resumo “5 características das obras de Machado de Assis para você não ficar com olhos de ressaca na hora da prova” e resolva os exercícios abaixo.

1. “Com efeito, um dia de manhã, estando a passear na chácara, pendurou-me uma ideia no trapézio que eu tinha no cérebro. Uma vez pen­durada, entrou a bracejar, a pernear, a fazer as mais arrojadas cabriolas de volatim, que é possível crer. Eu deixei-me estar a contemplá-la. Súbito, deu um grande salto, estendeu os braços e as pernas, até tomar a forma de um X: decifra-me ou devoro-te.”
(Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis)

Sobre o texto mostrado, pode-se dizer que:
a) o autor faz uma abordagem superficial da situação.
b) o autor preocupa-se com os detalhes, por meio de minuciosa descrição.
c) o autor dá relevância a outras circunstân­cias, negligenciando o foco do assunto.
d) o autor não mostra preocupação com o discer­nimento do leitor, pois apenas sugere situações.
e) contempla a si próprio, num ritual egocêntrico e narcisista.


2. “Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis; nada menos. Meu pai logo que teve aragem dos quinze contos sobressaltou-se deveras; achou que o caso excedia as raias de um capricho juvenil.
— Dessa vez, disse ele, vais para Europa, vais cursar uma Universidade, provavelmente Coimbra, quero-te homem sério e não arruador e não gatuno.
E como eu fizesse um gesto de espanto:
— Gatuno, sim senhor, não é outra coisa um filho que me faz isso.”
(Machado de Assis – Memórias póstumas de Brás Cubas)

De acordo com essa passagem da obra, po­de-se antecipar a visão que Machado de Assis tinha sobre as pessoas e sobre a sociedade. A esse respeito, assinale a alternativa correta.
a) O amor é fruto de interesse e compõe o pilar das instituições hipócritas.
b) O amor, se sincero, supera todas as barrei­ras, inclusive as financeiras.
c) O caráter autoritarista moldava as relações familiares, principalmente entre pai e filho.
d) Havia medo de que a marginalidade envolvesse os jovens daquela época.
e) O amor era glorificado e apontado como o único caminho para redimir as pessoas.
3. Texto para as questões 3 e 4
“Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto que o uso vulgar seja co­meçar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; o segundo é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo.”

(“Memórias póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis)

Essa é a abertura do famoso romance de Machado de Assis. Dentro desse contexto, já dá para se ver o tipo de narrativa que será explorada. Assinale a alternativa correta a esse respeito.
a) A narrativa decorre de forma cronologi­camente correta, de acordo com a passagem do tempo: infância, juventude, maturidade e velhice.
b) A linearidade das ações apresenta cenas de suspense, dado o comportamento inusi­tado dos personagens.
c) Não há como prever o final da narrati­va, já que seu enredo é, propositadamente, complicado.
d) A ação terá, como cenário, os diversos centros cosmopolitas do mundo.
e) O autor usa o recurso do flashback devi­do a sua intenção de iniciar o romance pelo “fim”.

4. Em relação à questão anterior, infere-se que a linguagem dispõe de um recurso enriquecedor: a disposição das palavras no espaço frasal. Sendo assim, que tipo de lei­tura pode-se fazer dessas duas expressões: “autor defunto” e “defunto autor”?
a) A colocação da palavra defunto após a pa­lavra autor leva-nos a pensar que o segundo elemento está em fase final de carreira.
b) Defunto autor remete à ideia de que a pessoa irá escrever suas memórias dentro de um cemitério.
c) Ambas as expressões transmitem a mes­ma ideia, com iguais valores semânticos.
d) A expressão defunto autor aparece de forma metaforizada, original, privilegiando uma nova forma de narração autobiográfica.
e) Ambas as construções não têm expressão na obra biográfica de Machado de Assis.

5. A propósito de Dom Casmurro, de Machado de Assis, é correto afirmar:
a) A narrativa de Bento Santiago é comparável a uma acusação: aproveitando sua formação jurídica, o narrador pretende configurar a culpa de Capitu.
b) O artifício narrativo usado é a forma de diário, de modo que o leitor receba as informações do narrador à medida que elas acontecem, mantendo-se assim a tensão.
c) Elegendo a temática do adultério, o autor resgata o romantismo de seus primeiros romances, com personagens idealizadas entregues à paixão amorosa.
d) O espaço geográfico e social representado é situado em uma província do Império, buscando demonstrar que as mazelas sociais não são prerrogativa da Corte.
e) Bentinho desejava a morte de Escobar (até tentou envenená-lo uma vez), a ponto de se sentir culpado quando o ex amigo morreu afogado.

GABARITO

1. C

Comentário: O autor começa falando que surgiu uma ideia em sua mente e, ao invés de dizer o que estava pensando, preferiu focalizar em personificar as ações de suas ideias . Nesse sentido,  percebemos que o autor dá relevância a outras circunstâncias, pois, em um primeiro momento, evita apresentar ao interlocutor qual foi a ideia que havia surgido em sua mente.

2. A

Comentário: Uma das temáticas das obras machadianas, era a abordagem das relações motivas pelo interesse financeiro. No trecho em destaque, Marcela, que era uma prostituta, amou Brás Cubas enquanto houve o recebimento de recursos financeiros. Além disso, Machado desmascara a hipocrisia dos personagens, dentro de uma sociedade mascarada pelo valores morais de sua época. 

3. E

Comentário: A presença de um enredo não-linear é muito comum nas obras machadianas. Brás Cubas resolve escrever relatos de sua história pós ter morrido, o que pode causar, em um primeiro
momento, um certo estranhamento do leitor. No trecho apresentado, o narrador-personagem explica porque optou pela inversão cronológica para escrever sobre sua história.

4. D

Comentário: Analisando “autor defunto” e “defunto autor”, percebemos que a posição das palavras proporciona a alteração de significados. Em “autor defunto”, pressupomos que refere-se a um autor que já morreu, já em “defunto autor”, há a criação de uma forma metaforizada, pois um falecido conta a história de sua própria vida. 

5. A

Comentário: Bentinho, após conseguir sair do seminário, se forma em Direito. Como a obra é narrada pelo próprio personagem, em 1ª pessoa, só conseguimos analisar o posicionamento de Bentinho, que tenta persuadir o leitor ao longo de sua obra sobre o adultério de Capitu.

Continue estudando
Post do blog

5 características das obras de Machado de Assis para você não ficar com olhos de ressaca na hora da prova

Onze em cada dez vestibulares vão colocar alguma questão sobre Machado de Assis. Nada melhor do que conhecer algumas características próprias deste autor para mandar bem nas provas!
artigo
Post do blog

Mapa Mental: Machado de Assis

Quer saber mais sobre Machado de Assis? Confira este mapa mental que vai salvar a sua prova de literatura!
artigo