Pré-modernismo e Vanguardas Europeias

O resumo sobre Pré-Modernismo que vai salvar a sua prova da escola ou do vestibular está te esperando bem aqui.

O pré-modernismo é caracterizado por ser período de transição entre os movimentos literários ao final do século XIX e a escola modernista, criada ao início do século XX. Nesse sentido, percebemos que o homem do século XX apresenta uma nova visão de mundo, tentando desvincular-se de aspectos conservadores, assim, em sua produção literária observamos uma série de inovações no campo da temática e na linguagem e, ao mesmo tempo, traços de conservadorismo no campo estético.

CONTEXTO HISTÓRICO

O pré-modernismo tem início em 1900 e vai até 1922. Com a chegada do século XX, é inegável a presença de várias mudanças sociais, econômicas e políticas no contexto mundial. Nesse sentido, percebemos uma série de acontecimentos que marcaram não somente novos pensamentos sobre a realidade daquele momento, como a presença das classes mais baixas, que lutavam para o reconhecimento de seus direitos.

No cenário brasileiro, vivíamos um período republicano, mas é pertinente lembrar de acontecimentos que marcaram a chegada desse momento, como: Revolta de Canudos (1896-97), A Revolta da Vacina (1904), O ciclo da borracha (1870- 1920), A Guerra do Contestado (1912- 1916), A Revolta da Chibata (1910), a Greve dos Operários (1917) e o fim da República Café com Leite (1894- 1930). No contexto mundial, temos a presença da 1ª Guerra Mundial (1914- 1918), o que influenciou diretamente no modo do viver do homem contemporâneo e na sua visão conflituosa de mundo.

Proclamação da República, em 1889.
Proclamação da República, em 1889.

CARACTERÍSTICAS DO PRÉ-MODERNISMO

Nesse período de transição, é nítido perceber que os autores brasileiros tentam apresentar uma nova perspectiva sobre a terra tupiniquim, assim, na prosa, percebemos uma narrativa mais engajada e de denúncia social. Embora algumas escolas literárias anteriores tenham feito uma análise mais crítica sobre a realidade, é somente no século XX que há um destaque aos marginalizados pela sociedade (os pobres, ex escravos, o trabalhador operário, entre outros).

Além disso, os autores visam documentar a seu leitor o atraso e a condição miserável de muitas regiões brasileiras (como o Nordeste) e relatar a questão da subsistência humana. Percebemos traços de regionalismo (como características do sul brasileiro, por exemplo), que contribuem para o conhecimento de nossa cultura e valorização da identidade brasileira; romances de tese, linguagem mais simples e coloquial, como também, a presença do sincretismo literário. 

Entre os autores de grande destaque, podemos citar: João do Rio, Euclides da Cunha, Lima Barreto, Graça Aranha, Augusto dos Anjos e Monteiro Lobato.

A obra “O triste fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto, foi adaptada a produção de um filme.
A obra “O triste fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto, foi adaptada a produção de um filme.

AS VANGUARDAS EUROPEIAS

As vanguardas europeias são movimentos artísticos e culturais que visam romper com o tradicionalismo, incentivando, assim, a liberdade de expressão de cada artista. Com isso, propunham inovações, pois acreditavam que essas ideias poderiam, posteriormente, serem adotadas como prática comum. Esse movimento foi a principal influência para a criação da Semana de Arte Moderna, em 1922. Das vanguardas, as que mais se destacaram foram:

a) CUBISMO: marcado pela valorização de formas geométricas desvinculava-se da objetividade e linearidade da arte mimética. Muitos artistas consideram essa vanguarda uma das mais significativas, pois apresenta uma nova perspectiva, apresentada a partir de uma realidade fragmentada. Pablo Picasso é um dos representantes dessa expressão.

b) DADAÍSMO: representa uma negação à arte tradicional e foi criada a partir da chama de instabilidade, medo e revolta provocada pela 1ª Guerra Mundial. Na literatura, a vanguarda caracteriza-se pela agressividade, rejeição ao racional. Nas artes, percebemos o tom irreverente dos artistas, marcados pela ironia, deboche e o niilismo.

c) FUTURISMO: essa vanguarda nega qualquer relação com o passado e valoriza a exaltação do progresso, da modernidade. No campo literário, ganha enorme destaque ao fazer alterações na estrutura sintática e na pontuação. Fillippo Marinetti é o grande nome desta vanguarda.

d) EXPRESSIONISMO: Relacionada a uma visão mais subjetiva, às sensações do artista no momento de sua criação, a partir do modo de expressar seu ponto de vista. Desvincula-se da forma, conteúdo e traços artísticos tradicionais, dando maior liberdade ao artista em sua produção.

e) SURREALISMO: Associada a um mundo mais fantasioso, o surrealismo se aproxima do campo irracional da mente, valorizando o subconsciente, o sobrenatural. O artista Salvador Dalí é o grande destaque dessa vanguarda.

EXERCÍCIOS

1. (UFRRJ) Fragmento de Triste fim de Policarpo Quaresma
“Policarpo era patriota. Desde moço, aí pelos vinte anos, o amor da Pátria tomou-o todo inteiro. Não fora o amor comum, palrador e vazio; fora um sentimento sério, grave e absorvente. ( … ) o que o patriotismo o fez pensar, foi num conhecimento inteiro de Brasil. ( … ) Não se sabia bem onde nascera, mas não fora decerto em São Paulo, nem no Rio Grande do Sul, nem no Pará. Errava quem quisesse encontrar nele qualquer regionalismo: Quaresma era antes de tudo brasileiro.”
(BARRETO, Lima. “Triste fim de Policarpo Quaresma”. São Paulo: Scipione, 1997.)

Este fragmento de “Triste Fim de Policarpo Quaresma” ilustra uma das características mais marcantes do Pré-Modernismo que é o:
a) Desejo de compreender a complexa realidade nacional.
b) nacionalismo ufanista e exagerado, herdado do Romantismo.
c) resgate de padrões estéticos e metafísicos do Simbolismo.
d) nacionalismo utópico e exagerado, herdado do Parnasianismo.
e) subjetivismo poético, tão bem representado pelo protagonista.

VEJA COMO RESOLVER PASSO A PASSO ESTA QUESTÃO!

2. (PUC-RS) Para responder à questão, leia o fragmento do conto “Negrinha”, de Monteiro Lobato.
“Negrinha era uma pobre órfã de sete anos. Preta? Não; fusca, mulatinha escura, de cabelos ruços e olhos assustados. Nascera na senzala, de mãe escrava, e seus primeiros anos vivera-os pelos cantos escuros da cozinha, sobre velha esteira e trapos imundos. Sempre escondida, que a patroa não gostava de crianças.
…………………………………………………………………………………………………….
E tudo se esvaiu em trevas.
Depois, vala comum. A terra papou com indiferença aquela carnezinha de terceira – uma miséria, trinta quilos mal pesados…
E de Negrinha ficaram no mundo apenas duas impressões. Uma cômica, na memória das meninas ricas.
– “Lembras-te daquela bobinha da titia, que nunca vira boneca?”
Outra de saudade, no nó dos dedos de dona Inácia.
– “Como era boa para um cocre!…”
………………………………………………………………………………………………………..”

Considerando o fragmento anterior, é correto afirmar:
a) Em “Negrinha”, conto-título de livro de Monteiro Lobato, editado em 1920, o autor apresenta, de forma crítica e mordaz, o tratamento cruel a que é submetida a pequena escrava, maltratada até a morte.
b) Para o pré-modernista Monteiro Lobato, a infância é um período a ser celebrado pela alegria e vontade de viver, tema que anima o conto “Negrinha”.
c) Como escritor romântico, Monteiro Lobato cria a personagem Negrinha como aquela que dá alegrias a Dona Inácia, sua patroa, por estar sempre a seu lado.
d) Negrinha é uma das personagens mais marcantes da literatura infantil de Monteiro Lobato, o autor que inaugurou o gênero no Brasil.
e) No conto “Negrinha”, Monteiro Lobato relembra uma pequena companheira de infância, vizinha das terras de seu avô.

VEJA COMO RESOLVER PASSO A PASSO ESTA QUESTÃO!


3. (ENEM) Psicologia de um vencido
“Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância…
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme – este operário das ruínas –
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!”
(ANJOS, A. Obra completa. Rio de  Janeiro: Nova Aguilar, 1994. )

A poesia de  Augusto dos Anjos revela aspectos de uma literatura de  transição designada como pré-modernista. Com relação à poética e  à abordagem temática presentes no soneto, identificam-se  marcas dessa literatura de  transição,  como:
a) a forma do soneto, os  versos  metrificados, a  presença de  rimas, o vocabulário requintado, além do ceticismo, que antecipam conceitos estéticos vigentes no Modernismo.
b) o empenho do eu lírico pelo resgate da poesia simbolista, manifesta em metáforas como “Monstro de  escuridão e rutilância” e “Influência má  dos  signos do zodíaco”.
c) a seleção lexical emprestada do cientificismo, como se lê em “carbono e amoníaco”, “epigênesis da infância”, “frialdade inorgânica”, que restitui a visão naturalista do homem.
d) a manutenção de elementos formais vinculados à estética do  Parnasianismo e do Simbolismo, dimensionada pela inovação  na expressividade poética e o desconcerto existencial.
e) a ênfase no processo de construção de  uma poesia descritiva e ao mesmo  tempo filosófica, que incorpora  valores  morais e científicos mais tarde renovados pelos modernistas.

VEJA COMO RESOLVER PASSO A PASSO ESTA QUESTÃO!

GABARITO

1. A2. A3. D

Continue estudando
Post do blog

Exercícios Resolvidos: Pré-Modernismo e Vanguardas Europeias

Leia o resumo Pré-Modernismo e Vanguardas Europeias e resolva os exercícios abaixo. 
artigo
Post do blog

Mapa Mental: Vanguardas Europeias

Confira tudo sobre Vanguardas Europeias nesse mapa mental super legal! <3
artigo