Operadores Argumentativos e Coesão

O resumo sobre Operadores Argumentativos e Coesão que vai salvar a sua prova da escola ou do vestibular está te esperando bem aqui!

Talvez vocês ainda não tenham ouvido o termo “operadores argumentativos” propriamente dito, mas, com certeza, sabem do que se trata. Querem ver? Vamos falar um pouco sobre eles! Conceituando, brevemente: São estruturas linguísticas responsáveis pela ligação/coesão entre as sentenças. Têm por função também ressaltar a força argumentativa dos enunciados e o sentido para o qual apontam. Logo, ao fazer essa ligação, podem indicar relação de causa, conseqüência, conclusão, oposição, finalidade, soma de idéias e etc. Por isso, existem diversos tipos de operadores que proporcionam diferentes sentidos aos textos. Vejamos os exemplos:

  • Pedro vai trabalhar, pois precisa de dinheiro. (explicação/causa)
  • Pedro vai trabalhar… Portanto, receberá um salário. (conclusão)
  • Pedro vai trabalhar, mas viajará no fim de semana. (oposição)
  • Pedro vai trabalhar para ganhar dinheiro. (finalidade)

Principais operadores argumentativos:

  • Operadores que somam argumentos: e, também, ainda, não só… mas também, além de…, além disso…, aliás. Exemplo: Além de ser muito inteligente, é ótimo professor.
  • Operadores que indicam conclusão: portanto, logo, por conseguinte, pois, conseqüentemente… Exemplo: João tira notas baixas e trata mal os professores, portanto não é um bom aluno.
  • Operadores que indicam comparação entre elementos a fim de uma conclusão: ..que, menos…que, tão…como. Exemplo: Vamos colocar Luisa no lugar de Joana, uma é tão competente quanto à outra.
  • Operadores que indicam causa/explicação: porque, que, já que, pois, por causa de… Exemplo: Estou triste, pois não fui bem na prova.
  • Operadores que indicam oposição/idéias contrárias: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, embora, ainda que, posto que, apesar de… Exemplo: Gabriel fez um bom trabalho, mas não foi aprovado.
  • Operadores que indicam o argumento mais forte de um enunciado: até, mesmo, até mesmo, inclusive, pelo menos, no mínimo. Exemplo: João era muito ambicioso; queria ser, no mínimo, o presidente da empresa onde trabalha.
  • Operadores que indicam uma relação de condição entre um antecedente e um conseqüente: se, caso. Exemplo: Se você não for ao médico, não melhorará.
  • Operadores que indicam uma relação de tempo: quando, assim que, logo que, no momento em que… Exemplo: Assim que você chegar, me ligue!
  • Operadores que indicam finalidade/objetivo: para, para que, a fim de… Exemplo: Eu estudo a fim de passar no vestibular.

Bom, vimos até agora os principais operadores argumentativos e as possíveis relações que estabelecem. Agora, vamos falar um pouco sobre um assunto já conhecido por vocês e de grande importância: coesão. Por que vamos falar sobre esses dois assuntos ao mesmo tempo? Porque eles têm tudo a ver. Esses operadores são responsáveis por garantir a coesão do seu texto.

O que é coesão textual?

Quando falamos em coesão textual, falamos a respeito de mecanismos lingüísticos que permitem uma seqüência lógico-semântica entre as palavras, frases, parágrafos e etc. Ela tem duas funções: estabelecer ligações entre as partes (seqüencial); e evitar repetições de termos e palavras (referencial).

Como disse acima, existem basicamente dois tipos de coesão:

(1) A coesão por substituição, que é aquela referente ao modo como as palavras e expressões substituem umas às outras no texto. Entre os elementos que garantem a coesão, temos:

  • Pronomes
  • Sinônimos
  • Hiperônimos/Hipônimos
  • Epítetos
  • Advérbios
  • Numerais
  • Metonímias

(2) A coesão por ligação que trata de como os termos são encadeados dentro do texto. Quem faz essa ligação e determinam a linha argumentativa são os operadores argumentativos

E aí, ficou entendido? A coesão é responsável pela competência quatro do ENEM, ou seja, ela vale 200 pontos na sua redação. Para fazer um texto bem coeso, é imprescindível o conhecimento dos operadores argumentativos, já que são eles que vão garantir o bom encadeamento das idéias e termos. Além da importância na redação, arriscaria dizer que, em qualquer vestibular do Brasil, cai pelo menos uma questão sobre coesão e operadores argumentativos. Convenci vocês a dar valor a esse tópico? Imagino que sim! Vamos treinar um pouco com os exercícios e ver como podem cair nas provas?

Exercícios

1. (ENEM 2001)

O mundo é grande

O mundo é grande e cabe
Nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
Na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
No breve espaço de beijar.

(ANDRADE, Carlos Drummond de.Poesia e prosa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1983.)

Neste poema, o poeta realizou uma opção estilística: a reiteração de determinadas construções e expressões lingüísticas, como o uso da mesma conjunção para estabelecer a relação entre as frases. Essa conjunção estabelece, entre as idéias relacionadas, um sentido de:

a) comparação

b) conclusão.

c) oposição.

d)alternância.

e) finalidade.

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

2. (Enem 2011)

Cultivar um estilo de vida saudável é extremamente importante para diminuir o risco de infarto, mas também de problemas como morte súbita e derrame. Significa que manter uma alimentação saudável e praticar atividade física regularmente já reduz, por si só, as chances de desenvolver vários problemas. Além disso, é importante para o controle da pressão arterial, dos níveis de colesterol e de glicose no sangue. Também ajuda a diminuir o estresse e aumentar a capacidade física, fatores que, somados, reduzem as chances de infarto. Exercitar-se, nesses casos, com acompanhamento médico e moderação, é altamente recomendável.

(ATALIA, M. Nossa vida. Época. 23 mar. 2009).

As ideias veiculadas no texto se organizam estabelecendo relações que atuam na construção do sentido. A esse respeito, identifica-se, no fragmento, que

a) a expressão “Além disso” marca uma sequenciação de ideias.

b) o conectivo “mas também” inicia oração que exprime ideia de contraste.

c) o termo “como”, em “como morte súbita e derrame”, introduz uma generalização.

d) o termo “Também” exprime uma justificativa.

e) o termo “fatores” retoma coesivamente “níveis de colesterol e de glicose no sangue”.

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

3. (UERJ) Observe as formas sublinhadas em:

“Morava então (1893) em uma casa de pensão no Catete. Já por esse tempo este gênero deresidência florescia no Rio de Janeiro. Aquela era pequena e tranquila.” (l. 11-14)

Esse, este e aquela são formas empregadas como recursos de coesão textual. Indique a classe gramatical a que pertencem essas palavras e justifique a escolha de cada uma no trecho de acordo com a respectiva função textual.

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

GABARITO

1. C

2. A

3. Confira a resposta aqui. 

Continue estudando
Post do blog

Questões comentadas: Narração

Leia o resumo O que é a narração? e resolva os exercícios abaixo.
artigo
Post do blog

Análise do Discurso: Conceitos e Aplicações

Ao se tratar de análise do discurso é prudente, de início, colocar-se a questão: o que se entende por isso? Esta pergunta é pertinente porque vários são os conceitos desta análise, um campo de estudos em processo de formação cujas fronteiras não estão ainda claramente delimitadas.
artigo