• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Sudeste, Sul e Centro-Oeste: Conheça o Centro-Sul, a região de concentrações

A região Centro-Sul é formada pelas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

sudeste

Regiões geoeconômicas do Brasil: 1. Amazônia, 2. Centro-Sul e 3. Nordeste

O Brasil apresenta diferentes regionalizações, ou seja, diferentes arranjos do território que levam em consideração  critérios diferenciados. As duas regionalizações mais conhecidas são a divisão regional do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), criada em 1969, que divide o Brasil em região Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste, e a regionalização geoeconômica, que divide o Brasil em três complexos regionais: Amazônia, Nordeste e Centro-Sul.

O Centro-Sul se destaca entre as demais regiões geoeconômicas, pois apresenta características bem diversificadas e singulares. É formado pelas regiões Sul, Sudeste (com exceção do norte de Minas Gerais, área englobada pela região geoeconômica Nordeste devido a aspectos sociais) e Centro-oeste (com exceção do norte do Mato Grosso, área englobada pela região geoeconômica Amazônia por conta da floresta amazônica).

De forma geral, podem ser destacadas algumas importantes características do Centro-Sul brasileiro:

  • Centro econômico, político e administrativo do país
  • Maior concentração da população do país
  • Possui 16 das 22 áreas metropolitanas do país
  • Economia diversificada
  • Região com a maior concentração de indústrias do país
  • Agropecuária mais moderna do país
  • Densa rede de transportes e comunicações
  • Produz a maior parte do PIB

Cabe detalhar um pouco mais cada uma das regiões que compõem a região Centro-Sul.

 

Região Sudeste

região sudeste

Estados que compõem a Região Sudeste – Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

O Sudeste é formado pelos estados de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Minas Gerais (MG) e Espírito Santo (ES), e apresenta características bem diversificadas. Quanto aos aspectos naturais, a vegetação é predominantemente composta por Mata Atlântica; seu relevo é o mais elevado e acidentado do país e seus rios são de planaltos, ou seja, não favorecem a navegação, mas são importantes para a geração de energia elétrica.

Além disso, essa região é o centro da economia nacional, contando com uma agricultura diversificada (café, cana-de-açúcar, frutas, verduras e outros), e nela também se encontram importantes reservas minerais, o que aumenta sua importância. O destaque é para a região do Quadrilátero Ferrífero como fornecedora de minério de ferro. Há ainda a sua forte produção de petróleo, especialmente nas bacias de Campos e de Santos, que, além de ser uma importante fonte de energia, fornece condições para o crescimento industrial da região.

Os meios de transporte do Sudeste são bem desenvolvidos e a malha de circulação (rodovias e ferrovias), também. A região conta ainda com os principais portos do país, tais como os portos de Santos, Rio de Janeiro e Vitória, e com o maior parque industrial do Brasil, que se concentra no eixo RJ-SP.

Outra característica da região Sudeste é o recebimento de muitos migrantes nacionais e internacionais, tanto para turismo quanto para a busca de melhores condições de vida. Cabe destacar ainda a questão da violência urbana e a segregação socioespacial marcantes na região que, apesar de possuir muitas riquezas e um bom desenvolvimento econômico, não uniformiza o acesso à esses benefícios.

Região Sul

região sudeste

Estados que compõem a Região Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A região Sul é a menor região do país, mas é a segunda em importância econômica. Ela é formada pelos estados do Paraná (PR), Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS). Dentre suas principais características naturais, cabe ressaltar o relevo de planalto, o clima subtropical – com verões muito quentes e invernos muito frios –, e a vegetação de Mata de Araucária ou Mata dos Pinhais.

Em relação às atividades econômicas, a agricultura é a que emprega um número considerável de trabalhadores. Divide-se em dois tipos: a policultura e a monocultura comercial. A policultura é realizada pelos descendentes de imigrantes europeus em pequenas propriedades, que cultivam, por exemplo, milho, frutas, mandioca e outros. Já a monocultura comercial é desenvolvida em grandes propriedades com um alto grau de mecanização da produção, cujo principal cultivo é o de soja. Destaca-se ainda a pecuária bem desenvolvida, devido à existência de pastagem natural, que fornece couro e carne para o país.

Nesta região, encontra-se também a melhor qualidade de carvão mineral do país, com um bom potencial de queima. A região conta ainda com a maior hidrelétrica do país, a usina binacional de Itaipu, que se localiza no estado do Paraná.

Esta é a segunda região mais industrializada do país com destaque para as indústrias calçadistas, têxteis e alimentícias. Dentre as principais localidades industriais, destacam-se: Caxias do Sul (bebidas e metalurgia), Pelotas (frigoríficos), Lages (madeiras), Londrina (alimentos), Blumenau e Joinville, localidade do Vale do Itajaí, estado de Santa Catarina (indústria têxtil). O desenvolvimento industrial do país se deu principalmente devido à sua boa malha de circulação, formada por rodovias e ferroviárias que permitem a circulação intra e interregional.

Região Centro-Oeste

sudeste

Estados que compõem a Região Centro-Oeste – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Essa região é formada pelos estados de Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS) e Goiás (GO), além do Distrito Federal, sede do governo do Brasil. Dentre suas características, cabe ressaltar que faz fronteira com todas as demais regiões (Norte, Nordeste, Sudeste e Sul), além de fazer fronteira também com o Paraguai e a Bolívia.

Sobre os aspectos naturais, é a única região que não é banhada pelo mar, o que no início dificultou sua ocupação. Foi a construção de Brasília que atraiu imigrantes nordestinos e mineiros, por exemplo. Seu relevo apresenta altitudes suaves, e o clima predominante é o tropical e o subtropical úmido. A vegetação é o cerrado, e há vários rios importantes como o rio Paraguai.

Há predominantemente dois tipos de agricultura: a agricultura de subsistência e a monocultura da soja, que conta com um alto grau de mecanização.

Por ter grandes extensões de terra disponíveis (vazios demográficos) a região Centro-Sul viveu a expansão da fronteira agrícola com a Revolução Verde, responsável, dentre outras coisas, pela possibilidade de que a soja, que era cultivada na região Sul, fosse adaptada para as condições climáticas do Centro-Oeste.

A atividade industrial não é muito desenvolvida na região, mas as principais indústrias são as alimentícias, têxteis e de bebidas. Além da malha rodoviária e ferroviária, a região Sul conta também com o transporte fluvial ocupando um lugar de destaque.

 

Exercícios

1. (UCP) Observe a figura a seguir.

As Regiões Geoeconômicas do Brasil

sudeste

(1) Amazônia (2) Centro-Sul (3) Nordeste

A proposta de regionalização do Brasil, que toma, por base, critérios geoeconômicos, desconsidera os limites político-administrativos. Isso, porque algumas áreas de determinados estados, segundo esses critérios, têm maior identidade com os estados limítrofes que com algumas de suas partes internas. Acerca da divisão regional do Brasil, é correto afirmar que:

a) são observadas, na Amazônia, diferenças internas caracterizadas no Meio Norte, Sertão, Zona da Mata e Agreste.

b) a Amazônia compreende apenas parte da Floresta Amazônica localizada em território brasileiro. Integrada por quase todos os estados da região Norte (exceto parte do Ceará), além do Mato Grosso e leste do Maranhão, é uma região que apresenta baixa densidade demográfica.

c) o Centro-Sul é a região onde ocorreu o processo de povoamento do país. Possui grandes contrastes naturais e socioeconômicos entre as áreas do interior, mais urbanizadas, industrializadas e desenvolvidas economicamente e o litoral com grandes problemas sociais.

d) a agropecuária, no Nordeste, constitui o setor econômico mais importante, seguido pelo extrativismo vegetal, mineração e o setor industrial, com destaque para a zona industrial de Manaus.

e) o norte de Minas Gerais faz parte do complexo regional nordestino; o extremo sul do Mato Grosso pertence à região Centro-Sul e o restante do seu território faz parte da região da Amazônia; a porção oeste do Maranhão integra-se à Amazônia e o extremo sul do Tocantins pertence à região Centro-Sul.

 

2. (UNEAL) O Brasil está dividido em três regiões geoeconômicas que refletem as diferentes formas de ocupação humana ao longo do tempo histórico: Nordeste, Centro-Sul e Amazônica. Analise os aspectos que caracterizam essas regiões:

I. O Nordeste é a principal área de refluxo (saída) de pessoas nas migrações internas do país.

II. A região Centro-Sul é a mais industrializada, povoada e urbanizada do país.

III. A Amazônia é a região menos povoada do Brasil e sofre grandes impactos ambientais.

IV. A região nordestina apresenta muitas marcas da colonização e, por praticamente três séculos, foi a região mais rica do Brasil.

 

Está correto o contido em

a) I e II, apenas.

b) I, II e III, apenas.

c) I, II e IV, apenas.

d) I, III e IV, apenas.

e) I, II, III e IV.

 

3. (UECE) As regiões brasileiras são agrupamentos das unidades da federação com o propósito de ajudar as interpretações estatísticas, implantar sistemas de gestão de funções públicas de interesse comum ou orientar a aplicação de políticas públicas dos governos federal e estadual. Há também outra forma de regionalização não-oficial, criada por especialistas em geografia, na qual o Brasil é dividido em três complexos geoeconômicos. Assinale, nas opções abaixo, aquela que apresenta, de forma correta, os três complexos geoeconômicos.

a) Amazônia, Centro-Sul e Pantanal.

b) Centro-Sul, Nordeste e Pantanal.

c) Amazônia, Nordeste e Centro-Sul.

d) Nordeste, Sudeste e Centro-Sul.

 

Gabarito

1. E

2. E

3. C