Questões comentadas: Romantismo - 1ª e 2ª Gerações

Leia o resumo “Quais as principais características do Romantismo?” e resolva os exercícios abaixo.

1. (ENEM) No trecho abaixo, o narrador, ao descrever a personagem, critica sutilmente um outro estilo de época: o romantismo.
“Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos; era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça, e, com certeza, a mais voluntariosa. Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance, em que o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas; mas também não digo que lhe maculasse o rosto nenhuma sarda ou espinha, não. Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, que o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”
(ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Jackson,1957.)

A frase do texto em que se percebe a crítica do narrador ao romantismo está transcrita na alternativa:
a) “… o autor sobredoura a realidade e fecha os olhos às sardas e espinhas …”
b) “… era talvez a mais atrevida criatura da nossa raça …”
c) “Era bonita, fresca, saía das mãos da natureza, cheia daquele feitiço, precário e eterno, …”
d) “Naquele tempo contava apenas uns quinze ou dezesseis anos … “
e) “… o indivíduo passa a outro indivíduo, para os fins secretos da criação.”

2. “Se uma lágrima as pálpebras me inundam,

Se um suspiro nos seios treme ainda.

É pela virgem que sonhei… que nunca

Aos lábios me encostou a face linda!” (Álvares de Azevedo)

A característica do Romantismo mais evidente desta quadra é:
a) o espiritualismo.
b) o pessimismo.
c) a idealização da mulher.
d) o confessionalismo.
e) a presença do sonho.

3.  (FUVEST)
LEITO DAS FOLHAS VERDES

Por que tardas, Jatir, que tanto a custo
À voz do meu amor moves teus passos?
Da noite a viração. movendo as folhas,
Já nos cimos do bosque rumoreja.

Eu sob a copa da mangueira altiva
Nosso leito gentil cobri zelosa
Com mimoso tapiz de folhas brandas,
Onde o frouxo luar brinca entre flores.

Do tamarindo a flor abriu-se, há pouco, Já solta o bogari mais doce aroma!
Como prece de amor, como estas preces, No silêncio da noite o bosque exala.

Brilha a lua no céu, brilham estrelas,
Correm perfumes no correr da brisa,
A cujo influxo mágico respira-se_ Um quebranto de amor, melhor que a vida!

A flor que desabrocha ao romper d’alva
Um só giro do sol, não mais, vegeta:
Eu sou aquela flor que espero ainda
Doce raio do sol que me dê vida.
(Gonçalves Dias)

Assinale a alternativa correta com relação ao texto.
a) Principalmente pela manifestação de elementos simbólicos, tais como “luar”, “vales”, “bosque” e “perfumes”, pode-se dizer que o poema muito se aproxima da estética simbolista.
b)  O poema romântico indianista recupera as antigas cantigas de amigo medievais, para expressar o amor por meio da espera.
c)  O poema de Gonçalves Dias demonstra profunda influência renascentista, recebida principalmente de Camões.
d)  Apesar da intensa presença da natureza, o poema em questão já se aproxima do Parnasianismo, pela presença dos elementos mitológicos.
e)  Mesmo sendo romântico, notam-se ainda no poema os aspectos marcantes do Arcadismo, principalmente no que diz respeito ao bucolismo.

4. (FUVEST)
Texto I 

“Ah! enquanto os destinos impiedosos
Não voltam contra nós a face irada,
Façamos, sim façamos, doce amada,
Os nossos breves dias mais ditosos”

Texto II

“É a vaidade, Fábio, nesta vida,
Rosa, que da manhã lisonjeada,
Púrpuras mil, com ambição dourada,
Airosa rompe, arrasta presumida.”

Texto III

“E quando eu durmo, e o coração ainda
Procura na ilusão da lembrança,
Anjo da vida, passa nos meus sonhos
E meus lábios orvalha de esperança!”

Associe os trechos acima com os respectivos movimentos literários, cujas características estão enunciadas abaixo:
Romantismo: evasão e devaneio na realização de um erotismo difuso.
Arcadismo: aproveitamento do momento presente (“carpe diem”).
Barroco: efemeridade da beleza física, brevidade enganosa da vida.

a) Romantismo; II- arcadismo; III- barroco;
b) Barroco; II- arcadismo; III- romantismo;
c) Arcadismo; II- romantismo; III- barroco;
d) Arcadismo; II- barroco; III- romantismo;
e) Barroco; II- arcadismo; III- romantismo.

5. (UECE)
Texto: IRACEMA
Além, muito além daquela serra que ainda azula no horizonte, nasceu Iracema. Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna e mais longos que seu talhe de palmeira. O favo da jati não era doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado. 
Mais rápida que a ema selvagem, a morena virgem corria o sertão e as matas do Ipu, onde campeava sua guerreira tribo, da grande nação tabajara. O pé grácil e nu, mal roçando, alisava apenas a verde pelúcia que vestia a terra com as primeiras águas. 
(José de Alencar)

Para descrever Iracema, Alencar emprega palavras que apelam principalmente:
a) à razão
b) aos sentidos
c) aos sentimentos
d) à fantasia

6. (PUC)
“Já de noite o palor me cobre o rosto
Nos lábios meus o alento desfalece.
Surda agonia o coração fenece
E devora meu ser mortal desgosto! Do leito embalde no macio encosto
Tento o sono reter!… Já esmorece O corpo exausto que o repouso esquece…
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!”

A relação mórbida com a morte demonstra que parte da poesia de Álvares de Azevedo prende-se ao:
a) idealismo romântico.
b) saudosismo inconformado.
c) misticismo religioso.
d) negativismo filosófico.
e) mal do século.

7. (PUCCAMP)
“Cantor das selvas, entre bravas matas
Áspero tronco da palmeira escolho,
Unido a ele soltarei meu canto,
Enquanto o vento nos palmares zune,
Rugindo os longos, encontrados leques.”

Os versos acima, de Os Timbiras, de Gonçalves Dias, apresentam características da primeira geração romântica:
a) apego ao equilíbrio na forma de expressão; presença do nacionalismo, pela temática indianista e pela valorização da natureza brasileira.
b) resistência aos exageros sentimentais e à forma de expressão subordinada às emoções; visão da poesia a serviço de causas sociais, como a escravidão.
c) expressão preocupada com o senso de medida; “mal do século”; natureza como amiga e confidente.
d) transbordamento na forma de expressão; valorização do índio como típico homem nacional; apresentação da natureza como refúgio dos males do coração. 
e) expressão a serviço da manifestação dos estados de espírito mais exagerados; sentimento profundo de solidão.

8. (USC) A respeito do Romantismo no Brasil, pode-se afirmar que:
a) sua ação nacionalista deu origem às condições políticas que propiciaram a nossa Independência;
b) coincidiu com o momento decisivo de definição da nacionalidade e colaborou para essa definição;
c) espelhou sempre as influências estrangeiras, em nada aproveitando os costumes e a cor locais;
d) foi decisivo para o amadurecimento dos sentimentos nativistas que culminaram na Inconfidência Mineira;
e) ganhou relevo apenas na poesia, talvez por falta de talentos no cultivo da ficção.

9. (UM-SP) O gosto pela expressão dos sentimentos, dos sonhos e das emoções que agitam seu mundo interior, numa atitude individualista e profundamente pessoal, marcou os autores do:
a) movimento realista
b) movimento árcade
c) movimento romântico
d) movimento barroco
e) movimento naturalista

10. (UNIP-SP) Assinale a característica não aplicável à poesia romântica:
a) artista goza de liberdade na metrificação e na distribuição rítmica;
b) importante é o culto da forma, a arte pela arte;
c) a poesia é primordialmente pessoal, intimista e amorosa;
d) enfatiza-se a autoexpressão, o subjetivismo, o individualismo;
e) a linguagem do poeta é a mesma do povo: simples, espontânea.

Gabarito 

1. A

Comentário: O trecho da obra de Machado de Assis faz uma crítica à escola Romântica. No verso “Não digo que já lhe coubesse a primazia da beleza, entre as mocinhas do tempo, porque isto não é romance…”, percebemos que o autor faz uma crítica à idealização amorosa, como também ao sentimentalismo exacerbado e ao amor platônico, aspectos muito comuns na 2ª geração Romântica. 

2. C

Comentário: Na quadra de Álvares de Azevedo, temos a predominância da idealização feminina. No Romantismo, era comum que o eu lírico estabelecesse uma analogia entre a amada e seres angelicais ou infantis, remetendo à inocência e pureza. No texto, o autor compara o elemento feminino com uma virgem, o que também expressa a candura exercida por esse elemento, como também, a relação de que a mesma seja inatingível.

3. C

Comentário: O texto de Gonçalves Dias, principal autor da 1ª Geração Romântica, retoma elementos do Trovadorismo. Essa característica é confirmada a partir da associação com as cantigas de amigo, em que presencia-se um eu lírico feminino que visa manter um contato com o amado que está distante (no século XIV, o amada havia partido à guerra), desejando o seu retorno. Além disso, percebemos o utilização e o aproveitamento da sonoridade da língua indígena, como “bagari” e a associação do eu lírico ao cenário natural.

4. D

Comentário: O primeiro texto faz referência ao Arcadismo, abordando o lema árcade “Carpe Diem”, em que percebemos a posição do eu lírico sobre a efemeridade da vida e a valorização de viver com intensidade o presente. O texto II está associado à escola Barroca, com a o predomínio de figuras de linguagem, principalmente a presença da inversão sintática, como também a técnica do cultismo. Já no terceiro texto, percebemos a presença da temática Romântica, com a idealização amorosa e a comparação do elemento feminino com um ser angelical, distante do contato com o eu lírico.

5. B

Comentário: Na prosa de José de Alencar, percebemos que o autor faz uso de uma figura de linguagem para produzir seu texto, a sinestesia. Esse recurso é utilizado na fusão de diferentes sensações (olfato, tato, paladar, audição e visão), visto em alguns trechos, como “O favo da jati não era doce como o seu sorriso; nem a baunilha recendia no bosque como seu hálito perfumado” e ” A virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna”.

6. E

Comentário: A 2ª Geração Romântica, também chamada de “mal do século” evidenciava uma insatisfação do homem do século XIV frente às coisas do mundo. Naquele momento, o homem não se sentia pertencente ao contexto em que estava incluído e aborda em sua lírica um sentimento de pessimismo, como também uma aproximação com a morte. 

7.

Comentário: A poesia de cunho nacionalista faz referência à 1ª Geração Romântica. Com as influências do contexto histórico do início do século XIX no Brasil, cria-se a necessidade de valorizar a figura nativa – o índio – a fim de instaurar a cultura brasileira, como também a valorização do cenário natural de forma idealizada.

8. B

Comentário: Com a Independência do Brasil, em 1822, instala-se um sentimento de alegria e nacionalismo no indivíduo brasileiro, que por tanto tempo viveu sobre o controle de sua colônia. Essa relação de patriotismo, construída pelo contexto histórico, contribui para a criação da 1ª Geração Romântica, também chamada de Nacionalista ou Indianista.

9. C

Comentário: É característico da escola romântica a expressão de sentimentos em sua lírica. Ademais, também percebemos uma evasão à realidade, em que o lírico remete à infância, à natureza ou aos paraísos artificiais para se esquecer dos problemas. Além disso, a linguagem romântica é altamente subjetiva e aprimorada com várias figuras de linguagem.

10. B

Comentário: Com exceção da alternativa B, todas as outras são coerentes ao Romantismo. O culto à perfeição formal e a chamada “arte pela arte” condizem à escola Parnasiana, que visa eliminar a liberdade formal produzida nas anteriores escolas literárias, valorizando o modelo clássico da poesia, como também o reconhecimento do belo.

Continue estudando
Post do blog

Questões Comentadas: Romantismo

Link do módulo: http://descomplica.com.br/portugues/romantismo-no-brasil-primeira-geracao/contextualizacao-geral
artigo
Post do blog

Questões Comentadas: 2ª e 3ª gerações do Romantismo

Leia o resumo O que caracteriza a poesia da 2ª e 3ª geração do Romantismo? e resolva os exercícios abaixo. 
artigo