• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Biologia: Teorias Evolutivas e Especiação

Que tal começar a semana com uma aula incrível sobre Teorias Evolutivas e Especiação? Os professores Rubens Oda e Alexandre Bandeira estarão te esperando na aula ao vivo de hoje para te ensinar tudo! <3 Confira abaixo os horários dessas aulas imperdíveis e não deixe de baixar o material de apoio!

tumblr_Blog-320x320px_Oda-e-Bandeira
Biologia: Teorias Evolutivas e Especiação
Turma da Manhã: 9h00 às 10h00, com o professor Alexandre Bandeira
Turma da Noite: 18h30 às 19h30, com o professor Rubens Oda

Faça download do Material de Apoio, é só clicar aqui embaixo! o/

Material de Aula ao Vivo
Lista de Exercícios

MATERIAL DE AULA AO VIVO

1.  Alguns anfíbios e répteis são adaptados à vida subterrânea. Nessa situação, apresentam algumas características corporais como, por exemplo, ausência de patas, corpo anelado que facilita o deslocamento no subsolo e, em alguns casos, ausências de olhos. Suponha que um biólogo tentasse explicar a origem das adaptações mencionadas no texto utilizando conceitos da teoria evolutiva de Lamarck. Ao adotar esse ponto de vista, ele diria que
a) as características citadas no texto foram originadas pela seleção natural.
b) a ausência de olhos teria sido causada pela falta de uso dos mesmos, segundo a lei do uso e desuso.
c) o corpo anelado é uma característica fortemente adaptativa, mas seria transmitida apenas à primeira geração de descendentes.
d) as patas teriam sido perdidas pela falta de uso e, em seguida, essa característica foi incorporada ao patrimônio genético e então transmitidas aos descendentes.
e) as características citadas no texto foram adquiridas por meio de mutações e depois, ao longo do tempo, foram selecionadas por serem mais adaptadas ao ambiente em que os organismos se encontram.
2. Os ratos Peromyscus polionotus encontram-se distribuídos em ampla região na América do Norte. A pelagem de ratos dessa espécie varia do marrom claro até́ o escuro, sendo que os ratos de uma mesma população têm coloração muito semelhante. Em geral, a coloração da pelagem também é muito parecida à cor do solo da região em que se encontram, que também apresenta a mesma variação de cor, distribuídas ao longo de um gradiente sul-norte.
Na figura abaixo, encontram-se representadas sete diferentes populações de P. polionotus. Cada população é representada pela pelagem do rato, por uma amostra de solo e por sua posição geográfica no mapa.
ff
O mecanismo evolutivo envolvido na associação entre cores de pelagem e de substrato é
a) a alimentação, pois pigmentos de terra são absorvidos e alteram a cor da pelagem dos roedores.
b) o fluxo gênico entre as diferentes populações, que mantém constante a grande diversidade interpopulacional.
c) a selecão natural, que, nesse caso, poderia ser entendida como a sobrevivência diferenciada de individ́uos com caracteriśticas distintas.
d) a mutação genética, que, em certos ambientes, como os de solo mais escuro, têm maior ocorrência e capacidade de alterar significativamente a cor da pelagem dos animais.
e) a herança de caracteres adquiridos, capacidade de organismos se adaptarem a diferentes ambientes e transmitirem suas características genéticas aos descendentes.

 

Gabarito

1. B
2 C

 

LISTA DE EXERCÍCIOS

1. Quando nos deparamos com as diferentes espécies encontradas na natureza, geralmente nos vêm à mente questões sobre a origem de tal diversidade. Sobre a frase abaixo e sobre os mecanismos da evolução propostos por Lamarck e Darwin, é correto afirmar que:
“Os répteis desenvolveram espessas cascas em seus ovos para proteger os embriões contra a dessecação”.

A frase acima representa um pensamento:
a) Lamarquista, pois deixa implícita a ideia do uso e desuso.
b) Lamarquista, pois deixa implícita a ideia de explicação da evolução por intermédio dos fósseis.
c) Darwinista, pois deixa implícita a ideia do aparecimento de um grupo de répteis que apresentava tal característica e que por esse motivo foi selecionado positivamente.
d) Darwinista, pois deixa implícita a ideia de uma adaptação passiva já que o meio apenas selecionou os indivíduos com tais características.
e) Darwinista, pois deixa implícita a ideia de uma adaptação ativa, já que uma mudança do ambiente também obriga o indivíduo a se modificar.

2. “Devido ao grande potencial reprodutivo dos seres vivos, as populações naturais de todas as espécies tendem a crescer rapidamente. Entretanto, o tamanho das populações naturais mantém-se relativamente constante ao longo do tempo, pois, a cada geração, morre um grande número de indivíduos e muitos não deixam descendentes. Disso se pode concluir que a maior parte das características de uma geração é herdada dos genitores, e os indivíduos que sobrevivem e se reproduzem possuem características adaptadas às condições ambientais”.

Essa conclusão resume:
a) As ideias evolucionistas de Lamarck.
b) A teoria criacionista.
c) O conceito darwinista de seleção natural.
d) O conceito malthusiano.
e) O fixismo.
3. Quando Darwin chegou ao arquipélago de Galápagos, em 1835, durante viagem a bordo do navio H. M. S. Beagle (1831-1837), observou pássaros da família Fringillidae (tentilhões) e ficou impressionado com as treze espécies dessas aves nas diferentes ilhas. Uma explicação para o surgimento dessas espécies é a irradiação adaptativa, na qual os tentilhões:
a) Apresentavam características semelhantes e hereditárias que surgiram a cada geração por acaso e não em resposta às necessidades adaptativas dos indivíduos.
b) Surgiram a partir de um ancestral comum que emigrou do continente para as ilhas, ocupando-as, enquanto os diversos ambientes insulares selecionaram as aves mais adaptadas.
c) Adquiriram características em consequência do uso mais ou menos acentuado de uma parte do organismo.
d) Foram capazes de gerar descendentes férteis em resposta a uma competição entre os machos de uma mesma espécie em disputa pelas fêmeas.
e) Surgiram em decorrência de uma barreira física que proporcionou um isolamento geográfico e causou a origem de aves diferenciadas.
4. Encontram-se a seguir etapas de um processo de especiação.
I – Quando a temperatura da região se eleva, duas populações se isolam nas encostas de montanhas diferentes.
II – Uma espécie de pássaro, adaptada ao frio, habita todo um vale.
III – As diferenças genéticas acumuladas durante o período de isolamento não permitem que os membros das duas populações se cruzem.
IV – Após milhares de anos, a temperatura volta a baixar e as duas populações espalham-se pelo vale.

A sequência lógica dessas etapas é:
a) I, II, III, IV.
b) II, I, III, IV.
c) II, I, IV, III.
d) II, III, IV, I.
e) IV, III, II, I.

 

Gabarito

1. A
2. C
3. B
4. C

 

PRINTS DA AULA – BANDEIRA

bio 1

bio 2

bio 3

bio 4

PRINTS DA AULA – ODA

bio 4

bio 1

bio 2

bio 3