Blog Descomplica

Civilização Romana: resumo sobre o tema para o Enem

porDescomplica| 09/09/2021

Compartilhe

É quase impossível nunca ter ouvido falar do Império Romano, né? Seja em filmes, em histórias ou em personagens que conhecemos hoje, esse período foi muito importante para a história do Ocidente. Se você vai prestar o Enem, não pode deixar de estudar esse tema e entender como ele ainda influencia as nossas vidas. Vale, então, pegar esse resumo sobre Civilização Romana para o Enem!

O Império Romano surge 27 anos depois do nascimento de Cristo, durando até o ano 476 da era atual. Entender como surgiu a Civilização Romana, quais são suas características, consequências e efeitos na nossa civilização até hoje é muito importante para quem vai prestar o Enem. 

Quer o melhor resumo sobre Civilização Romana para o Enem? Vem com a gente!

Civilização Romana: resumo de como surgiu

A Origem da Civilização Romana aconteceu por volta do ano 1000 a.C., quando povos sabinos e latinos ergueram fortificações, que receberiam a cidade futuramente. O intuito, nesse momento, era o de deter invasões etruscas.

Saiba mais sobre a Roma Antiga

O Império Romano foi algo gigante – e surpreendente! Para se ter uma ideia da sua expansão, ele começou em Roma, na Itália, e se estendeu para uma área com aproximadamente 6 milhões de quilômetros quadrados e 70 milhões de pessoas!

A forma com que os romanos conseguiram isso e o feito, que perdurou por muitos anos, são temas muito importantes no Enem. Por isso, você precisa saber tudo sobre Civilização Romana para o exame.

Antes de tudo, é fundamental entender os ciclos que marcaram as grandes mudanças no Império Romano: monarquia, república e império.

Como foi a Monarquia na Civilização Romana 

A primeira forma de governo em Roma foi a Monarquia. Ela, inclusive, é bastante cobrada no Enem, então é preciso incluir essa parte nos seus estudos!

A Monarquia Romana durou cerca de 500 anos e foi o seguinte: durante esse período, a sociedade estava dividida entre patrícios (grandes proprietários rurais) e plebeus (comerciantes, camponeses e pequenos proprietários de terras). 

O senado era formado exclusivamente por patrícios, ao passo que o rei acumulava funções executivas, judiciais e religiosas. O último rei de Roma foi Tarquínio, expulso de Roma pelo senado.

Como funcionava a República Romana

A República Romana surgiu quando o senado aboliu a monarquia e implantou essa nova forma de governo. A República, inclusive, é um período forte da história da Civilização Romana e bastante cobrada no Enem. 

As maiores conquistas territoriais de Roma ocorreram durante a República. Entretanto, a hegemonia patrícia foi, pouco a pouco, combatida pelos plebeus, que ocuparam as fileiras do exército e garantiram a segurança dos domínios de Roma, exigindo mais direitos. 

É importante destacar que, nessa época, a tensão entre esses dois grupos era intensa, já que a desigualdade social era muito grande.

Na segunda década republicana, surgem as revoltas plebeias, marcadas por greves. Eles conquistam representação política com a criação dos Tribunos da Plebe, que podiam vetar as decisões do senado.

Com o prestígio das guerras e as tensões sociais entre os grupos, alguns líderes militares (generais) tomaram o poder. Os vários golpes militares acabaram com o poder republicano e abriram espaço para o Império.

O Império na Civilização Romana

O Império foi a última forma de governo em Roma e surgiu da seguinte maneira: havia inúmeros problemas durante a República, especialmente a dificuldade de manter e controlar as fronteiras.

No século I a.C., o general Otávio se tornou o primeiro imperador. Foi, inclusive, durante o Império que a religião oficial de Roma se modificou.

Nesse período, o antigo culto aos deuses e seus rituais deu lugar a uma religião monoteísta nascida no Oriente, o Cristianismo.

Com o tempo, no entanto, a vasta extensão de seu território e seus inúmeros problemas internos levaram o Império Romano à ruína. Nem mesmo a divisão do império em duas partes foi capaz de evitar a sua queda. 

Por volta do século III, as invasões bárbaras deram o último golpe, que dissolveu o Império Romano do Ocidente.

Qual é o legado da Civilização Romana para os dias de hoje

Entender como a Civilização Romana impacta os dias de hoje é essencial para quem vai prestar o Enem. Isso porque, até hoje, suas práticas, conceitos, saberes e a religião cristã ajudaram a moldar a feição do mundo ocidental que surgiria depois. 

No campo religioso, os romanos eram politeístas até a ascensão cristã, ao fim do Império. As divindades se assemelhavam às divindades gregas, mas com outros nomes, como Júpiter, Minerva e outros. 

As artes também ganharam influência da cultura grega. O teatro foi muito explorado pelos romanos, bem como as obras de Homero e outros autores, traduzidos para o latim.

O período de ouro na cultura da Civilização Romana foi durante o governo de Otávio Augusto. Por todo o Império, especialmente a capital, recebeu um grande número de obras arquitetônicas com influências variadas, incluindo elementos como arco e abóbada.

Sobre o lazer do povo, uma das formas mais comuns de se levar diversão eram as arenas de gladiadores. Foi a partir daí, inclusive, que surgiu a política do Pão e Circo no Coliseu. 

O Coliseu, localizado em Roma, foi palco de confrontos, muitas vezes até a morte entre gladiadores que se enfrentavam ou lutavam contra animais ferozes. O Pão e Circo foi justamente criado e aplicado para evitar que o grande número de homens livres se revoltassem contra o Estado.

Em termos de filosofia, a herança da Civilização Romana está na filosofia grega e nas correntes filosóficas como estoicismo, epicurismo, ceticismo e cinismo. O imperador Marco Aurélio foi considerado um grande filósofo estóico.

Outra enorme contribuição cultural romana foi o Direito Romano. O direito praticado hoje, aqui no Brasil, deriva de tradições e códigos de leis romanos, divididos nas áreas privado, estrangeiro e público. Até hoje, muitas expressões do mundo jurídico derivam de Roma e seu idioma, o latim. 

Línguas como o português, o francês, o italiano e o espanhol, entre outros idiomas, derivam diretamente do latim também.

Outro legado enorme da Civilização Romana foi o cristianismo, doutrina baseada nas pregações e na vida de Cristo. Basta observar que a própria hierarquia católica segue o padrão do Império, sendo o Papa (dentro da doutrina católica) comparado à figura do imperador.

Como terminou o Império Romano 

Ao estudar Império Romano para o Enem, é muito importante compreender como terminou esse período. Quando terminou a Idade Antiga, e teve início a Idade Média, por volta do século IV, o Império Romano do Ocidente sofria com as diversas invasões dos povos bárbaros. 

Sua sede no Oriente, conhecida como Império Bizantino, foi, aos poucos, virando uma das potências mais influentes na região entre Europa e Ásia da época.

Diante deste cenário e com inúmeras invasões, saques e destruições, Roma, que liderava o Império do Ocidente, foi definitivamente tomada em 476 d.C. 

Esse acontecimento marcou o fim do Império Romano do Ocidente e, a partir de então, manteve-se apenas o Império Romano do Oriente, chamado, posteriormente, de Império Bizantino.

E aí? Curtiu nosso resumo sobre Civilização Romana? Temos, ainda, um mapa mental sobre Império Romano incrível pra você estudar para o Enem!

O Descomplica tem o melhor curso online para o Enem e por um precinho que super cabe no bolso. Vem conhecer! 

Comentários

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Quer receber novidades em primeira mão?
Prontinho! Você receberá novidades na sua caixa de entrada.

Veja também

Separamos alguns conteúdos pra você

logo descomplica