O que é socialismo?


Você sabe o que é socialismo? Hoje vamos conhecer um pouco mais desse sistema de organização política e econômica

Você sabe o que é socialismo? O conceito é comumente usado de maneira ampla e diversificada, mas também muitas vezes incorreta. Para que possamos utilizá-lo da melhor forma é preciso conhecer o contexto histórico de seu desenvolvimento.

Neste artigo buscamos discutir a importância do pensamento socialista no contexto de intensa transformação social do século XIX, no qual ele surge, assim como seu desenvolvimento em experiências concretas de mudança político-social ao longo do séc XX.

O que é socialismo?
O que é socialismo?

Sobre terminologias

O termo “Socialismo” também abrange as diferentes correntes de pensamento que propuseram caminhos para a construção da sociedade comunista. Embora historicamente as experiências socialistas sejam identificadas com o comunismo, conceitualmente os termos socialismo e comunismo não são a mesma coisa

Contexto Histórico

Entre os séculos XVIII e XIX, no contexto da Revolução Industrial, o conceito de socialismo surge como uma alternativa ao sistema capitalista. Crítico quanto aos efeitos da industrialização e contrário a posse privada da propriedade, o socialismo trouxe uma nova maneira de compreender a realidade social a partir do desejo de modificá-la.

A sociedade industrial era dividida em dois grupos. A burguesia detinha os meios de produção (terras, indústrias e máquinas), enquanto o proletariado possuía apenas sua força de trabalho. Essa divisão favorecia o enriquecimento da burguesia enquanto o proletariado convivia com péssimas condições de trabalho e baixíssimos salários.

A jornada de trabalho diária variava das 12 às 18 horas. O relógio ditava o ritmo da vida cotidiana e as crianças eram submetidas ao mesmo ritmo brutal de trabalho. Com a urbanização desenfreada, os bairros populares onde residiam os trabalhadores tornavam-se verdadeiros amontoados, sofrendo com a falta de saneamento e a proliferação de doenças.

Objetivo

Frente a esse cenário, o Socialismo surge na proposta de criar uma forma de organização coletiva, onde o trabalhador não fosse mais explorado e tivesse acesso aos bens produzidos pela emergente sociedade industrial. Essa forma de organização baseava-se na posse comum das indústrias e terras por todos os membros da sociedade.

Ao longo da história diversas correntes elaboraram métodos distintos para se chegar a essa sociedade. Algumas dessas formulações foram muito importantes na definição do que hoje se entende por socialismo. Vamos conhecê-las mais de perto.

Socialismo Utópico e Socialismo Científico: diferenças

Socialismo utópico

Os primeiros socialistas ficaram conhecidos como utópicos. Essa denominação surgiu a partir da crítica que socialistas posteriores, sobretudo Marx e Engels, fizeram a seu pensamento. Eles elaboravam soluções para os problemas trazidos pela revolução industrial tendo em vista a convivência mútua entre todos os membros da sociedade, a partir da partilha comum de bens.

Henri de Saint Simon (1760-1825), por exemplo, defendia a tecnocracia como forma de governo e foi o primeiro teórico a utilizar o termo socialismo. Era contra a formação de uma sociedade ociosa e a exploração econômica de grupos de indivíduos sobre outros.

A proposta desses socialistas foi criticada como utópica pois propunha novos modelos de organização social sem fazer uma interpretação mais aprofundada da sociedade em que viviam. Eram vistos como meros “reformadores” da sociedade capitalista.

Podemos afirmar então que o socialismo utópico é caracterizado por:

  • Buscar a união entre as classes

  • Promover a cooperação entre as classes nas relações de trabalho

  • buscar a igualdade combatendo a desigualdade social

Socialismo científico

O Socialismo Científico foi elaborado e lançado por Marx e Engels. Sua proposta era superar o sistema capitalista a partir de uma compreensão científica de seu funcionamento. Essa abordagem ficou conhecida como Materialismo Histórico Dialético.

Por meio dessa concepção, os autores propõem a teoria de que as sociedades se estruturam a partir de suas relações materiais de produção. Tais relações sempre colocariam duas classes em conflito, e a partir desse conflito, ou luta de classes, as relações de produção seriam transformadas ao longo da história.

Seria esse processo que tornaria possível, por exemplo, a transição do sistema feudal para o sistema capitalista de produção. No capitalismo, segundo Marx, caberia à classe trabalhadora (proletários) a superação das relações capitalistas de produção, avançando para uma sociedade comunista onde não haveria mais classes sociais.

Para o autor, somente por meio de um governo socialista as desigualdades de classe deixariam de existir, com a abolição da propriedade privada dos meios de produção por meio do poder político. Assim a riqueza seria dividida igualitariamente entre os trabalhadores, em um processo de gradativa transição até a sociedade comunista.

Assim o socialismo científico se caracteriza pela:

  • abolição das classes sociais

  • Abolição da propriedade privada

  • Socialização dos meios de produção

  • Economia planificada

  • Abolição da diferenciação entre trabalho intelectual e trabalho material

Da teoria para a prática


Vladimir Lenin (1870-1924), fortemente influenciado pelas ideias de Marx, definiu socialismo como uma fase de transição entre o capitalismo e a sociedade comunista. Nesse contexto o Socialismo passa a ser concebido como etapa transitória na qual o poder político é ser exercido pelos trabalhadores.

Esta concepção ajudou a definir as experiências socialistas do século XX, caracterizadas pela instauração de governos que, orientados pela doutrina socialista, buscavam pela centralização econômica no Estado o progressivo estabelecimento da sociedade comunista.

Vale ressaltar que o pensamento socialista de fundo em tais experiências é originariamente aquele formulado por Marx e Engels, com contribuições feitas por outros pensadores, como Lenin, na Rússia

Algumas experiências históricas

Revolução Russa

Em 1917, um movimento que tinha como base os trabalhadores urbanos e soldados, se organizou motivado por uma proposta de cidade que fosse democrática e sobretudo se orientasse pela vontade da maioria. Houve então a derrubada do czarismo e a tomada do poder pelos assim chamados bolcheviques, liderados por Lenin, e em seguida por Trotsky, na Rússia.

Aos poucos outros países foram também sendo agregados ao bloco conhecido então por URSS, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Entre 1919 e 1921 países europeus que não aceitavam a revolução, como França, Alemanha e Inglaterra, tentaram invadir a URSS, mas o exército vermelho conseguiu derrotar os então contrarrevolucionários e expulsá-los do território Russo.

A situação era terrível devido à recente primeira guerra mundial, mesmo assim a propriedade privada foi extinta na União Soviética. A grande dificuldade foi mudar a estrutura da propriedade rural (que ainda era medieval) e a condição dos Camponeses.

Houve uma mudança na estrutura estatal e de serviços como saúde e educação. Para isso, foi necessário primeiro privatizar a terra, para depois torná-la coletiva.

Mao Tse-Tung e a China Comunista

Entre 1949 e 1976, na China, houve o período Maoísta, onde o líder chinês Mao Tsé-Tung liderou o país a partir de uma visão revolucionária em que todos os aspectos da sociedade deveriam ser baseados na ideologia socialista.

Fundador da República Popular da China, Mao foi também responsável por uma polêmica Revolução Cultural no País, conhecida como O Grande Salto para Frente. O plano econômico-social lançado transformou a China em um país socialista, recém saída de um cenário rural para um industrial.

Esse movimento também foi caracterizado por uma forte perseguição e eliminação de opositores políticos de Mao. Com a morte do líder em 76, a China passou por um progressivo processo de “desmaoização”, abrindo seu mercado para o ocidente.

Países que se consideram socialistas hoje

Atualmente alguns países mantém características de Estados socialistas. São eles:

  • República Moldava da Transnístria,

  • República Popular da China

  • República de Cuba

  • República Democrática Popular da Coreia do Norte

  • República Democrática Popular do Laos

  • República Socialista do Vietnã

É importante ressaltar que, apesar de adotar em seus nomes palavras como “Democrática”, “Socialista” ou “Popular”, muitos países não adotaram um regime socialista de fato.

As internacionais

  • A Associação Internacional dos Trabalhadores é fundada em 1864 por Marx e Engels e englobam diversas correntes do pensamento socialista e comunista e do espectro político de esquerda

  • Sua atividade era voltada para a organização da luta proletária ao redor do mundo, orientando políticas de partidos com metas e posicionamentos.

  • Após divergências políticas se realiza a Segunda internacional, em 1889, chamada também de Internacional Socialista ou Operária, sendo resultado de grandes esforços de Engels.

  • A Terceira Internacional, ou Internacional Comunista é fundada por Lenin em 1919 como uma cisão da esquerda revolucionária em resposta aos reformistas da organização.

  • Os congressos da Terceira Internacional, que eram anuais, deixam de seguir esse regime por determinação de Stalin, com o receio da influência da associação na luta particular de cada nação.

  • Além dos conflitos internos da associação, suas atividades também foram interrompidas por adventos como as duas grandes guerras.

  • Em 1951 é realizada a Internacional Socialista atual, que conta com a adesão de partidos de mais de cem países.

Socialismo: resumo

  • O Socialismo é um termo que se refere tanto a fase transitória entre a sociedade capitalista e a comunista quanto ao conjunto de teorias que pensam essa transição.

  • Como proposta de interpretação e intervenção da realidade, o Socialismo remete ao contexto da Revolução Industrial, entre os séculos XVIII e XIX.

  • O socialismo utópico de Saint-Simon, Fourier e Robert Owen consistiu nas primeiras interpretações e experiências alternativas ao capitalismo.

  • O socialismo utópico foi duramente criticado por Marx e Engels.

  • O socialismo científico propunha a superação da sociedade capitalista a partir de uma compreensão científica de seu funcionamento. Essa abordagem ficou conhecida como Materialismo Histórico Dialético.

  • Para alcançar o socialismo, um Estado deve abolir a propriedade privada e socializar os meios de produção

  • O Socialismo Científico de Marx e Engels incorporou novas contribuições teóricas (com Lenin e Mao Tse-Tung), inspirando experiências socialistas em seus respectivos países (China e Rússia).

  • O advento da revolução russa catalisa o desenvolvimento do pensamento socialista inspirando outras nações pelo mundo, com o surgimento partidos políticos de alinhamento socialista e revoluções, como a de Cuba.

  • O maior país autoproclamado socialista da atualidade é a China, com forte presença na política e economia no mundo. Mas há controvérsias sobre o atual modelo econômico chinês e sua adequação ao socialismo pela sua integração com o capitalismo e globalização.

  • Como projeto político, o socialismo é internacionalista, ou seja, busca ultrapassar as fronteiras nacionais em nome da integração de todos os trabalhadores do mundo.

Se você deseja mandar bem no ENEM, é preciso estudar todas as disciplinas! Para ficar em dia com as matérias de Sociologia, clique aqui.

Continue estudando
artigo
Post do blog

Liberalismo ou Comunismo? Adam Smith ou Karl Marx? Tire suas dúvidas sobre esses assuntos!

Ignorando a discussão dos Neoclássicos e dos Neoliberais, que tanto aparecem em nossas timelines do Facebook em qualquer área de comentários nas matérias de jornais, decidi voltar às origens inglesas e descobrir um pouco mais sobre Adam Smith e Karl Marx. Esse encontro de “feras” vai servir para explicar geograficamente a época, a economia e as batatas. Sim, batatas  – a coisa mais importante desse post. Vamos lá?