O que é Embriogênese?

Depois da formação dos gametas na gametogênese, pode ocorrer a fecundação, ou seja, o encontro entre essas células germinativas. A partir daí, sucede-se o desenvolvimento embrionário, ou embriogênese, onde veremos inúmeras divisões celulares que originarão outras células, processo conhecido como mitose. Inicialmente, as células formadas são iguais e, conforme vão acontecendo as divisões, elas vão diminuindo de tamanho, onde não há a diferenciação celular. Depois, ocorre essa diferenciação, que dará origem aos folhetos embrionários e, posteriormente, à organogênese, ou formação dos órgãos, como veremos adiante.

Desenvolvimento embrionário humano
Desenvolvimento embrionário humano

Clivagem, Mórula e Blástula

A clivagem corresponde às sucessivas divisões celulares iniciais para a formação do novo indivíduo. Inicialmente, não há diferenciação celular e, além da formação de novas células, há também a diminuição em seu tamanho. Da célula zigoto, são formadas duas células idênticas entre si. Depois, a partir dessas duas são formadas quatro células, também idênticas. Das quatro, são formadas oito e dessas são formadas dezesseis, assim sucessivamente. No intervalo entre 12 e 32 células, chamamos esse aglomerado celular de mórula. Este nome foi dado porque essas células juntas parecem uma amora.  Neste momento, as células migram para a periferia, dando origem a um espaço oco no interior, chamado blastocele. Essa fase é chamada de blástula e corresponde às células indiferenciadas, que também são chamadas de células-tronco.

Folhetos Embrionários e Organogênese

A blástula (originada pela mórula, quando as células migram para a periferia, originando a cavidade denominada blastocele) sofre uma invaginação para o interior do embrião invadindo o blastocele. Esta parte que passa a ficar no interior do embrião é chamada gástrula e dará origem ao sistema digestório do mesmo. Agora, o embrião terá dois folhetos embrionários: as células de fora, chamadas ectoderma, e as células que invaginaram, chamadas endoderma. Além disso, haverá um espaço no interior da gástrula conhecido como arquêntero (o tubo digestivo primitivo), e um buraco chamado blastóporo.

Esse blastóporo tem importância taxonômica, tendo em vista que o parentesco dos animais pode ser traçado a partir do que esse blastóporo vem a se tornar. Em animais protostomados, o blastóporo originará a boca, e esse é o caso da maior parte dos animais. Quando o blastóporo origina o ânus, no entanto, os animais serão conhecidos como deuterostomados, e é o caso dos cordados e dos equinodermos. A partir do dorso do embrião dos cordados, haverá um dobramento das células, formando um tubo neural, denominando a fase final da embriogênese como nêurula. Além disso, haverá a formação de um bastão rígido conhecido como notocorda, que sustenta inicialmente o embrião. Posteriormente, algumas células do endoderma darão origem ao mesoderma, que são células que ficam entre o ectoderma e o endoderma, como pode ser visto na figura. Durante a formação do mesoderma, há a formação de um espaço que abrigará os órgãos internos do animal, chamado celoma. Cada anexo embrionário originará, depois, os órgãos e seus consequentes sistemas. Vejamos cada um deles:

Folhetos Embrionários
Folhetos Embrionários
  • Ectoderma: originará a epiderme e suas glândulas anexas (glândulas lacrimais, sudoríparas, mamárias) e o sistema nervoso;

  • Endoderma: originará o tubo digestivo e suas glândulas anexas (pâncreas, fígado, baço e tireóide) e sistema respiratório;

  • Mesoderma: originará os tecidos conjuntivos (tecido sanguíneo, ósseo, cartilagenoso), tecido muscular, sistema reprodutor e urinário.

Vale citar que nem todos os animais formam, em sua gástrula, o mesoderma, apresentando apenas endoderma e ectoderma, já que possuem apenas duas camadas de células. Esses animais são conhecidos como diblásticos, e são representados pelos cnidários.

Os demais animais são triblásticos, ou seja, apresentam os três folhetos embrionários, sendo diferenciados com relação ao celoma. Platelmintos não apresentam celoma, sendo seu mesoderma maciço, logo, são denominados acelomados.

Nematelmintos apresentam celoma, no entanto, ele não é totalmente formado pelo mesoderma, tendo a cavidade digestiva delimitada no espaço externo pela epiderme. Sendo assim, esses animais são chamados pseudocelomados.

Os demais animais apresentam celoma verdadeiro, delimitado tanto na parede interna quanto na parede externa pelo mesoderma, sendo denominados celomados.

Esquema dos três grupos.
Esquema dos três grupos.

Exercícios sobre Embriogênese

1. (Unicamp) As fases iniciais do desenvolvimento embrionário do anfioxo estão representadas nas figuras a seguir:

a) Identifique essas fases.

b) Descreva as diferenças de cada uma delas em relação à fase anterior.

2.  (Ufpr) “Entre os cerca de 75 trilhões de células existentes em um homem adulto são encontrados em torno de 200 tipos celulares distintos. Todos eles derivam de células precursoras, denominadas ‘células-tronco’. A célula-tronco prototípica é o óvulo fertilizado (zigoto). Essa única célula é capaz de gerar todos os tipos celulares existentes em um organismo adulto. […] As células-tronco embrionárias são estudadas desde o século XIX, mas há 20 anos dois grupos independentes de pesquisadores conseguiram imortalizá-las, ou seja, cultivá-las indefinidamente em laboratório. Para isso, utilizaram células retiradas da massa celular interna de blastocistos (um dos estágios iniciais dos embriões de mamíferos) de camundongos.”

(CARVALHO, A. C. C. de. “Células-tronco. A medicina do futuro”. CIÊNCIA HOJE, v. 29, n. 172, jun. 2001. p. 26-31.)

Com base nas informações do texto e nos conhecimentos sobre o assunto, é correto afirmar:

(01) O zigoto ou ovo resultante da fertilização deve sofrer uma série de divisões celulares, que iniciam no processo de clivagem para originar um organismo multicelular complexo.

(02) O blastocisto corresponde à fase de blástula no mamífero e contém células capazes de originar diferentes tipos celulares.

(04) Uma célula-tronco embrionária é aquela que pode se diferenciar em um único tipo celular durante o processo de desenvolvimento.

(08) O zigoto pode ser considerado uma célula totipotente, pois pode dar origem a todos os tipos celulares de um organismo, inclusive os gametas.

Soma ( )

Gabarito

1.

a) A: Zigoto B: Mórula C: Blástula D: Gástrula E: Nêurula

b) O zigoto origina uma mórula após entrar em segmentação (ou clivagem), sendo a mórula pluricelular e sem cavitação interna. A blástula, originada à partir da mórula, apresenta uma camada celular externa (blstoderme) e uma cavidade denominada blastocele. A gástrula, formada por embolia, à partir da blástula, apresenta dois folhetos, ectoderme e endoderme, uma cavidade (arquêntero) e um orifício, o blastóporo. Segue-se a nêurula que apresenta três folhetos germinativos: ectoderme, endoderme e mesoderme, formam-se o tubo neural, a notocorda e os somitos mesodérmicos.

2. 01 + 02 + 08 = 11

Continue estudando
Post do blog

Mapa Mental: Gametogênese e Embriogênese

Você não precisa mais ter dúvidas em Gametogênese e Embriogênese! Este mapa mental te explicar tudo para que você arrase na sua prova!
artigo
Post do blog

Questões comentadas: Embriogênese

Leia o resumo “O que é Embriogênese?” e resolva os exercícios abaixo.
artigo