• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Entenda como ser um investigador criminal e saiba como atuar nessa área!

As famosas histórias de detetive e séries de investigação criminal já constituem o imaginário da população. Alguns amantes da profissão, entretanto, se identificam com o trabalho de um perito e buscam aprofundamento maior sobre como ser um investigador criminal.

É verdade que muitas das características dos filmes policiais se refletem na prática. Do perito, por exemplo, são exigidos capacidade de observação e raciocínio lógico pra interligar fatos. Por outro lado, a realidade do investigador pode se diferenciar da ficção.

Pensando nisso, e buscando esclarecer dúvidas sobre a profissão e a carreira, a gente elencou alguns esclarecimentos sobre o tema. Fica ligado!

O que faz um investigador criminal?

Antes de explicar o que faz um perito e como ser um investigador criminal, é importante destacar como funciona a resolução de crimes no país. Como se sabe, o Direito Penal é de ordem pública. Isso quer dizer que o poder de apurar fatos e punir alguém é do Estado

Assim, ao contrário das normas de Direito Privado, a solução não pode se dar entre particulares. Dessa forma, o trabalho do investigador criminal deve ser desenvolvido exclusivamente em órgãos públicos e institutos de criminalística de cada estado do país. 

O profissional atuará próximo dos policiais civis e delegados ou perante a Justiça Estadual na busca por provas que possam elucidar diversos tipos de crimes. Esses, vão desde acidentes de carro até incêndios, falsificação de documentos e homicídios. Entre as atividades que um perito pode desenvolver, estão:

  • extração de informações em computadores e celulares;
  • verificação de substâncias ilícitas apreendidas;
  • conferência de documentos em casos de fraude;
  • estudo de material genético;
  • emissão de laudos técnicos em processos judiciais.

Como é o mercado de trabalho?

Tendo em vista a natureza do ofício do perito, as oportunidades no mercado de trabalho estão concentradas nos órgãos do Estado. E, como se sabe, pra se tornar um funcionário público é preciso passar por um concurso.

A boa notícia é que há uma infinidade de frentes de atuação pra quem opta por seguir na carreira. Isso porque, há diversos tipos de crime. Cada um deles demanda um conhecimento específico do profissional pra solução do caso.

Um crime cibernético, por exemplo, exige o saber na área de informática. Uma cena de homicídio, por outro lado, pode demandar um conhecimento em Medicina pra atestar a causa da morte. Do mesmo modo, a análise de material genético, de impressões digitais ou amostras de sangue permitem a atuação de outros domínios científicos.

Em alguns casos, é possível trabalhar como perito autônomo, já que na falta de profissionais com conhecimento específico, o juiz pode indicar pessoas não concursadas pra contribuir pontualmente no processo penal e emitir laudos e pareceres. 

Qual é a formação exigida de um perito?

Sendo diversos os tipos de crime, as áreas da perícia criminal também são bastante abrangentes. Ou seja, não há uma única especialidade exigida pra prestar o concurso público. Confira, então, algumas das áreas pra se tornar um investigador criminal!

Contabilidade

Essa área da perícia trabalha com crimes que envolvem finanças e exigem a produção de provas a partir de extratos e outras informações contábeis. Como exemplo, é possível mencionar os casos de lavagem de dinheiro e sonegação de impostos, nos quais podem atuar profissionais das Ciências Contábeis.

Química

Profissionais da Química e da Farmácia também podem verificar como ser um investigador criminal. Nesse caso, é possível atuar em análises de laboratório pra verificação de drogas, alimentos, bebidas e agrotóxicos. Um caso clássico de contribuição em crimes pelo profissional é na identificação de envenenamento.

Engenharia

Essa área da perícia é um pouco menos conhecida, porém tem relevância na solução de diversos casos. Como exemplo, destacam-se os crimes que envolvem superfaturamento de obras, desmoronamentos e incêndios. Outras situações são os crimes ambientais e furtos de energia. Acidentes aéreos também podem demandar um parecer do profissional.

Medicina

A medicina forense é um dos mais conhecidos ramos da perícia criminal por conta da atuação no Instituto Médico Legal (IML). O profissional que opta por esse segmento, no entanto, não apenas trabalha na verificação da causa da morte em crimes, mas também pode constatar abusos e lesões corporais em vítimas.

Informática

A informática, conforme já introduzido, é aquela área capaz de investigar crimes cometidos por intermédio de dispositivos eletrônicos, computadores e outras tecnologias. A partir da digitalização acelerada, a tendência é que o trabalho do investigador computacional seja cada vez mais requisitado no mercado.

Direito

Por último, a formação em Direito é de grande relevância pra investigação criminal. Trata-se de um dos cursos mais buscados pelos estudantes, já que contribui pra entrega de laudos com uma linguagem mais técnica e próxima do juiz encarregado do caso.

Outra vantagem é que, nos concursos públicos, geralmente exigem-se conhecimentos básicos em Direito Penal, Direito Processual Penal e noções de Direito Constitucional.

Como ser um investigador criminal?

Em primeiro lugar, pra saber como ser um investigador criminal é preciso ter o diploma universitário na área de interesse. É importante, também, uma especialização que garanta um conhecimento aprofundado sobre a profissão. No Descomplica, por exemplo, você pode fazer uma Pós-Graduação em Investigação Criminal e Psicologia Forense. 

Por meio do curso, é possível reunir conhecimentos em diversas áreas importantes pra resolução de crimes. O aluno que se inscreve ainda aprende a elaborar pareceres e desenvolve habilidades importantes pra se tornar um expert no assunto.

Em segundo lugar, é indispensável conferir a abertura de editais e ir se preparando pro concurso público. Geralmente, eles são lançados por órgãos relacionados ao policiamento e à Justiça, por exemplo, o Ministério da Segurança Pública pra cargos na Polícia Federal.

Nesse sentido, vale estar atento aos conteúdos mais cobrados dentro da sua especialidade. Assim, quando houver a criação de novas vagas, você estará preparado pras avaliações.

Sem dúvidas, a perícia criminal é uma carreira de grande responsabilidade. Por essa razão, demanda anos de estudo e especialização. Nesse sentido, é importante que aqueles que desejam seguir na área busquem faculdades de excelência no mercado.

A Faculdade Descomplica, por exemplo, é uma grande opção. Além de instruir em como ser um investigador criminal e formar pessoas capacitadas pra atuação prática, a instituição oferece as melhores condições de estudo. Com formato 100% digital, o aluno tem flexibilidade pra adaptar a rotina de aulas sem abrir mão da qualidade do ensino.

E aí? Curtiu o conteúdo? Então, finaliza lá sua inscrição na Pós-Graduação Online em Investigação Criminal e Psicologia Forense!