• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Conheça os 7 pilares e arrase na gestão escolar da sua instituição de ensino!

Já se foi o tempo em que cuidar de uma escola demandava se responsabilizar apenas pela contratação de professores e pelas questões burocráticas. Agora, uma instituição de ensino também precisa contar com a visão estratégica da gestão escolar.

Sabe o que isso significa? Olhar para todas as pessoas e os processos gerenciais que fazem parte do ambiente educativo. 

Ou seja, é necessário cuidar desde assuntos mais simples, como a compara de materiais de limpeza, até os mais complexos, como a evasão escolar e a insatisfação dos estudantes.

Pode parecer complicado, mas saiba que tudo pode ser resumido nos 7 pilares da gestão escolar, e é sobre eles que a gente vai falar a partir de agora. Então, acompanhe!

gestão escolar – livros com uma maçã em cima e cubos com letras

O que é a gestão escolar?

A gestão escolar envolve os processos de planejamento, organização, direção e ações corretivas no ambiente educativo. 

Desse modo, a ideia é que essas práticas promovam um ensino de qualidade, garantam satisfação (de pais, família, funcionários) e, ainda, levem a instituição de ensino ao crescimento.

gestão escolar – crianças em atividades educativas em sala de aula

Qual a importância da gestão escolar?

Saber desenvolver uma boa gestão escolar é importante por diversos motivos:

  • promove melhor educação, que é uma forma de transformar pessoas e evoluir o país;
  • evita a evasão escolar, ou seja, o abandono dos estudos;
  • identifica e resolve situações-problema;
  • ajuda o gestor a intervir a tempo, garantindo melhores resultados;
  • evita falência, ou mesmo, a má-reputação da escola;
  • leva a tomar decisões mais certeiras, como a contratação de professores.
 pessoa sorrindo e segurando um rolo de diploma

Quais os 7 pilares da gestão escolar?

Bem, agora que você entendeu o conceito e a importância, então, está na hora de conferir os pilares da gestão escolar!

1. Gestão pedagógica

O primeiro pilar se refere à definição de métodos e formas de transmitir o conhecimento aos alunos. E são vários as metodologias possíveis.

Por exemplo:

  • a escola vai adotar metodologias ativas de aprendizagem, ou seja, aprendizagem baseada em problemas e gamificação? 

Ou então:

  • é melhor seguir com métodos mais tradicionais, em que o professor é quem comanda tudo?

Também faz parte desse pilar avaliar as vantagens que cada uma dessas metodologia apresenta e se elas combinam com o perfil dos estudantes. E mais:

  • que recursos os professores vão precisar para dar aula?
  • que materiais os estudantes vão precisar adquirir?
  • quais habilidades os professores precisam ter?
  • como manter os alunos interessados e, ao mesmo tempo, facilitar o aprendizado?
  • e com relação ao planejamento curricular? Quais conteúdos vão fazer parte e quando serão dados?

2. Gestão administrativa

A gestão administrativa é outro pilar indispensável em quaisquer áreas da educação. Ela corresponde à união de várias partes:

  • estrutura da instituição de ensino,
  • recursos físicos,
  • recursos materiais;
  • recursos financeiros;
  • entre outros.

E o que isso envolve?

Bem, são as famosas questões burocráticas, mas que devem estar estreitamente conectadas à estratégia.

Por exemplo, é necessário pensar desde os insumos para a limpeza até às obrigações impostas pelo MEC (Ministério da Educação), além das diretrizes do Plano Nacional de Educação. 

Além disso, as escolas que atendem adolescentes precisam avaliar critérios do novo Ensino Médio.

E ainda, faculdades devem analisar a infraestrutura para os laboratórios de prática e estágios, especialmente, se forem importantes para os cursos. 

3. Gestão financeira

Um dos principais objetivos da instituição de ensino é colocar os alunos no centro para que eles e as famílias se sintam satisfeitos. Mas, isso não significa deixar a questão financeira de lado, ok? 

O setor ou o gestor financeiro é, então, outro pilar que ajuda a equilibrar a gestão escolar. Então, é preciso:

  • controlar gastos fixos e variáveis, para pagar tudo em dia;
  • fiscalizar os inadimplentes;
  • programar o dinheiro a receber com as mensalidades e novas matrículas;
  • monitorar investimentos da instituição (desde ações até os recursos para melhorar o ensino);
  • fiscalizar o patrimônio;
  • verificar necessidade de aumentar o lucro.

4. Gestão de pessoas

É claro que todo mundo que trabalha na escola ou na faculdade é importante! Então, os professores, os servidores da limpeza, as pessoas da recepção, o pessoal da portaria: cada um tem uma função especial para fazer a instituição funcionar.

Além do mais, são essas pessoas que vão ajudar a perpetuar os valores e os objetivos estratégicos. Por isso, todos e todas devem estar alinhades às crenças e à cultura organizacional.

Desse modo, é importante cuidar de cada um. Então, isso demanda, por exemplo:

  • promover condições adequadas e seguras para função;
  • garantir motivação e boa saúde mental; 
  • verificar necessidade de aprimoramento e reciclagem;
  • analisar habilidades relevantes. Por exemplo, quais competências o professor de Português deve ter? E o de Química?
  • garantir os direitos nas leis trabalhistas.

5. Gestão da comunicação

Quer ter uma boa gestão escolar? Então, entenda a importância da comunicação! Ela precisa ser clara e honesta, tanto de forma interna quanto externa.

É a comunicação que ajuda alunos, professores e famílias a caminharem lado a lado, com cooperação mútua. Ela deixa os professores conscientes do próprio trabalho, as famílias mais engajadas, e ainda, os alunos mais responsáveis.

Além disso, a direção tem, ainda, outro papel importante nesse pilar: muitas vezes, é ela que serve de ponte ou de elo para todo mundo se entender, ouve as críticas de cada lado e, desse modo, tenta resolver possíveis conflitos.

Já a comunicação externa tem a ver com a forma como a escola ou a faculdade se posiciona no mercado. Por exemplo: marketing, branding e estratégias de captação de alunos.

6. Gestão de tempo

O tempo na gestão escolar está diretamente ligado à produtividade e à eficiência dos processos. Um dos papéis do gestor aqui é saber delegar tarefas, além de avaliar se os professores estão conseguindo utilizar bem o tempo de cada aula.

Dificuldades nesse ponto podem significar falhas na parte administrativa ou, ainda, prever problemas futuros.

Quer um exemplo? Imagine uma turma do 3º ano do ensino médio se preparando para o vestibular. Agora, pense na dor de cabeça que a escola teria se as disciplinas não fossem dadas a tempo de finalizar o ano letivo!

7. Gestão tecnológica

O sétimo pilar tem influência da revolução tecnológica. Hoje, é difícil pensar na promoção de um ensino de qualidade e dinâmico sem a adoção de certas tecnologias. 

A gamificação na sala de aula, por exemplo, é um jeito criativo de prender a atenção dos estudantes e facilitar a sedimentação do conteúdo.

Já o EAD é uma ótima opção para ampliar o ensino, principalmente para estudantes que procuram flexibilidade e autonomia.

Enfim, entenda esses pilares como as pernas de uma mesa. Precisam ter o mesmo tamanho e firmeza, caso contrário, fica bamba e pode cair. 

Então, se você é a pessoa responsável pela gestão escolar, saiba que investir nos seus  conhecimentos é, também, apostar no futuro da sua instituição de ensino, viu? Por isso, não se esqueça de se capacitar!

Falando nisso, já conhece o precinho especial e a praticidade dos cursos do Descomplica? Que tal dar uma olhada no nosso MBA Online em Gestão Escolar?