Quer ficar por dentro das novas questões do Enem?

Cadastre-se e receba um aviso sempre que novas questões estiverem disponíveis!

Questão 63

Desde o mundo antigo e sua filosofia, que o trabalho tem sido compreendido como expressão de vida e degradação, criação e infelicidade, atividade vital e escravidão, felicidade social e servidão. Trabalho e fadiga. Na Modernidade, sob o comando do mundo da mercadoria e do dinheiro, a prevalência do negócio (negar o ócio) veio sepultar o império do repouso, da folga e da preguiça, criando uma ética positiva de trabalho.

ANTUNES, R. O século XX e a era da degradação do trabalho. In: SILVA, J.P. (Org.). Por uma sociologia do século XX. São Paulo: Annablume, 2007 (adaptado).

O processo de ressignificação do trabalho nas sociedades modernas teve início a partir do surgimento de uma nova mentalidade, influenciada pela

  1. reforma higienista, que combateu o caráter excessivo e insalubre do trabalho fabril.
  2. Reforma Protestante, que expressou a importância das atividades laborais no mundo secularizado.
  3. força do sindicalismo, que emergiu no esteio do anarquismo reivindicando direitos trabalhistas.
  4. participação das mulheres em movimentos sociais, defendendo o direito ao trabalho.
  5. visão do catolicismo, que, desde a Idade Média, defendia a dignidade do trabalho e do lucro.

Comentário da questão

Durante a reforma protestante criou-se a ideia de que “o trabalho dignifica o homem”, fazendo com que o homem aceitasse melhor sua condição de exploração dentro das relações de trabalho estabelecidas.

Equipe Descomplica
A melhor equipe de professores do Brasil ;)

Gabarito da questão

Opção B

Questões correspondentes

83 50 58 0

Assunto