Blog Descomplica

Gestão de Dados: saiba tudo sobre o curso

O curso de Gestão de Dados une conceitos empresariais e tecnológicos para formar profissionais bem qualificados para o mercado. Saiba mais!
porDescomplica| 14/07/2021

Compartilhe

Pensando em dar start no seu planejamento de carreira com o curso de Gestão de Dados? A formação se baseia nas tarefas de coleta, manutenção e uso das informações, cada vez mais úteis no mercado.

A ideia tem espaço nas empresas graças à necessidade de construir boas estratégias de gerenciamento. Por isso, conta com uma série de práticas e políticas.

Mas talvez você ainda esteja se perguntando por que fazer uma graduação. Se esse for o caso, existem várias razões que você pode levar em conta.

  1. A primeira é a estabilidade financeira, já que profissionais formados ganham mais do que quem não tem graduação.
  2. A empregabilidade é outro ponto que vale reparar. Afinal, pessoas qualificadas costumam ter boa procura no mercado.

Os cursos ainda são uma oportunidade pro desenvolvimento pessoal, ampliando sua visão de mundo e sendo uma oportunidade pra aprender várias coisas.

Quando as aulas são sobre seus assuntos favoritos, a absorção de conhecimento é ainda maior. Mas, afinal, será que o curso de Gestão de Dados é a opção ideal pra você?

A gente esclareceu esse rolê e você vai descobrir a resposta pra essa pergunta nos próximos tópicos. Bora lá?

gestão de dados - mãos humanas teclando no notebook

O que é Gestão de Dados?

A Gestão de Dados é o trabalho que envolve o uso de informações pra tomar decisões em uma empresa. Pra isso, passa por alguns processos. Por exemplo, a coleta, o armazenamento, o acesso, a análise e por aí vai.

Aqui, a principal razão pela qual as empresas apostam na ideia é a necessidade de fazer escolhas com base em ideias confiáveis.

Uma das formas de entender o conceito é a partir dos seus princípios. O primeiro é a relevância. Isso significa que as informações são valorizadas e usadas como ativo corporativo.

Também há a qualidade. Afinal, não adianta tomar decisões com base em dados ruins, né? A gestão de riscos é outro ponto importante, principalmente em relação à segurança. Preocupações como a Lei Geral de Proteção de Dados são um exemplo.

A federação é outro princípio que faz parte do conceito, representada pela necessidade de padrões pras estruturas de dados. Já a colaboração revela como o trabalho de Gestão de Dados não é individual.

Por fim, há a inovação, mostrada pela necessidade de reinventar os processos, e a contextualização, trazendo sentido às informações.

gestão de dados - gráficos de dados em destaque na tela do notebook

Por que a Gestão de Dados é importante?

Você já reparou em como os dados estão presentes na rotina da maior parte das pessoas? Isso vai desde os aplicativos de GPS até a previsão do tempo. Esse movimento é chamado de “economia dos dados” e mostra como as informações estão se tornando um ativo valioso.

As preocupações com seu uso indevido surgiram graças a essa tendência e é uma das razões pelas quais as novas leis de segurança surgiram.

Isso também traz à tona a importância da Gestão de Dados, principalmente em grandes volumes. Isso é chamado de Big Data, o trabalho de cuidar de dados com uma abrangência maior.

Assim, as decisões baseadas no tradicional achismo ficam em segundo plano. Essa ideia é parte da “transformação digital”, o movimento que se propõe a tornar a interação entre homem e máquina mais natural.

Um dos ganhos é a melhoria no processo analítico. Os dados podem ser combinados a outras tecnologias, como Machine Learning e Inteligência Artificial.

Ideias como a modelagem preditiva, fruto desse processo, são úteis pra que as empresas identifiquem as opções mais rentáveis ou tenham bons processos de precificação.

gestão de dados - pessoa analisando dados na tela do notebook

O que você precisa saber sobre a área?

A primeira coisa em que vale prestar atenção em relação à Gestão de Dados é a possibilidade de gerar vantagem competitiva.

Com as informações, é possível entender melhor os consumidores, criar campanhas bem-feitas e aprimorar os produtos. Por isso, pode ser uma opção pra lidar com a concorrência útil, por exemplo, pros alunos que querem abrir o próprio negócio.

A segurança da informação ainda pinta como um fator essencial. Sabe aquele papo sobre leis? Então, aparece aqui. Proteções como criptografia e firewall sempre são válidas, assim como bons serviços de backup.

A Gestão de Dados também diminui custos, reduzindo, por exemplo, a redundância dos dados. Desse modo, a maior parte dos negócios consideram a Gestão de Dados importante na elaboração de uma estratégia de sucesso.

Aqui, a prioridade é melhorar a experiência do cliente, usando o processo como um meio. Ainda assim, existem várias funções que são associadas à Gestão de Dados.

Um exemplo é a arquitetura, definindo quais são as informações necessárias de acordo com o planejamento estratégico. Os metadados também pesam, sendo o trabalho feito em relação ao significado dos dados em si.

gestão de dados - pessoa teclando e analisando dados no notebook

Como é o curso de Gestão de Dados?

Que tal aprender a converter dados em informações de valor empresarial? A formação em Gestão de Dados é pensada justamente com base nisso.

O curso é multidisciplinar e é pensado em formar profissionais completos pra atender às demandas do mercado. Você pode ver o spoiler de algumas disciplinas a seguir.

Coaching e Planejamento de Carreira

O universo do Coaching está em alta na internet e talvez você já tenha ouvido falar no assunto. O termo nasce do inglês e tem o significado de “treinador”.

A função de um coach é ajudar um cliente a atingir um objetivo específico. Por isso, costuma partir da elaboração de um plano com metas tangíveis. O que isso tem a ver com a Gestão de Dados?

A resposta é simples. Sabe aquele papo de interdisciplinaridade? Então, embora o curso tenha um foco na tecnologia, ainda faz parte da Gestão.

Os conceitos da matéria ajudam, entre outras coisas, a despertar o potencial dos liderados. Assim, é possível avaliar o próprio progresso e entender quais são os pontos em que é preciso focar pra conquistar o objetivo.

A ideia se baseia nos princípios da Psicologia Positiva, uma abordagem que se debruça sobre as questões ligadas à felicidade. Por isso, o Coaching costuma levar em conta pontos como o aprendizado, o autoconhecimento, as metas, as crenças limitantes e por aí vai.

Pesquisa de Mercado

A Pesquisa de Mercado é um trabalho feito majoritariamente com base em dados pra atender às necessidades do mercado e essa é uma das razões pelas quais o assunto é estudado. A ideia é trazer à tona informações ligadas às empresas e ao público em um nicho específico.

Desse modo, a ferramenta é útil pra diminuir os riscos e perceber oportunidades. Há a pesquisa primária, quando o negócio faz a busca, e a secundária, em que as informações são coletadas por terceiros.

Por isso, o assunto passa por alguns pontos. Por exemplo, elaboração do objetivo, definição do público-alvo, definição da amostragem e criação do roteiro.

O modelo ainda é muito usado e frequentemente entrega bons resultados. Embora nem sempre seja difícil coletar um volume alto de dados, sua organização costuma exigir atenção.

Nem sempre o estudo se baseia unicamente em observar o que os concorrentes estão fazendo. O ideal é conhecer o ambiente de negócios e entender as necessidades ainda não exploradas.

Assim, é possível levantar informações sobre a viabilidade de uma iniciativa, testar novas ideias, criar um segmento, descobrir informações importantes e por aí vai. Desse modo, a matéria também é útil pros alunos empreendedores.

Comunicação Empresarial

A Comunicação Empresarial é uma das atividades mais importantes na hora de promover a imagem de uma empresa. É por meio dela que um negócio se conecta com clientes e profissionais.

Por isso, costuma exigir um discurso bem alinhado, abrindo portas e engajando. Segundo uma pesquisa da RP Holmes Report, quase metade das empresas com líderes que sabem se comunicar conseguem resultados melhores.

Ainda assim, o assunto é mais complicado do que parece. A razão é o fato de existirem muitas partes interessadas diferentes. Isso inclui profissionais, acionistas, investidores, consumidores e por aí vai.

O ideal é contar com uma estratégia diferente pra cada um. O conceito não se resume a transmitir mensagens, mas envolve também a criação de relacionamentos. Aqui, vale diferenciar a Comunicação Empresarial da Organizacional.

No segundo caso, a ideia diz respeito a qualquer tipo de organização. Por exemplo, ONGs e associações não empresariais.

Já o primeiro se resume unicamente na comunicação voltada aos negócios, ideal pros futuros gestores.

A ideia ainda contribui nos sentimentos dos próprios profissionais, melhorando o ambiente da empresa.

Gestão Empresarial

Quando a maior parte das pessoas fala de Gestão, a Empresarial costuma ser o primeiro tipo a cruzar a mente.

Nasce da ideia de conduzir um negócio aos resultados que fazem mais sentido, organizando os processos, cuidando das finanças e gerindo as pessoas.

O conceito envolve as várias áreas do negócio e a matéria costuma ser fonte de aprendizado.

Embora possa parecer simples, a Gestão Empresarial conta com várias nuances. Isso porque, ser proprietário de uma empresa não faz necessariamente de alguém gestor.

Por isso, há uma série de ferramentas e conceitos em que vale prestar atenção. O assunto é abrangente e se relaciona com pontos como metas, planejamento, compras, contratações e por aí vai.

Já imaginou qual seria o futuro de uma empresa que gasta mais do que seu faturamento? Ou que conta com equipamentos defasados? A ideia da Gestão Empresarial é justamente contornar esse tipo de problema.

Às vezes, uma má administração pode fazer com que uma empresa feche as portas e essa é uma das razões pelas quais seu estudo é tão importante.

Coleta de Dados

A Coleta de Dados é um trabalho que envolve a reunião de informações com base em técnicas de pesquisa. Essa é uma forma de entrar em contato com as fontes e é uma das primeiras etapas dos trabalhos que envolvem Gestão de Dados.

As coletas podem ser divididas em algumas categorias. A contínua, por exemplo, faz o registro à medida que os eventos acontecem.

A periódica, por sua vez, segue um ciclo determinado. Já a ocasional é realizada apenas quando surge a necessidade, sem a preocupação com frequência.

No mundo digital, as informações podem aparecer por meio de atividades de interações virtuais. Por exemplo, cliques em sites ou preenchimento de formulários online.

Em algumas empresas, isso é uma preocupação rotineira, trazendo espaço no mercado pros profissionais especializados no assunto.

Aqui, o alvo é saber mais sobre a percepção do público, o desempenho do negócio, os resultados do mercado e vários outros pontos.

Na prática, os dados traduzem as coisas mais importantes que uma empresa precisa saber.

Administração de Dados

Não basta apenas coletar os dados: também é preciso saber o que fazer com eles. Então, a administração é a tarefa voltada pra isso. Desse modo, faz uso de algumas ideias, como homologação e documentação.

O administrador de dados não só lida com os modelos, mas disponibiliza pro entendimento dos outros profissionais. O processo permite mais conhecimento do contexto da empresa.

Às vezes, o profissional responsável pela administração faz parte de uma equipe mais ampla. Assim, dá suporte pra analistas e desenvolvedores.

Afinal, pra que esses trabalhos sejam bem-feitos é preciso um banco de dados que funcione.

Com a documentação, o trabalho diminui as redundâncias. Assim, os dados se tornam ativos digitais, materiais criados pela gestão. Por exemplo, as métricas, as checklists e os padrões.

Outra atribuição é a atualização dos modelos de dados corporativos. Isso passa por cuidar das estruturas lógicas e físicas, seguindo a política das empresas.

Se os vários setores trabalham com informação, é esse o responsável por fazer com que as áreas trabalhem com dados de qualidade.

Métodos quantitativos aplicados aos negócios

Você já parou pra pensar na quantidade de variáveis que uma empresa precisa pra tomar decisões? É por meio delas que as escolhas se tornam consistentes e os objetivos podem ser alcançados mais facilmente.

E qual o papel dos Métodos Quantitativos Aplicados aos Negócios? Na prática, usar conceitos de Ciências Computacionais, Estatística e da Matemática pra produzir informações numéricas que dão suporte ao planejamento estratégico.

Embora o nome da matéria possa parecer difícil, você provavelmente conhece por termos mais simples. Matemática Aplicada, Economia Numérica e Administração Científica são alguns exemplos de sinônimos.

Assim, torna-se possível fazer previsões com base em Probabilidade e Estatística pra estimar o resultado de uma decisão específica.

Um exemplo de uso é a elaboração de novos produtos. Com as ferramentas, é possível fazer uma análise mais precisa de riscos em relação a cada alternativa.

Ainda dá pra dimensionar de forma correta a produção de alguma mercadoria, escolher onde fazer uma instalação, relacionar elementos pra executar tarefas e por aí vai.

Assim, a matéria prepara os alunos pra uma vida de otimizações profissionais.

Plataforma de Big Data

Lembra do Big Data que citamos no início do texto? Então, o assunto também é uma matéria do curso de Gestão de Dados. Embora pareça ser um conceito muito recente, o termo pintou pela primeira vez em 2005.

De lá pra cá, o volume de informações só cresceu. Esse é um dos assuntos centrais de quem quer trabalhar na área, já que as empresas aproveitam os rastros digitais pra criar, entre outras coisas, campanhas melhores.

Por mais que o conceito possa parecer restrito às salas dos profissionais de TI, na prática, você provavelmente entra em contato com Big Data diariamente.

Talvez isso tenha acontecido há poucos minutos, ao pesquisar uma palavra-chave em um mecanismo de busca e entrar neste texto. Isso acontece porque os algoritmos precisam processar grandes volumes de dados.

As informações são divididas em alguns tipos:

  • o social data, produzido a partir das interações na web, é um exemplo;
  • o personal data é outro, gerado pela Internet das Coisas em geladeiras, relógios, carros inteligentes e por aí vai;
  • por fim, há o enterprise data, produzido a partir dos processos das empresas.

Comportamento Humano

Pensar nas necessidades de mercado também envolve o estudo do comportamento do consumidor. O público-alvo é diverso e exige mais dedicação das empresas.

Parte dessa mudança tem a ver com a capacidade atual de processar dados, mudando a forma na qual os clientes são conhecidos. Por isso, há a análise de perfis psicológicos, grupos sociais e vários outros pontos.

O Comportamento do Consumidor é simbolizado por tudo o que influencia alguém a tomar uma decisão de consumo.

Um dos principais usos está no universo do Marketing, debruçando-se sobre as necessidades e desejos do público. Assim, as empresas podem ter soluções que fazem sentido pras principais demandas do público.

Desse modo, torna-se possível manter um relacionamento mais saudável com os clientes. Existem alguns fatores que influenciam no Comportamento Humano.

A cultura, por exemplo, costuma refletir a visão de mundo de cada um e tem um peso importante nas decisões de consumo. As roupas representam bem essa ideia, servindo como símbolos culturais.

gestão de dados – mão mexendo no tablet e analisando dados no papel

Como é o mercado de trabalho para os formados em Gestão de Dados?

Em alguns ambientes, os dados são vistos como um tipo de capital. Isso significa que é um fator econômico, importante na produção de produtos que envolvem tecnologia. Assim como uma empresa não produz relógios sem capital financeiro, é impossível produzir smartwatches, por exemplo, sem dados que façam os algoritmos funcionarem.

Isso faz com que surjam várias áreas de atuação pros profissionais formados em Gestão de Dados, como as que você vai ver a seguir.

Analista de Dados

O Analista de Dados coleta, analisa, interpreta e compila tudo o que é registrado pela empresa. Sabe quando citamos a coleta de dados? Então, esse é um dos profissionais responsáveis. Os objetivos são vários, frequentemente ligados a benefícios pra uma empresa. Isso vai desde campanhas de Marketing até tomada de decisão nos Processos Gerenciais.

Os profissionais trabalham a partir de um bom entendimento de dados desestruturados, vindos de várias fontes. Isso inclui e-mails, ferramentas de automação, planilhas e por aí vai. Às vezes, isso é feito operando sistemas que automatizam algumas dessas etapas. Assim, torna-se possível entender uma empresa por perspectivas diferentes.

Os analistas ajudam a rastrear os resultados da marca em relação ao público. Aqui, podem pintar vários focos. Por exemplo, produtividade, vendas, marketing, finanças e por aí vai. Os profissionais também podem participar do data mining, o processo de extrair dados e padrões consistentes pra conseguir sacadas relevantes.

Analista de Business Intelligence

Business Intelligence é uma das ideias que aparecem com a transformação digital, propondo-se a fazer diferença nos negócios. O conceito diz respeito às várias metodologias usadas pra gerar insights a partir de dados.

Às vezes, os analistas identificam tendências e fazem diferença nos outros departamentos. Com o BI, é possível acompanhar resultados e descobrir oportunidades.

A maior parte das tarefas pros analistas envolvem dados. Por exemplo, a preparação, em que há organização e padronização. Outra ocupação é a elaboração de relatórios.

Em alguns casos, esses são os que vão parar nas mãos dos gestores. A análise estatística, por sua vez, ajuda a fazer diagnósticos rápidos e a povoar o processo com métricas.

O benchmarking também aparece entre as tarefas de BI, ocupando os analistas na análise de desempenho.

A visualização de dados e a análise visual são tarefas que envolvem a forma em que acontece a exibição e o compartilhamento das informações.

Por fim, há a análise descritiva. Por meio dela, a equipe cria possíveis cenários futuros.

O curso de Gestão de Dados mistura ideias da área de TI com algumas das demandas mais atuais das empresas.

Assim, forma profissionais capazes de melhorar a qualidade das informações de um negócio, valorizar os ativos, reduzir os riscos, melhorar os processos e fazer diferença em vários outros pontos.

A faculdade ainda pode contar com um custo-benefício excelente graças às opções a distância.

Ao apostar na modalidade, você dispensa a necessidade de transporte, conta com mensalidades menores, curte a flexibilidade de horários, aprende na sua própria velocidade e ainda tem o mesmo reconhecimento pelo MEC.

Por isso, vale analisar as instituições, principalmente se você é do tipo que conta com rotina apertada. E se você pudesse estudar de qualquer lugar em uma plataforma simples e prática?

A faculdade Descomplica foi feita pra descomplicar seus estudos e você pode incrementar seu currículo com o curso de Gestão de Dados que a gente preparou com carinho pra você. Bora estudar com a gente?

Comentários

ícone de atenção ao erroícone de atenção ao erroícone de atenção ao erro
Quer receber novidades em primeira mão?
Prontinho! Você receberá novidades na sua caixa de entrada.

Veja também

Separamos alguns conteúdos pra você

logo descomplica