• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Neuropsicologia clínica: entenda o que é e o que faz o profissional da área

Se o seu sonho é seguir carreira na área da saúde, saiba que a especialização é o melhor caminho pra ter sucesso. Afinal, aumenta seu conhecimento e, assim, amplia seu ramo de atuação. Dentro da Psicologia, temos a Neuropsicologia Clínica.

De maneira geral, ela estuda de que maneira o cérebro se relaciona com o comportamento humano.

Assim, consegue investigar e tratar alterações cognitivas e comportamentais do paciente. É uma área relativamente nova. Por isso, quem decide trilhar esse caminho vai encontrar grandes oportunidades de trabalho.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue com a gente neste post! Aqui, você vai entender o que é Neuropsicologia Clínica e o que o profissional da área faz. Desse modo, você vai conseguir decidir se essa é a especialidade que você quer seguir.

neuropsicologia clínica – profissional da saúde auxiliando paciente

Afinal, o que é Neuropsicologia?

Essa é uma entre muitas áreas da Psicologia que une conhecimentos da Neurologia e da Psicologia. Sendo assim, estuda como as disfunções cerebrais impactam o comportamento e a cognição.

Portanto, a Neuropsicologia dá ênfase nos indivíduos com os mais variados transtornos psicológicos, problemas cerebrais e desordens afetivas, que podem ter origem em diversas situações, como:

  • acidentes vasculares;
  • quedas;
  • paralisia cerebral;
  • acidentes desportivos;
  • Alzheimer;
  • Parkinson;
  • esclerose múltipla;
  • autismo;
  • Asperger;
  • Transtorno do Déficit de Atenção;
  • hiperatividade;
  • dislexia, disgrafia, acalculia ou alexia.

Ou seja, o profissional analisa qualitativamente as funções do cérebro. Dessa maneira, consegue identificar alterações de forma precoce pra, em seguida, fazer um diagnóstico e iniciar o melhor tratamento.

neuropsicologia clínica – profissional da psicologia escutando paciente

Mas, qual a diferença entre Neuropsicologia e Neuropsicologia Clínica?

A diferença é bastante simples: enquanto a Neuropsicologia é uma disciplina básica, a Neuropsicologia Clínica é uma disciplina aplicada.

Ou seja, consiste na aplicação de testes (investigações clínicas e experimentais) pra identificar qual é o problema do paciente. Durante esses testes, o profissional consegue relacionar os problemas de comportamento com disfunções do cérebro.

Também, analisa que consequências esses déficits têm na rotina do indivíduo. Além disso, aplica tratamentos específicos pra oferecer mais qualidade de vida ao paciente.

Esses testes são fundamentais pro diagnóstico e pra elaboração de um plano de ação ou reabilitação pra aumentar o bem-estar das pessoas.

Então, na prática, o neuropsicólogo identifica as lesões que causam problemas cognitivos e de comportamento. Como falamos, essas lesões podem ter diversas causas.

Além disso, o profissional precisa conhecer certos aspectos da vida pregressa do paciente. Isto é, deve perguntar sobre algumas situações antes do aparecimento dos primeiros sintomas.

Afinal, isso ajudará muito a chegar em um diagnóstico. Vale lembrar que os testes não são feitos apenas no início. Eles são realizados periodicamente pra acompanhar a eficácia do tratamento e evolução da doença.

neuropsicologia clínica – neuropsicóloga conversando com paciente

E o que faz um Neuropsicólogo?

Como você viu no tópico anterior, o profissional realiza testes pra identificar lesões no cérebro do paciente, bem como quais problemas de comportamento ou de cognição ele tem apresentado.

Então, cabe ao Neuropsicólogo:

  • analisar as condições que afetam a saúde do cérebro;
  • avaliar como o funcionamento neurológico afeta a saúde psíquica do paciente, gerando problemas como depressão, ansiedade, entre outros.

Assim sendo, verifica quais estruturas do cérebro foram prejudicadas e quais permaneceram intactas mesmo com os sintomas apresentados. Também revisa exames cerebrais e testes de laboratório pra fazer um diagnóstico.

Com esses dados em mãos, traça estratégias pra combater ou minimizar os efeitos dos distúrbios. Ainda, cabe a este profissional acompanhar o tratamento.

Alguns exercícios são com base em formulários impressos, vídeos, conversas e outros meios que representam situações do dia a dia.

Assim, o paciente é estimulado a se concentrar, interagir, tomar decisões, entender o discurso e expressar seus sentimentos e pensamentos.

neuropsicologia clínica – pessoa de social olhando para frente e arrumando os óculos

Então, como se tornar um Neuropsicólogo?

A gente já comentou que a Neuropsicologia Clínica é uma especialização da Psicologia. Então, é preciso se formar em Psicologia — ou em áreas correlatas — e, em seguida, cursar uma pós-graduação.

Você pode optar por Neuropsicologia Clínica ou por Neuropsicologia Clínica aplicada à infância.

Se você não está com muito tempo pra fazer uma pós, o ideal é escolher um curso EaD. Assim, você poderá adaptar o estudo à sua rotina de uma forma fácil e prática.

Nesse caso, o curso tem duração de 390 horas com aulas 100% online, que você pode baixar e assistir quando e onde quiser.

E não se preocupe: você vai ter aulas com profissionais renomados. Além do mais, o curso tem nota máxima no MEC e você pode conseguir seu certificado a partir de 6 meses depois de começar o curso.

Todas essas facilidades vão permitir que você consiga se especializar na área mesmo que sua rotina seja corrida.

neuropsicologia clínica – família interagindo com um neuropsicólogo

Onde atuar com a Neuropsicologia Clínica?

O mercado de atuação da Neuropsicologia Clínica é bem amplo. Você vai poder fazer atendimento individual em clínicas e consultórios, como membro de equipes multidisciplinares em hospitais. Ou, ainda, trabalhar com pesquisa e ensino nas instituições acadêmicas.

Veja mais detalhes das atividades e campos de atuação:

  • emissão de laudos neuropsicológicos — auxilia no diagnóstico de outros profissionais e contribui pra escolha do tratamento mais adequado;
  • reabilitação neuropsicológica infantil — promove o desenvolvimento cognitivo e social das crianças;
  • auxílio no diagnóstico de demências — como doença de Alzheimer e mal de Parkinson;
  • criação de materiais e meios pra ajudar no diagnóstico e tratamento — que vão ser aplicados também por outros profissionais.
neuropsicologia clínica – neuropsicóloga conversando com paciente

E quanto ganha o profissional da área?

Uma das grandes preocupações na hora de escolher uma especialização é o valor do salário. A média salarial em Neuropsicologia Clínica é de R$ 3.400. Em geral, o profissional começa a carreira recebendo cerca de R$ 2.100 e pode chegar até R$ 4.300.

Porém, há formas de receber ainda mais, pois o salário depende de uma série de fatores, como local de trabalho e carga horária do expediente. Mas, se você decidir abrir um consultório próprio e realizar atendimentos individuais, pode ter uma renda excelente.

Afinal, a avaliação inicial pode custar até R$ 2.000, fora o custo do acompanhamento. Pra isso, é fundamental fazer um curso em uma instituição séria e conceituada. Também, se dedicar aos estudos constantes. Assim, você vai conseguir ter destaque e se tornar uma referência no mercado.

Enfim, a Neuropsicologia Clínica é uma área que está em expansão e tem várias aplicações. Além do mais, é essencial pra saúde de inúmeras pessoas, pois permite que tenham mais qualidade de vida.

Então, você vai encontrar excelentes oportunidades ao escolher essa carreira!

Quer estudar no conforto da sua casa? Então, vem fazer uma pós no Descomplica! Escolha o curso que mais tem a ver com você e comece hoje mesmo a alavancar sua carreira profissional!