• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Conheça 3 ferramentas de coaching para aplicar em seus clientes

Antes de iniciar sua próxima sessão de coaching, que tal ler essa postagem e aprender mais sobre o assunto? A gente tem um intuito simples: descomplicar o mundo do coaching, te ajudando a entender e como aplicar ferramentas de coaching pra que você se destaque na área.

 Nessa leitura, você descobrirá:

  • Características do bom coach
  • Cuidados durante o processo de coaching
  • Como aplicar ferramentas de coaching

Vem com a gente!

Características do bom coach

Características do bom coach

O termo coach é tão famoso que, em alguns casos, gera certa confusão. Por exemplo, é normal ver palestrantes motivacionais e mentores sendo chamados de coaches.

É claro que não existe problema algum em um coach também ser uma dessas outras duas coisas.

Porém, isso mostra que, se antes havia a necessidade que esse profissional fosse bom, hoje em dia com a popularização da profissão isso se torna ainda maior. 

Assim, pra ser um bom coach e se destacar nesse mercado, são necessárias algumas características. Saiba mais sobre elas a seguir.

Ser bom ouvinte

Ouça atentamente seu cliente e o que ele tem a dizer. Afinal, ser bom ouvinte é fundamental. Inclusive, é ouvindo que você saberá qual ferramenta de coaching pode ser aplicada.

Ser um questionador

Um bom coach não é quem dá respostas, mas, sim, aquele que faz boas perguntas.

Quem tem as respostas é o cliente e, ao perguntar, tanto você, quanto ele, vão descobri-las.

Ser um provocador

Pra ser um bom coach, é necessário provocar ação no cliente. Esse talvez seja seu papel mais importante.

Ligar durante a semana cobrando as tarefas é um exemplo de provocar a ação. Afinal, são elas que vão alterar o comportamento do cliente.

Essas três características poderão te destacar nesse mercado. No entanto, pra tornar isso possível, é necessário, assim como em qualquer profissão, que você lide com pessoas. Por isso, o ideal é desenvolver a empatia.

Os cuidados pra ser um bom coach e oferecer uma boa experiência nas sessões não param por aí. Existem outros fatores que são muito relevantes durante o processo.

Cuidados durante o processo de coaching

Cuidados durante o processo de coaching

Com a pandemia do novo coronavírus, as sessões de coaching que antes eram realizadas presencialmente, passaram a estar presentes também no digital. 

Assim, a gente separou algumas dicas pra melhorar suas sessões de coaching, considerando os dois casos.

Ambiente calmo

Escolha um local calmo pra que você e seu cliente possam ficar bem à vontade.

É natural que o cliente não se sinta confortável pra se abrir ou possa se distrair com facilidade em um local barulhento ou tumultuado.

No digital, é importante marcar o melhor horário pra que ele possa estar, de preferência, sozinho e com o tempo disponível pra sessão.

Quanto mais calmo e sem distração for o ambiente, melhor será o processo.

Foco total no cliente

Mostre-se interessado em seu atendimento, de preferência, desligue o celular. 

Esteja sempre olhando e atento ao cliente. Isso é muito importante, até pra que se possa notar a linguagem corporal dele.

Algumas vezes, a boca diz algo, mas o corpo fala outro. Assim, mantenha-se conectade e atente.

Esteja você aplicando alguma ferramenta de coaching, ou não, cuide pra não olhar demasiadamente pros lados. Se você fizer isso, seja no digital ou presencial, o cliente vai notar que você reservou aquele momento somente pra ele. Isso traz confiança 

Cuidado com as emoções

Já foi mencionado que você, como coach, deve ser um bom ouvinte. Isso significa que, poderá ouvir histórias, às vezes muito tristes e desconfortáveis, e terá de ter o cuidado pra não se envolver demais emocionalmente.

Afinal de contas, você está ali como um profissional e está escutando apenas a versão de seu cliente e não a história inteira. Sendo assim, mantenha suas emoções sob controle.

Existirá todo um trabalho a ser feito. O papel do coach não é curar feridas do passado, mas, sim, gerar ações no presente pra alterar o futuro.

Ao praticar essas dicas, a gente não tem dúvida de que você entregará uma experiência muito melhor pra seu cliente durante seu processo de coaching.

Como aplicar ferramentas de coaching

Como aplicar ferramentas de coaching

Antes de aumentar seu arsenal de ferramentas de coaching e aprender como aplicá-las em seu cliente, a gente gostaria de frisar que existem muitas

Porém, não é necessário saber ou utilizar todas elas nos clientes pra obter um bom processo de coaching.

E é por isso que, anteriormente, a gente mencionou sobre as características de um bom coach e cuidados durante o processo.

Dito isso, agora você saberá como aplicar ferramentas de coaching que visam analisar e, até mesmo, montar um plano de ação pro seu cliente.

Roda da vida

Essa seja talvez a ferramenta mais conhecida e usada num processo de coaching. Por isso, é possível que você já tenha ouvido falar dela.

O objetivo ao aplicar a roda da vida é perceber como está cada área da vida. Isso traz autoconhecimento e foco nas áreas que precisam de maior atenção na vida do seu cliente.

Você pode aplicar a roda da vida no seu atendimento presencial — você a encontra muito facilmente na Internet — ou pode enviar o arquivo pronto com as áreas da vida (geralmente 12) pro seu cliente preencher, no caso do atendimento Digital. 

Sendo assim, você pedirá pra ele:

  1. Colocar uma pontuação de 1 até 10 pra cada área, sendo 1 como péssimo e 10 perfeito.
  2. Refletir um pouco nas pontuações baixas dadas por ele em algumas áreas e escolher uma delas pra se trabalhar 
  3. Em seguida, pensar em algumas ações que, caso realizadas, possam melhorar esse determinado ponto com o tempo.
  4. Deixar claro pra ele que você vai cobrar essas ações durante a semana (ou no tempo combinado). Afinal, o bom coach é um provocador de mudanças.

Esse exercício, ainda que simples, auxiliará no ajuste de alguma área da vida que, provavelmente, se seu cliente não desse uma atençãozinha pra realizar a roda da vida, seria mais difícil de reparar.

Carta para o futuro

Já pensou em escrever uma carta pra si mesmo? Isso é o que propõe essa ferramenta de coaching que você vai aprender pra aplicar em seu cliente.

Assim como a roda da vida, essa ferramenta também traz muita reflexão, tanto que, no coaching, costuma ser usada na primeira ou segunda sessão.

O que você precisará fazer é pedir pro seu cliente escrever uma carta pro seu eu do futuro. Assim, ele vai criar, mesmo não consciente disso, todo o trajeto pra alcançar seus objetivos.

Pra ajudá-lo a escrever, você pode pedir pra ele pensar nas dificuldades do início do percurso, descrevendo sua trajetória a partir desse ponto, até chegar ao estado desejado.

Isso é muito bom, pois pode retirar possíveis medos e inseguranças dele em iniciar algo, além de dar uma visão macro da jornada.

A carta deve ter uma data pra ser aberta em um determinado momento. Talvez, quando as sessões de coaching terminarem. E, ao chegar no dia estipulado, a intenção é que o cliente a leia.

No entanto, é importante que essa carta não seja lida por você — somente se o cliente assim o desejar. Por isso, mantenha o sigilo, pois isso traz confiança.

Com a carta para o futuro, o cliente criará toda sua trajetória e analisará seu estado atual até o ideal. Interessante, não?

Meta SMART no processo de coaching

Essa ferramenta é muito interessante na hora de criar um plano de ação pro seu cliente. A palavra SMART (que significa inteligente em Inglês) é, na verdade, um acróstico em que cada uma das letras representa uma parte da meta. Veja!

S – Específico

Metas precisam ser específicas. Pra que seu cliente não dê ideias vagas sobre o que ele quer, pergunte-lhe: o que significa isso pra você?

Dessa maneira, ele terá um foco, um alvo ou um lugar pra onde olhar. 

M – Mensurável

Ao ser mensurável significa que devem existir números. Aqui, a ideia é que ele responda à pergunta: quantos ou em quanto tempo?

Ao pôr parâmetros, ou números, será possível medir a evolução durante o processo.

A – Atingível

Essa parte existe pra se ter um objetivo cumprido, e não algo muito difícil de realizar. Pra isso, peça ao seu cliente pra refletir se essa meta de fato pode ser atingível por ele.

Lembre-se que, no passo anterior, a meta foi mensurada.

R – Relevante

Significa que tem que ser verdadeiramente importante pra seu cliente, afinal, essa meta é pra conquistar o objetivo dele, não o de outros. 

Pra ajudá-lo, você pode perguntar: isso faz realmente sentido pra você?

T – Temporal

Ao se firmar uma data, ou prazo, a gente se aproxima do objetivo. A finalidade dessa última parte é essa. 

Se, na mensurável, seu cliente respondeu quanto, aqui ele vai dizer quando.

Assim, ao realizar a meta SMART, seu cliente não apenas saberá o que fazer, mas até quando deverá ser feito e o que deseja. E aí, curtiu?

Similaridade entre as ferramentas

Similaridade entre as ferramentas

Notou algo em comum entre as ferramentas? Caso não, a similaridade está na possibilidade de tomar algumas ações pra transformar o futuro.

Afinal, esse é o objetivo do coaching, a transformação de tirar alguém de um ponto pra conquistar o espaço ideal.

Após a leitura, você aprendeu como aplicar ferramentas de coaching. Que tal, agora, pensar um pouco em você e no seu futuro?

O crescimento e conhecimento é algo que nunca termina e a gente pode te ajudar nesse processo. Já conhece os cursos de pós-graduação da Pós Descomplica? Se não, a gente quer te convidar pra você dar uma olhadinha.

Quem sabe não seja esse o passo pro futuro de sucesso na sua carreira que você está procurando? Conheça agora mesmo os cursos de pós-graduação disponíveis e dê o próximo passo pra transformar o seu futuro.