• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Questões comentadas: Moral e ética

1. (Enem 2014) Panayiotis Zavos “quebrou” o último tabu da clonagem humana – transferiu embriões para o útero de mulheres, que os gerariam. Esse procedimento é crime em inúmeros países. Aparentemente, o médico possuía um laboratório secreto, no qual fazia seus experimentos. “não tenho nenhuma dúvida que uma criança clonada irá aparecer em breve. Posso não ser eu o médico que irá criá-la, mas vai acontecer”, declarou Zavos. “Se nos esforçarmos, podemos ter um bebê clonado daqui a um ano, ou dois, mas não sei se é o caso. Não sofremos pressão para entregar um bebê clonado ao mundo. Sofremos pressão para entregar um bebê clonado saudável ao mundo”.

(CONNOR, S. Disponível em : www.independent.co.uk Acesso em: 14 ago. 2012)

A clonagem humana é um importante assunto de reflexão no campo da bioética que, entre outras questões, dedica-se a:

a) Refletir sobre as relações entre o conhecimento da vida e os valores éticos do homem.

b) Legitimar o predomínio da espécie humana sobre as demais espécies animais do planeta.

c) Relativizar, no caso da clonagem humana, o uso dos valores de certo e errado, de bem e mal.

d) Legalizar, pelo o uso das técnicas de clonagem, os processo de reprodução humana e animal.

e) Fundamentar técnica e economicamente as pesquisas sobre células-tronco para o uso em seres humanos.

2. (Enem 2010) Na ética contemporânea, o sujeito não é mais um sujeito substancial, soberano e absolutamente livre, nem um sujeito empírico puramente natural. Ele é simultaneamente os dois, na medida em que é um sujeito histórico-social. Assim, a ética adquire um dimensionamento político, uma vez que a ação do sujeito não pode mais ser vista e avaliada fora da relação social coletiva. Desse modo, a ética se entrelaça, necessariamente, com a política, entendida esta como a área de avaliação dos valores que atravessam as relações sociais e que interliga os indivíduos entre si.

(SEVERINO. A. J. Filosofia. São Paulo: Cortez, 1992).

O texto, ao evocar a dimensão histórica do processo de formação da ética na sociedade contemporânea, ressalta:

a) Os conteúdos éticos decorrentes das ideologias político-partidárias.

b) O valor da ação humana derivada de preceitos metafísicos.

c) A sistematização de valores desassociados da cultura.

d) O sentido coletivo e político das ações humanas individuais.

e) O julgamento da ação ética pelos políticos eleitos democraticamente.

 

 

3. (Enem 2010) A ética precisa ser compreendida como um empreendimento coletivo a ser constantemente retomado e rediscutido, porque é produto da relação interpessoal e social. A ética supõe ainda que cada grupo social se organize sentindo-se responsável por todos e que crie condições para o exercício de um pensar e agir autônomos. A relação entre ética e política é também uma questão de educação e luta pela soberania dos povos. É necessária uma ética renovada, que se construa a partir da natureza dos valores sociais para organizar também uma nova prática política.

(CORDI et al. Para filosofar. São Paulo: Scipione, 2007 adaptado).

O Século XX teve de repensar a ética para enfrentar novos problemas oriundos de diferentes crises sociais, conflitos ideológicos e contradições da realidade. Sob esse enfoque e a partir do texto, a ética pode ser compreendida como

a) Instrumento de garantia da cidadania, porque através dela os cidadãos passam a pensar e agir de acordo com valores coletivos.

b) Mecanismo de criação de direitos humanos, porque é da natureza do homem ser ético e virtuoso.

c) Meio para resolver os conflitos sociais no cenário da globalização, pois a partir do entendimento do que é efetivamente a ética, a política internacional se realiza.

d) Parâmetro para assegurar o exercício político primando pelos interesses e ação privada dos cidadãos.

e) Aceitação de valores universais implícitos numa sociedade que busca dimensionar sua vinculação à outras sociedades.

 

 

4. (UNESP 2015) A medicalização de condutas classificadas como “anormais” se estendeu a praticamente todos os domínios de nossa existência. A quem interessa a medicalização da vida?
Sandra Caponi – A muitas pessoas. Em primeiro lugar ao saber médico, aos psiquiatras, mas também aos médicos gerais e especialistas. Interessa muito especialmente aos laboratórios farmacêuticos que, desse modo, podem vender seus medicamentos e ampliar o mercado de consumidores de psicofármacos de modo quase indefinido. Porém, esse interesse seria irrelevante se não existisse uma demanda social que aceita e até solicita que uma ampla variedade de comportamentos cotidianos ingresse no domínio do patológico. Um exemplo bastante óbvio é a escola. Crianças com problemas de comportamento mais ou menos sérios hoje recebem rapidamente um diagnóstico psiquiátrico. São medicadas, respondem à medicação e atingem o objetivo social procurado. Essas crianças que tomam ritalina ou antipsicóticos ficam mais calmas, mais sossegadas, concentradas e, ao mesmo tempo, mais tristes e isoladas.

(www.ihuonline.unisinos.br. Adaptado.)

Podemos considerar como uma importante implicação filosófica da medicalização da vida:

a) A incorporação do conhecimento científico como meio de valorização da autonomia emocional e intelectual.

b) A institucionalização de procedimentos de análise e de cura psiquiátrica absolutamente objetivos e eficientes.

c) A proliferação social de conhecimentos e procedimentos médicos que pressupõem a patologização da vida cotidiana.

d) A contribuição eticamente positiva da psiquiatrização do comportamento infantil e juvenil na esfera pedagógica.

e) O caráter neutro do progresso científico em relação a condicionamentos materiais e a demandas sociais.

 

 

5. (Upe 2013) Sobre o conhecimento filosófico, atente ao texto que se segue:
O conhecimento filosófico é, diversamente do conhecimento científico, um conhecimento crítico, no sentido de que põe sempre em problema o conhecimento obtido pelos processos da Ciência.

(MARTINS, José Salgado. Preparação à Filosofia, 1969, p. 9.)

Tomando como base o conhecimento filosófico, coloque V nas afirmativas verdadeiras e F nas falsas.

( ) A filosofia é um tipo de saber, que não diz tudo o que sabe e uma norma que não enuncia tudo aquilo que postula. O saber filosófico, portanto, é profundo, mesmo quando parece mais claro e transparente.
( ) A filosofia deve ser estudada e ensinada com base nos problemas que suscita e não apenas em virtude das respostas que proporciona a esses mesmos problemas.
( ) A filosofia se faz presente como reflexão crítica a respeito dos fundamentos do conhecimento e da ação, por isso mesmo distinta da ciência pelo modo de abordagem do seu objeto que, no caso desta, é particular e, no caso da filosofia, é universal.
( ) O percurso da filosofia é caracterizado pela exigência de clareza e de livre crítica.
( ) O conhecimento filosófico apresenta-se como a ciência dos fundamentos. Sua dimensão de profundidade e radicalidade o distingue do conhecimento científico.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA.

a) V, F, V, F, V

b) F, V, F, V, V

c) V, V, F, F, V

d) V, V, V, V, V

e) F, V, F, V, F

 

6. (Ufsm 2013) Leonardo Boff define sustentabilidade do seguinte modo: Uma ação é sustentável se, e somente se, ela é destinada a manter as condições energéticas, informacionais, físico-químicas que sustentam todos os seres, especialmente a Terra viva, a comunidade de vida e a vida humana, visando à sua continuidade e ainda atender as necessidades da geração presente e das futuras, de tal forma que o capital natural seja mantido e enriquecido em sua capacidade de regeneração, reprodução e coevolução.

Considere as seguintes afirmações:

I. Atender as necessidades da geração presente é condição necessária, mas
não suficiente, para haver sustentabilidade.
II. Atender as necessidades da geração futura é condição suficiente, mas não
necessária, para haver sustentabilidade.
III. Manter o capital natural é condição necessária e suficiente para haver
sustentabilidade.

Está(ão) correta(s)

a) apenas I.

b) apenas II.

c) apenas III.

d) apenas I e II.

e) apenas II e III.

 

 

7. (Ufsj 2012) “Algumas criaturas vivas, como as abelhas e as formigas, que vivem socialmente umas com as outras […] tendem para o benefício comum”.
Para Thomas Hobbes, essa tendência não ocorre entre os homens porque

a) esses insetos, dentro da sua irracionalidade natural, dão lições de conduta aos seres humanos; seja na tarefa diária, seja na politização paradoxal do modelo comunista difundido por Joseph Stalin e Karl Marx.

b) as abelhas e as formigas têm a peculiaridade de construir suas sociedades dentro de uma unidade dinâmica e circular, que poderia ser bem definida como um contrato social se elas fossem humanas. Os seres humanos não atingiram tal estágio ainda.

c) estes estão constantemente envolvidos numa competição pela honra e pela dignidade e se julgam uns mais sábios que outros para exercer o poder público, reformam e inovam, o que muitas vezes leva o país à desordem e à guerra civil.

d) o motivo maior que guia a vida de tais criaturas é a engrenagem da soberania da vontade de criar, da vontade de poder, retomada por Nietzsche e pelo existencialismo.

 

 

Gabarito

1.A
Resolução passo-a-passo:

a) A função da bioética é analisar se as descobertas científicas estão respeitando os limites éticos da vida humana sem instrumentalizá-la.
b) A bioética visa saber o ponto exato de legitimidade de interferência na vida, ela não busca a hierarquização dos tipos de vida.
c) Esse é o extremo oposto da função da bioética.
d) A bioética costuma se posicionar negativamente em relação à clonagem humana, mas ela apenas analisa o caráter ético das ações científicas.
e) Não é função da bioética prestar qualquer forma de subsídio a pesquisas científicas.

2.D
Resolução passo-a-passo:
a) O texto não trata de uma avaliação ética das ideologias político-partidárias, mas do sentido coletivo e político das ações humanas individuais.
b) O texto salienta a importância da ação humana coletiva e individual, mas não trata de nenhuma fonte metafísica.
c) O sujeito, segundo o texto, é a congruência da história e da subjetividade. Essa não seria uma realidade possível se houvesse uma dissociação cultural.
d) O texto ressalta sim o sentido coletivo e político das ações, afinal, o homem é o encontro dos fatores sociais e históricos com a subjetividade.
e) O texto não se refere a nenhum caso ético específico.

3.A
Resolução passo-a-passo:
a) A ética quando associada aos valores políticos se torna o principal meio de garantia da cidadania.
b) A ética inspira os direitos humanos, mas não podemos afirmar através dela que o homem seja naturalmente ético e virtuoso.
c) A ética pode ajudar a resolver os problemas oriundos da globalização, mas para isso é preciso mais que compreender, é preciso adotar ações éticas.
d) A ética está diretamente ligada aos interesses da coletividade, de modo que todos possam alcançar os valores necessários ao seu bem estar sem que esses firam a harmonia coletiva.
e) A necessidade de discussão constante é justamente porque a ética nem sempre está ligada a valores universais implícitos.

4.C
Resolução passo-a-passo:
a) A medicalização da vida não valoriza a autonomia emocional dos indivíduos, mas a padronização natural da pessoas.
b) Os procedimentos não podem ser chamados de eficientes porque apontam anomalia sempre que o resultado esperado não é alcançado, sem levar em conta as peculiaridades de cada indivíduo.
c) Com a descoberta de novos procedimentos medicamentosos, o comportamento que destoa do padrão é encarado como anormal. Desse modo, a vida cotidiana é anormalizada sem que ao menos se questione os danos que essa realidade pode causar.
d) Esse tipo de procedimento não é eticamente positivo.
e) Esse tipo de procedimento não possui um caráter neutro, mas tendencioso e padronizador.

5.D
Resolução passo-a-passo:
1ª A filosofia, por ser uma área do conhecimento muito vasta, nunca esgota seu campo de domínio.
2ª A filosofia, por ser uma forma crítica de conhecer o mundo, deve ser ensinada juntamente com os objetos de crítica.
3ª A principal diferença entre a ciência e a filosofia é o caráter particular da primeira e o universalismo da segunda.
4ª A filosofia necessita de argumentos claros e precisa de liberdade para criticar seus objetos.
5ª A filosofia busca os fundamentos dos seus objetos de estudo.

6.A

Resolução passo-a-passo:

I. A sustentabilidade está em não garantir os interesses dessa geração, mas principalmente de assegurar a sobrevivência com qualidade das gerações subseqüentes.
II. Atender as gerações futuras é indispensável à sustentabilidade.
III. Além da manutenção do capital cultural, para que uma medida seja sustentável é necessário que ela atenda a geração presente e futura.

7.C
Resolução passo-a-passo:

a) Animais irracionais não são politizados.
b) Os seres humanos vivem no contrato social.
c) Segundo Hobbes, o homem é naturalmente egocentrado, de modo que nunca viveríamos como os animais supracitados.
d) Essas criaturas não são dotadas de racionalidade, por isso não se enquadram em nenhuma corrente filosófica.