• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Mapa Mental: Questões Sociais

Os movimentos sociais são um tema importante de se conhecer durante a preparação para o Enem. Todo o ano, o exame aborda estes grupos e suas causas. Por isso, além de conhecer as bases de atuação destes grupos, é fundamental ficar antenada às notícias que os envolvem.

Dessa forma, preparamos este material pra ajudar você a organizar seus estudos. A partir dele, é possível entender o que são e como funcionam os movimentos sociais. Também separamos algumas questões de provas anteriores do Enem pra testar seus conhecimentos. Confira!

O que são movimentos sociais?

Foto de um megafone para ilustrar artigo sobre movimentos sociais

Quando um grupo de pessoas se reúne e se organiza pra lutar por uma causa coletiva forma um movimento social. Em geral, estas pessoas buscam alguma mudança ou transformação na ordem política ou social vigente. Atuam em defesa de minorias ou grupos marginalizados na sociedade.

Os movimentos sociais utilizam diferentes meios pra atrair a atenção e a adesão da sociedade pros seus anseios. São manifestações, organizações coletivas, protestos e muitas outras formas de divulgar sua luta.

Atualmente, alguns temas têm maior visibilidade entre as causas dos movimentos sociais. Entre eles, podemos citar o racismo, a desigualdade de gênero e os direitos da população LGBTQIA+. A luta por reforma agrária e moradia também são temas em evidência no Brasil.

Quais são o tipos de movimentos sociais?

Imagem de uma manifestação para ilustrar artigo sobre movimentos sociais

De acordo com as causas que defendem, os movimentos sociais podem ter diferentes características. Alguns são mais abrangentes e complexos quanto ao grupo ou ideologias que defendem. Outros, lutam por demandas mais pontuais. Dessa forma, podem ser classificados em:

Conjunturais

São grupos com demandas mais pontuais, específicas, geralmente de curto prazo. Assim, não chegam a formar uma estrutura de organização mais complexa. A mobilização por eleições diretas após a Ditadura Militar, na década de 1980, é um exemplo.

Estruturais

Já os movimentos sociais estruturais têm reivindicações mais amplas, que demandam mudanças sociais ou econômicas mais profundas. Assim, necessitam de uma organização mais estruturada e hierarquizada. Os movimentos feministas ou contra o racismo são alguns deles.

Quais são os movimentos sociais no Brasil?

Foto de mulheres de costas com o punho erguido para ilustrar artigo sobre movimentos sociais

Não é exagero dizer que o Brasil conta com movimentos sociais há séculos. Lembra das revoltas do tempo do Império, como a Inconfidência Mineira e a Revolução Farroupilha? Pois, por trás delas estavam movimentos sociais em busca de melhores condições de vida à população da época.

Mais recentemente, os movimentos sociais foram determinantes na luta contra a Ditadura Militar e no processo de redemocratização. Em 1992, a atuação dos Caras Pintadas, movimento de base estudantil, foi fundamental pro impeachment do presidente Fernando Collor.

O Brasil também tem importantes grupos sociais buscando reformas estruturais. Um dos mais conhecidos é o MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que luta por reforma agrária. Nas cidades, é forte a atuação do MTST, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, com foco na habitação popular.

Também há outras lutas dos movimentos sociais que mobilizam a sociedade, com grande repercussão. Entre eles podemos citar o combate ao racismo, à desigualdade de gênero e a defesa dos direitos da população LGBTQIA+.

mapa-redacao-questoes-sociais

Questões do Enem sobre movimentos sociais

Imagem de uma manifestação para ilustrar artigo sobre movimentos sociais

Agora, confira o que você já aprendeu sobre esse tema. Resolva estas questões sobre movimentos sociais do Enem, extraídas de provas anteriores.

1. (Enem 2015) “Não nos resta a menor dúvida de que a principal contribuição dos diferentes tipos de movimentos sociais brasileiros nos últimos vinte anos foi no plano da reconstrução do processo de democratização do país. E não se trata apenas da reconstrução do regime político, da retomada da democracia e do fim do Regime Militar.

Trata-se da reconstrução ou construção de novos rumos para a cultura do país, do preenchimento de vazios na condução da luta pela redemocratização, constituindo-se como agentes interlocutores que dialogam diretamente com a população e com o Estado.” (Adaptado de: GOHN, M. G. M. Os sem-terras, ONGs e cidadania. São Paulo: Cortez, 2003).

No processo da redemocratização brasileira, os novos movimentos sociais contribuíram para

  • a) diminuir a legitimidade dos novos partidos políticos então criados.
  • b) tornar a democracia um valor social que ultrapassa os momentos eleitorais.
  • c) difundir a democracia representativa como objetivo fundamental da luta política.
  • d) ampliar as disputas pela hegemonia das entidades de trabalhadores com os sindicatos.
  • e) fragmentar as lutas políticas dos diversos atores sociais frente ao Estado.

2. (Enem/2011) Na década de 1990, os movimentos sociais camponeses e as ONGs tiveram destaque, ao lado de outros sujeitos coletivos. Na sociedade brasileira, a ação dos movimentos sociais vem construindo lentamente um conjunto de práticas democráticas no interior das escolas, das comunidades, dos grupos organizados e na interface da sociedade civil com o Estado. O diálogo, o confronto e o conflito têm sido os motores no processo de construção democrática.

SOUZA, M.A. Movimentos sociais no Brasil contemporâneo: participação e possibilidades das práticas democráticas. Disponível em http:/www.ces uc. pt Acesso em: 30 abr. 2010 (adaptado).

Segundo o texto, os movimentos sociais contribuem para o processo de construção democrática, porque:

  • a) determinam o papel do Estado nas transformações socioeconômicas.
  • b) aumentam o clima de tensão social na sociedade
  • c) pressionam o Estado para o atendimento das demandas da sociedade.
  • d) privilegiam determinadas parcelas da sociedade em detrimento das demais.
  • e) propiciam a adoção de valores éticos pelos órgãos do Estado.

3. (Enem 2021) Houve crescimento de 74% da população brasileira encarcerada entre 2005 e 2012. As análises possibilitaram identificar o perfil da população que está nas prisões do país: homens, jovens (abaixo de 29 anos), negros, com ensino fundamental incompleto, acusados de crimes patrimoniais e, no caso dos presos adultos, condenados e cumprindo regime fechado e, majoritariamente, com penas de quatro até oito anos.

BRASIL. Mapa do encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília: Presidência da República, 2015.

Nesse contexto, as políticas públicas para minimizar a problemática descrita devem privilegiar a

  • a) flexibilização do Código Civil.
  • b) promoção da inclusão social.
  • c) redução da maioridade penal.
  • d) contenção da corrupção política.
  • e) expansão do período de reclusão.

Gabarito

1 – B

2 – C

3 – B

Preparado pras questões sobre movimentos sociais no Enem? Lembre-se que, além de estudar a parte teórica sobre sua formação e atuação, é importante ficar ligado nas últimas notícias. E acompanhar sempre o nosso blog pra conferir mais conteúdos!