Redação Pronta - A Cultura da Transgressão das Leis no Brasil

Pessoal,

Hoje trago uma redação pronta sobre um tema bastante recorrente: “A Cultura da Transgressão das Leis no Brasil”. É possível abordar vários assuntos sociais e políticos relevantes em nossa sociedade, e mostrar conhecimentos gerais. Confiram!

EDUCAÇÃO EM PAUTA

Na sociedade brasileira contemporânea, assuntos como corrupção e constante transgressão das leis já se tornaram comuns. Tal situação é alarmante, pois o próprio cidadão brasileiro já enxerga esse fato como um dado cultural, como se fosse normal burlar as normas. Assim, perpetua-se a mediocridade política e crítica de uma nação que gosta de se enxergar como o país do futuro, mas não percebe que, se não resolver questões problemáticas do passado, nunca alcançará esse amanhã glorioso. É preciso, antes de mais nada, discutirmos as origens dessa vergonhosa cultura de violação das regras para que, então, seja possível combatê-la.

Em primeiro lugar, é possível dizer que um dos principais fatores que permitem a perpetuação da transgressão das leis, no Brasil, é a cultura da impunidade. Casos graves de corrupção, desvio de verbas e tráfico de influências no governo federal estampam constantemente as capas de revistas e jornais. Na maioria das vezes, nada é feito para punir os criminosos. Assim, de alguma forma, as pessoas sabem que o Estado, além de permeável a corrupções, é ineficiente, e há quase a certeza de que nada irá acontecer ao infrator.  É importante, ainda, mencionar que tal fato não se restringe somente aos políticos, pois o cidadão comum, que paga uma propina ao guarda de trânsito para este não multá-lo por estacionar em lugar proibido está, da mesma maneira, perpetuando a violação das leis e a ideia de que, no que diz respeito à justiça, nada funciona neste país.

É preciso, ainda, que o brasileiro abandone esse complexo de inferioridade que costuma acompanhá-lo, e enxergue que a transgressão das leis existe em quaisquer sociedade nas quais as necessidades individuais entrem em conflito com os interesses coletivos. A maior diferença é que, no Brasil, existe o agravante histórico e cultural. Nossas leis não refletem, necessariamente, os interesses de toda a população, pois são elaboradas pelas elites detentoras de poder. Isso é perceptível, principalmente, se considerarmos a grave desigualdade social existente, que aprofunda ainda mais esse abismo entre as diferentes classes, dificultando que todas essas díspares necessidades sejam atendidas. Assim, ao longo dos anos, as pessoas foram aprendendo a burlar as regras e normas que não as representavam, ou que nem mesmo entendiam, dado nosso déficit educacional.

Tendo em vista essa questão, é possível perceber que o grande problema é, justamente, a educação – ou a falta desta – no Brasil. É muito fácil culpar somente os políticos corruptos por esse vergonhoso desrespeito as nossas leis, como se a população fosse o espelho deles, e não o contrário. Embora generalizações sejam perigosas, é necessário enxergarmos que os governantes são eleitos por uma massa populacional que, por ignorância ou conveniência, perpetua essa situação, pois em troca de favores e promessas superficiais colocam os interesses individuais acima dos coletivos. Educação de base eficiente ajudaria na formação crítica dessas pessoas, que se tornariam mais conscientes do poder do voto, e menos suscetíveis a transgredir as leis.

Dessa forma, se faz vital um fortalecimento do sistema educacional brasileiro, com ensino de qualidade e inclusão de matérias sobre política já no ensino fundamental nas escolas, para que as crianças compreendam que possuem um dever cívico desde cedo, e cresçam aprofundando cada vez mais essa noção. Além disso, os pais também devem incentivar a formação crítica de seus filhos, ensinando que, se o indivíduo considera uma lei injusta, o mais correto a se fazer é tomar uma posição política contra ela, lutando pública e pacificamente, e não simplesmente ignorá-la. Só assim, deixaremos de ser um país historicamente corrupto, mas uma nação justa e honrada, que entende seus direitos, e luta por eles.

Continue estudando
Post do blog

11 propostas de intervenção para 11 possíveis temas de redação do Enem

artigo
Post do blog

REDAÇÃO PRONTA – ENEM 2006

Olá!
artigo