Questões Comentadas: Toyotismo e Terceira Revolução Industrial

Leia o resumo de Geografia, sobre Toyotismo e Terceira Revolução Industrial, e resolva os exercícios abaixo.

1. (ENEM 2013)  Multinacionais japonesas instalam empresas em Hong- Kong
E produzem com matéria-prima brasileira
Para competir no mercado americano
[…]
Pilhas americanas alimentam eletrodomésticos ingleses na Nova Guiné
Gasolina árabe alimenta automóveis americanos na África do Sul
[…]
Crianças iraquianas fugidas da guerra
Não obtêm visto no consulado americano do Egito
Para entrarem na Disneylândia

ANTUNES, A. Disponível em: www.radio.uol.com.br. Acesso em: 3 fev. 2013 (fragmento).

Na canção, ressalta-se a coexistência, no contexto internacional atual, das seguintes situações:

a) Acirramento do controle alfandegário e estímulo ao capital especulativo.
b) Ampliação das trocas econômicas e seletividade dos fluxospopulacionais.
c) Intensificação do controle informacional e adoção de barreiras fitossanitárias.
d) Aumento da circulação mercantil e desregulamentação do sistema financeiro.
e) Expansão do protecionismo comercial e descaracterização de identidades nacionais.

2. (ENEM 2009) “Além dos inúmeros eletrodomésticos e bens eletrônicos, o automóvel produzido pela indústria fordista promoveu, a partir dos anos 50, mudanças significativas no modo de vida dos consumidores e também na habitação e nas cidades. Com a massificação do consumo dos bens modernos, dos eletroeletrônicos e também do automóvel, mudaram radicalmente o modo de vida, os valores, a cultura e o conjunto do ambiente construí Da ocupação do solo urbano até o interior da moradia, a transformação foi profunda.”

MARICATO, E. Urbanismo na periferia do mundo globalizado: metrópoles brasileiras. Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em: 12 ago. 2009 (adaptado).

Uma das consequências das inovações tecnológicas das últimas décadas, que determinaram diferentes formas de uso e ocupação do espaço geográfico, é a instituição das chamadas cidades globais, que se caracterizam por

a) possuírem o mesmo nível de influência no cenário mundial.
b) fortalecerem os laços de cidadania e solidariedade entre os membros das diversas comunidades.
c) constituírem um passo importante para a diminuição das desigualdades sociais causadas pela polarização social e pela segregação urbana.
d) terem sido diretamente impactadas pelo processo de internacionalização da economia, desencadeado a partir do final dos anos 1970.
e) terem sua origem diretamente relacionada ao processo de colonização ocidental do século XIX.

3. (UERJ 2012/1)

A comparação entre modelos produtivos permite compreender a organização do modo de produção capitalista a cada momento de sua história. Contudo, é comum verificar a coexistência de características de modelos produtivos de épocas diferentes.

Na situação descrita na reportagem, identifica-se o seguinte par de características de modelos distintos do capitalismo:

a) organização fabril do taylorismo – legislação social fordista
b) nível de tecnologia do neofordismo – perfil artesanal manchesteriano
c) estratégia empresarial do toytismo – relação de trabalho pré-fordista
d) regulação estatal do pós-fordismo – padrão técnico sistêmico-flexível

4. (UERJ 2012/1)

Corrida pra vender cigarro

Cigarro pra vender remédio

Remédio pra curar a tosse

Tossir, cuspir, jogar pra fora

Corrida pra vender os carros

Pneu, cerveja e gasolina

Cabeça pra usar boné

E professar a fé de quem patrocina

Eles querem te vender

Eles querem te comprar

Querem te matar (de rir)

Querem te fazer chorar

(…)

Corrida contra o relógio

Silicone contra a gravidade

Dedo no gatilho, velocidade

Quem mente antes diz a verdade

Satisfação garantida

Obsolescência programada

Eles ganham a corrida

Antes mesmo da largada

(…)

Os diferentes modelos produtivos de cada momento do sistema capitalista sempre foram o resultado da busca por caminhos para manter o crescimento da produção e do consumo.

A crítica ao sistema econômico presente na letra da canção está relacionada à seguinte estratégia própria do atual modelo produtivo toyotista:

a) aceleração do ciclo de renovação dos produtos
b) imposição do tempo de realização das tarefas fabris
c) restrição do crédito rápido para o consumo de mercadoria
d) padronização da produção dos bens industriais de alta tecnologia

5. (UEL-PR)

“Essa união entre técnica e ciência vai dar-se sob a égide do mercado. E o mercado, graças exatamente à ciência e à técnica, torna-se um mercado global. A ideia de ciência, a ideia de tecnologia e a ideia de mercado global devem ser encaradas conjuntamente e desse modo podem oferecer uma nova interpretação à questão ecológica, já que as mudanças que ocorrem na natureza também se subordinam a essa lógica.”

(SANTOS, M. A natureza do espaço. São Paulo: Hucitec, 1996. p. 190.)

Sobre o assunto, é correto afirmar:

a) As mudanças que ocorrem na natureza independem do mercado, cuja influência se limita às produções humanas.
b) As transformações das diferentes paisagens do globo terrestre independem da ciência, da tecnologia e do mercado global.
c) Grande parte dos impactos ambientais está subordinada às relações existentes entre ciência, tecnologia e mercado global.
d) Para a exploração da natureza numa economia de mercado global, ciência e tecnologia são dispensá
e) As mudanças que ocorrem no mercado global devem ser interpretadas pela subordinação deste à lógica da ecologia

GABARITO

1. B

Resolvendo passo-a-passo a questão:

Vamos discutir todas as alternativas?

a) Acirramento do controle alfandegário e estímulo ao capital especulativo.

Não, nesse tipo de questão é importante sempre relacionar o conteúdo com o que é passado no texto, portanto não há conexão com o texto.

b) Ampliação das trocas econômicas e seletividade dos fluxospopulacionais.

Sim, o texto aborda a facilidade com que os fluxos econômicos se movimentam e fixam-se no espaço, enquanto os populacionais encontram barreiras.

c) Intensificação do controle informacional e adoção de barreiras fitossanitárias

Não, novamente não existe nenhuma relação com o texto já que não é mencionado exemplo algum de barreira fitossanitária.

d) Aumento da circulação mercantil e desregulamentação do sistema financeiro.

Não, apesar da primeira parte da questão ser razoavelmente aceitável, a segunda não está inclusa no texto, já que o capital financeiro não é explicitamente citado na questão.

e) Expansão do protecionismo comercial e descaracterização de identidades nacionais.

Não, o movimento de protecionismo comercial depende do tipo de comercio, não é um movimento total e as identidades nacionais não estão descaracterizadas.

  1. D

Resolvendo passo-a-passo a questão:

a) possuírem o mesmo nível de influência no cenário mundial.

Não, as cidades globais possuem nível de influência diferente.

b) fortalecerem os laços de cidadania e solidariedade entre os membros das diversas comunidades.

Não, os laços de cidadania e solidariedade são resultado de diversas variáveis como riqueza institucional, cultura, tipo de governo, organização espacial etc.

c) constituírem um passo importante para a diminuição das desigualdades sociais causadas pela polarização social e pela segregação urbana.

Não, a desigualdade é um traço comum a todas as cidades, embora nem sempre seja acompanhada de pobreza.

d) terem sido diretamente impactadas pelo processo de internacionalização da economia, desencadeado a partir do final dos anos 1970.

Sim, as cidades globais foram impactadas diretamente pela internacionalização das economias, melhoria do sistema de transportes e telecomunicações

e) terem sua origem diretamente relacionada ao processo de colonização ocidental do século XIX.

Não, existem cidades globais na porção oriental do globo terrestre e fora do eixo da colonização Européia.

3. C

Resolvendo passo-a-passo a questão:

a) organização fabril do taylorismo – legislação social fordista

Não, a organização colocada no texto é própria do Toyotismo ou Pós-fordismo

b) nível de tecnologia do neofordismo – perfil artesanal manchesteriano

Não, esta alternativa apresenta dois conceitos subutilizados no vestibular para confundir o aluno, mas neofordismo é apenas um outro nome para pós-fordismo e o perfil artesanal manchesteriano seria o perfil anterior a primeira revolução industrial, não concordante com o perfil da sociedade retratada, pós-industrial.

c) estratégia empresarial do toyotismo – relação de trabalho pré-fordista

Sim, apesar da modernidade empresarial típica do toyotismo, coexiste a fragilidade do trabalho e da legislação típica da sociedade pré-fordista, como a das fábricas inglesas da primeira revolução industrial.

d) regulação estatal do pós-fordismo – padrão técnico sistêmico-flexível

Não, o texto não faz menção explicita ao Estado no pós-fordismo, também não faz ao padrão técnico sistêmico-flexível

4. A

Resolvendo passo-a-passo a questão:

a) aceleração do ciclo de renovação dos produtos

Sim, mais explicita na ultima parte da letra, a obsolescência programada deixa os produtos inúteis em um curto espaço de tempo através de vultosos investimentos em inovação e lançamentos cada vez mais curtos.

b) imposição do tempo de realização das tarefas fabris

Não, é importante relacionar sempre a alternativa com o texto, fazendo isso, nota-se que não existe qualquer ponte entre os dois.

c) restrição do crédito rápido para o consumo de mercadorias

Não, também não existe qualquer ponte que dê margem para a interpretação desta alternativa como correta

d) padronização da produção dos bens industriais de alta tecnologia

Não, não existe no texto qualquer menção a padrão ou padronização.

5. C

Resolvendo passo-a-passo a questão:

a) As mudanças que ocorrem na natureza independem do mercado, cuja influência se limita às produções humanas.

Não, as mudanças que ocorrem na natureza são influenciadas pelos mecanismos do mercado já que a captação de recursos – alimentos, energia, minérios – é um fator importante da sociedade industrial.

b) As transformações das diferentes paisagens do globo terrestre independem da ciência, da tecnologia e do mercado global.

Não, as mudanças na paisagem também são bastante relacionadas ao mercado, já que a apropriação do espaço para empreendimentos como industrias, residências e centros comercias modificam a paisagem

c) Grande parte dos impactos ambientais está subordinada às relações existentes entre ciência, tecnologia e mercado global.

Sim, já que a apropriação da natureza está ligada a captação de recursos para posterior utilização em processos industriais, científicos e comerciais.

d) Para a exploração da natureza numa economia de mercado global, ciência e tecnologia são dispensá

Não, técnica e ciência andam juntas para aumentar a produtividade e maximizar o poder de apropriação humana da natureza.

e) As mudanças que ocorrem no mercado global devem ser interpretadas pela subordinação deste à lógica da ecologia

Não, não existe subordinação total das relações de mercado pela ecologia

Continue estudando
Post do blog

Mapa Mental: Formação do Espaço – Revoluções Industriais

Vem descobrir tudo sobre a Formação do Espaço nas Revoluções Industriais e fique pronto para arrasar na sua prova de geografia!
artigo
Post do blog

Geografia: Formação do Espaço e Revoluções Industriais

Quem aí está doido para conhecer o Hansen, o melhor professor de Geografia do Brasil? 😀
artigo