O que é Coesão Textual e Coerência Textual?

A competência discutida hoje depende (e muito!) do seu conhecimento vocabular. Para isso, treinar é fundamental! ;)
A competência discutida hoje depende (e muito!) do seu conhecimento vocabular. Para isso, treinar é fundamental! ;)

Você já aprendeu, na aula, no resumo e na monitoria sobre o Exame da Banca do ENEM, que, na prova, há cinco competências que analisam a sua redação, certo? Dentro dessas cinco competências, uma das mais importantes é a Coesão Textual que tem conexão com outra competência também muito interessante, a Coerência Textual. Nosso trabalho, hoje, é discutir esse critério, conhecê-lo melhor, entender o que o ENEM quer que você faça e, é claro, evitar erros. Antes disso tudo, porém, precisamos dar uma passada pelo conceito e pela tipologia dessa coesão, a fim de conhecermos melhor o que é esse ponto tão importante na nossa redação. Vamos juntos?

O que é Coesão Textual?

De forma bem objetiva, a Coesão Textual é uma expressão formal de uma outra competência muito importante: a três, que trata de Coerência Textual. Coerência tem relação com sentido, ou seja, se seu texto segue uma linha de raciocínio – se você não contradiz seus argumentos, por exemplo – e apresenta uma fundamentação consistente, podemos dizer que você está num bom caminho. A Coesão, então, é a expressão dessa Coerência no papel. Sim, com palavras. Isso acontece de duas formas: evitando repetições ao longo do texto e, é claro, conectando as partes desse texto. Essas duas formas são as famosas Coesão Referencial Coesão Sequencial, respectivamente. Vamos falar um pouco delas?

Coesão Referencial

A Coesão Referencial é responsável por evitar repetições entre as palavras, e utiliza recursos anafóricos e catafóricos, se referindo a termos que vêm antes ou depois do mecanismo de coesão, respectivamente. Os recursos utilizáveis são inúmeros; entre os principais, temos os pronomes, os sinônimos, outros grupos de palavras muito úteis, os hipônimos hiperônimos, os epítetos, as metonímias, os advérbios e os numerais.

Coesão Sequencial

Os elementos de coesão sequencial são responsáveis – como o próprio nome sugere – pelo sequenciamento ou andamento do texto. Estabelecem as principais ligações entre as partes da sua redação, de forma que a coesão textual se manifeste mais notoriamente. Entre os principais recursos, destacam-se as frases de apoio, os conectivos e os ganchos semânticos.

Sabe o cimento que liga os tijolos em um muro? A Coesão Sequencial funciona exatamente da mesma forma: ela conecta os parágrafos, os períodos, as orações, criando uma linha de raciocínio e deixando seu texto bem completo!
Sabe o cimento que liga os tijolos em um muro? A Coesão Sequencial funciona exatamente da mesma forma: ela conecta os parágrafos, os períodos, as orações, criando uma linha de raciocínio e deixando seu texto bem completo!

Quando falamos de ligações – objetivo principal das duas formas de coesão -, há três níveis que precisam ser considerados: o intrafrasal, ou seja, aquele que estabelece a ligação entre os elementos dentro do período; o interfrasal, em que pelo menos dois períodos se conectam; e o interparagrafal, pelo qual a conexão ocorre entre parágrafos diferentes. É muito importante que você conheça esses três níveis, já que o seu papel é garantir a coesão entre eles – seja evitando repetições, seja conectando as partes.

Uma dica muito importante: assim que terminar o rascunho do seu texto, tente trocar os parágrafos de desenvolvimento de lugar. Se, ainda assim, seu texto fizer sentido, há alguma coisa errada. O seu texto precisa fazer sentido apenas na organização que você escolheu fazer. Nessa tarefa, conectivos como “em primeiro lugar”, “além disso”, “por outro lado” etc. fazem um ótimo trabalho! Experimente utilizá-los!

Coerência Textual

A coesão encontra-se no texto como uma forma de “tecer o tecido do texto”, porém a coerência não se encontra no texto, mas constrói-se a partir dele, em dada situação comunicativa. Para a produção de sentidos do texto, é preciso que o leitor ative conhecimentos previamente constituídos e armazenados na memória. Sendo assim, podemos dizer que a coesão e a coerência estão ligadas, pois enquanto a coerência é a sequência lógica das ideias de um texto, a coesão é a manifestação formal da coerência de forma que estabelece nexos entre as partes do texto.

E aí, descomplicamos? Responsáveis pelas competências 3 e 4 de sua redação, a Coesão e a Coerência somam 400 (quatrocentos!) pontos na sua nota do ENEM. Dá pra ver a importância delas no texto, né? Fique ligado nas aulas ao vivo, entenda bem o assunto, leia redações exemplares e, é claro, ESCREVA! Treinar é fundamental. Antes de tudo, vamos fazer alguns exercícios e ver como isso também pode cair no vestibular?

Bom texto e bom 1000!

Exercícios

1.(UERJ 2015 – 2º Exame de Qualificação)

A crônica de Gregorio Duvivier é construída em um único parágrafo com uma única frase. Essa frase começa e termina pela mesma expressão: é menina. Em termos denotativos, a menina, referida no final do texto, pode ser compreendida como:

a) filha da primeira
b) ideal de pureza
c) mulher na infância
d) sinal de transformação

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

2.(UERJ 2012 – 2º Exame de Qualificação)

Na coesão textual, ocorre o que se chama catáfora quando um termo se refere a algo que ainda vai ser enunciado na frase. Um exemplo em que o termo destacado constrói uma catáfora é:

a) Como se ela restituísse, (l. 7)
b) Pode ser que essas suposições tenham algo de utópico, (l. 17)
c) não numa partícula verbal externa a elas, (l. 22-23)
d) No seu estado de língua, no dicionário, as palavras intermedeiam (l.30)

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

3. (ENEM 2009)

Manuel Bandeira

Filho de engenheiro, Manuel Bandeira foi obrigado abandonar os estudos de arquitetura por causa da tuberculose. Mas a iminência da morte não marcou de forma lúgubre sua obra, embora em seu humor lírico haja sempre um toque de funda melancolia, e na sua poesia haja sempre um certo toque de morbidez, até no erotismo.

Tradutor de autores como Marcel Proust e William Shakespeare, esse nosso Manuel traduziu mesmo foi a nostalgia do paraíso cotidiano mal idealizado por nós, brasileiros, órfãos de um país imaginário, nossa Cocanha perdida, Pasárgada. Descrever seu retrato em palavras é uma tarefa impossível, depois que ele mesmo já o fez tão bem em versos.

Revista Língua Portuguesa, n° 40, fev. 20

A coesão do texto é construída principalmente a partir do (a)

a) repetição de palavras e expressões que entrelaçam as informações apresentadas no texto.
b) substituição de palavras por sinônimos como “lúgubre” e “morbidez”, “melancolia” e “nostalgia”.
c) emprego de pronomes pessoais, possessivos e demonstrativos: “sua”, “seu”, “esse”, “nosso”, “ele”.
d) emprego de diversas conjunções subordinativas que articulam as orações e períodos que compõem o texto.
e) emprego de expressões que indicam sequência, progressividade, como “iminência”, “sempre”, “depois”.

VEJA COMO RESOLVER PASSO-A-PASSO ESTA QUESTÃO!

Gabarito

1. A

2. D

3. C

Continue estudando
Post do blog

Questões Comentadas: Coesão Textual

Leia o resumo O que é Coesão Textual e Coerência Textual?” e resolva o exercício abaixo.
artigo
Post do blog

Mapa Mental: Estrutura da Dissertação

Aprenda a Estrutura da Dissertação para arrasar na redação do ENEM e garantir sua nota 1000! 😀
artigo