Quer ficar por dentro sempre que houver questões novas?

Cadastre-se e saiba quando nossa equipe disponibilizar novas questões do Enem!

Equipe Descomplica
A melhor equipe de professores do Brasil ;)

O movimento imigratório para o Brasil no século XXI

Análise da proposta de redação do ano de 2012.

O tema do ENEM de 2011 pegou os alunos de surpresa. Apesar da total relação com as atualidades (principalmente com a questão dos haitianos), exige certo conhecimento baseado no que foi estudado ao longo do Ensino Médio, estimulando a interdisciplinaridade. Por isso, é essencial que o candidato, na proposta, dê total atenção aos textos de apoio e, acima de tudo, saiba relacionar essa proposta ao que aprendeu nas aulas de História e Geografia.

Análise das Referências

Texto I

Ao desembarcar no Brasil, os imigrantes trouxeram muito mais do que o anseio de refazer suas vidas trabalhando nas lavouras de café e no início da indústria paulista. Nos séculos XIX e XX, os representantes de mais de 70 nacionalidades e etnias chegaram com o sonho de “fazer a América” e acabaram por contribuir expressivamente para a história do país e para a cultura brasileira. Deles, o Brasil herdou sobrenomes, sotaques, costumes, comidas e vestimentas.

A história da migração humana não deve ser encarada como uma questão relacionada exclusivamente ao passado; há a necessidade de tratar sobre deslocamentos mais recentes.

Disponível em: http://www.museudaimigracao.org.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

No texto 1, a proposta discute a mistura, a riqueza existente no Brasil, resultado da imigração de muitos anos. Dessa forma, abre espaço para uma argumentação voltada para as vantagens da globalização e do encontro de culturas – e, consequentemente, para os problemas de se negar tal fusão.

Texto II

Acre sofre com invasão de imigrantes do Haiti

Nos últimos três dias de 2011, uma leva de 500 haitianos entrou ilegalmente no Brasil pelo Acre, elevando para 1.400 a quantidade de imigrantes daquele país no município de Brasileia (AC). Segundo o secretário-adjunto de Justiça e Direitos Humanos do Acre, José Henrique Corinto, os haitianos ocuparam a praça da cidade. A Defesa Civil do estado enviou galões de água potável e alimentos, mas ainda não providenciou abrigo.

A imigração ocorre porque o Haiti ainda não se recuperou dos estragos causados pelo terremoto de janeiro de 2010. O primeiro grande grupo de haitianos chegou a Brasileia no dia 14 de janeiro de 2011. Desde então, a entrada ilegal continua, mas eles não são expulsos: obtêm visto humanitário e conseguem tirar carteira de trabalho e CPF para morar e trabalhar no Brasil.

Segundo Corinto, ao contrário do que se imagina, não são haitianos miseráveis que buscam o Brasil para viver, mas pessoas da classe média do Haiti e profissionais qualificados, como engenheiros, professores, advogados, pedreiros, mestres de obras e carpinteiros. Porém, a maioria chega sem dinheiro.

Os brasileiros sempre criticaram a forma como os países europeus tratavam os imigrantes. Agora, chegou a nossa vez — afirma Corinto.

Disponível em: http://www.dpf.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

O texto 2 apresenta o caso dos haitianos, famoso no momento em que o tema foi lançado. Define, então, a xenofobia, por meio da expulsão e aversão aos que chegam ao Brasil – com justificativas como a de que estão roubando vagas de emprego, trazendo culturas pouco admiradas pelos locais, etc. Consequentemente, ligando a ideia do texto 2 à do texto 1, pode-se enxergar um cenário de negação das misturas, o que precisa ser resolvido.

Texto III

Trilha da Costura

Os imigrantes bolivianos, pelo último censo, são mais de 3 milhões, com população de aproximadamente 9,119 milhões de pessoas. A Bolívia em termos de IDH ocupa a posição de 114º de acordo com os parâmetros estabelecidos pela ONU. O país está no centro da América do Sul e é o mais pobre, sendo 70% da população considerada miserável. Os principais países para onde os bolivianos imigrantes dirigem-se são: Argentina, Brasil, Espanha e Estados Unidos.

Assim sendo, este é o quadro social em que se encontra a maioria da população da Bolívia, estes dados já demonstram que as motivações do fluxo de imigração não são políticas, mas econômicas. Como a maioria da população tem baixa qualificação, os trabalhos artesanais, culturais, de campo e de costura são os de mais fácil acesso.

OLIVEIRA, R.T. Disponível em: http://www.ipea.gov.br. Acesso em: 19 jul. 2012 (adaptado).

O texto 3 faz referência, principalmente, aos métodos de sobrevivência por parte de imigrantes – tanto os que não são bem recebidos quanto os que, simplesmente, se deslocam para outro país sem conhecimento profissional, a ponto de conseguirem um emprego de forma mais fácil. Dessa forma, a discussão abre espaço, novamente, para a aversão, a xenofobia, a vontade de expulsar aqueles que trazem, em primeiro lugar, novidade e riqueza cultural para o país de destino.

Análise Geral

É importante identificar dois pontos, na frase-tema: o movimento imigratório é para o Brasil, e no século XXI. Isso significa que não é possível fazer referência a outros espaços, outros destinos, outras culturas – a não ser que se faça a título de comparação. Deve-se esquecer, então, os problemas ligados aos Estados Unidos, Europa, Oriente Médio, focando, apenas, as problemáticas ligadas ao Brasil como destino – e à contemporaneidade, o que já era de se esperar.

Sugestão de Teses

Há, aqui, uma sugestão de tese bem clara e interessante:

Tese: Apesar da mistura e riqueza cultural formada na chegada dos imigrantes, há, hoje, uma aversão àqueles que vêm de fora, para o Brasil.

Obs: Importante notar que o conectivo apesar de enfraquece o primeiro argumento, dando mais força ao segundo trecho do período, o que dá mais espaço para a formulação de propostas.

D1: Exaltar a mistura e riqueza cultural que nascem do encontro das diferentes tradições.

D2: Apontar a aversão e seus motivos – causas -, além dos efeitos – consequências – desse sentimento de xenofobia.

Conclusão

É importante, portanto, que o candidato identifique os pontos importantes do tema, o direcionamento dos textos de apoio e, principalmente, que utilize seus conhecimentos das Ciências Humanas na construção da redação. Dessa forma, contextualizações envolvendo História e Geografia podem ser bem interessantes, estimulando a interdisciplinaridade e, é claro, garantindo mais pontos com o corretor.

Anterior
Análise do tema