• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Resumo Era Vargas: com certeza cai no Enem!

A Era Vargas é um período super importante na História do Brasil. Você provavelmente já sabe que esse assunto é tema quase obrigatório pra quem vai prestar o Enem, né? Então, se liga nas dicas que o Descomplica preparou e nesse resumo da Era Vargas pra não vacilar nessa parte da prova, hein!

Getúlio Vargas é uma parte importante da história e da política brasileira. Ele esteve no poder de 1930 até 1945 e, por isso, esse tema é tão abordado nas provas do Enem. Provavelmente, esse vai ser um assunto que vai cair no seu exame, então, saca só um resumão da Era Vargas pra você entender bem o que foi esse período

Resumo da Era Vargas para o Enem

A Era Vargas é dividida em três períodos, que foram bastante relevantes para o Brasil. São eles:

Governo Provisório – de 1930 até 1934

Segundo Governo Constitucional – de 1934 a 1937

Estado Novo – de 1937 a 1945

Pra começar, vamos ao período inicial, que é quando Getúlio Vargas assume o poder após Revolução de 1930, quando sai de cena a oligarquia cafeeira. Nesse movimento, Vargas suspende a constituição, iniciando processo de centralização política – por isso, o nome Governo Provisório.

É a partir daí que ele cria ministérios, como os da Educação e do Trabalho, nomeia tenentes como interventores e formula algumas leis trabalhistas. O código eleitoral também torna o voto secreto e dá a possibilidade de voto para as mulheres.

Outro passo importante desse período da Era Vargas foi a criação do Conselho Nacional do Café, que tinha o objetivo de valorizar o produto no mercado internacional e centralizar a política da cafeicultura brasileira.

Até aí tá tudo legalzinho, mas e a Constituição? O Brasil ainda não tinha uma…

Foi aí que teve início uma forte oposição a Vargas, iniciada pelos paulistas. A população foi às ruas, exigindo uma assembleia constituinte. No ano de 1932, então, aconteceu a Revolução Constitucionalista Paulista.

Vargas, como era de se esperar, reprimiu fortemente esse movimento. Só em 1934 é que ele promulga a Constituição, dando início à Segunda Fase da Era Vargas.

Esse governo, portanto, foi constitucional. Nele, havia algumas características como:

  • Voto secreto;
  • Voto feminino;
  •  Leis trabalhistas presentes na Constituição

Você deve estar pensando: ah, bacana! Agora os conflitos acabaram. Que nada!

Havia uma radicalização ideológica muito grande nesse momento, com a fundação da Ação Integralista Brasileira. Liderada por Plínio Salgado, ela tinha preceitos fascistas. 

De outro lado, em 1935, surgia a Aliança Nacional Libertadora, organização que tinha a presença de vários setores de centro e esquerda, incluindo o Partido Socialista, liderado por Luís Carlos Prestes. 

Imaginou a confusão, né? Mas espera que tem mais!

Nesse meio tempo, houve tentativa de um golpe comunista, que ficou conhecido como a Intentona Comunista de 1935, mas o levante foi controlado novamente pelo Governo.

Uma informação interessante sobre esse período é que, quando o mandato de Getúlio estava prestes a acabar, houve um ataque comunista assinado por um suposto espião soviético, chamado Cohen, mas tudo não passava de um golpe para concentrar ainda mais o poder. 

Depois, descobriram que a carta foi escrita por Olímpio Mourão, com consentimento do presidente Vargas. Essa ação, realizada em 1937, ficou conhecida como o Plano Cohen.

Resumo da Era Vargas: consolidação do poder e queda

Até esse período, Vargas está consolidado no poder, concentrando tudo em suas mãos. Ele fecha o congresso e nomeia interventores em todos os Estados com apoio do Exército. Com isso, se mantém no poder por mais oito anos, dando origem ao Estado Novo, que era um governo ditatorial.

Tratava-se de uma ditadura personalista, já que se mantinha sob a personalidade Getúlio Vargas, que consegue legitimação da sua figura com a criação do Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), assumindo o controle dos meios de comunicação

Outras iniciativas importantes são tomadas nesse período, com foco para o incentivo à industrialização brasileira e criação da Vale do Rio Doce e da Cia. Siderúrgica Nacional (CSN).

Essa é a primeira vez em que vemos a industrialização como política de estado no Brasil. Com isso, Vargas precisava mediar conflitos entre trabalhadores e empresários e, para tanto, elabora a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que era uma reivindicação antiga da classe operária. 

Com esta ação, Vargas fica super popular e ganha a fama de “Pai dos Pobres”. 

Depois, com a entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, ao lado dos Estados Unidos, o cenário muda para Getúlio.

Isso porque os militares que apoiaram o presidente se voltaram contra ele e a favor da democracia. A oposição de Vargas chega ao seu auge e, então, um golpe militar em 1945 garante a realização de eleições e Eurico Gaspar Dutra é eleito presidente do Brasil. 

Acha que acaba por aí? Nada! Em 1951, Getúlio Vargas retorna, mas isso é assunto pra outra conversa! A Era Vargas termina por aqui, galhere!

Ah! Precisa de aulas para o Enem 2021? Vem pro Descomplica? Temos os programas de aulas mais completos pra você arrasar no exame!

Era Vargas de forma divertida e ilustrada

Era Vargas é um assunto extremamente importante para a história do Brasil. Nesse resumo para o ENEM, vamos falar sobre as fases de governo provisório, governo constitucional, Estado Novo e até sobre a criação da CLT e do voto universal.

Curtiu? Então dá o play e baixe o mapa mental completinho pra estudar com as nossas dicas!

Era Vargas Resumo: confira e arrase na prova!