Quer receber materiais gratuitos e conteúdos exclusivos? 😉

Insira seu e-mail e receba todas as novidades sobre o Enem 2019 em primeira mão

Enem 20 anos: veja a evolução da prova e principais mudanças

Prova foi criada em 1998 e já teve mais de 6 milhões de inscritos em 2017

Caderno de provas da última edição do Enem. Fonte: Uol

Este ano é simbólico! É o marco do Enem 20 anos – idade de muitos jovens que vão participar do Enem 2018. Mal dá para imaginar que em todo esse tempo, o exame já foi bem diferente do que é hoje. Por exemplo, você sabia que o Enem tinha apenas 63 questões na sua primeira edição? 🙀 Totalmente diferente da maratona de 180 enunciados que encaramos hoje, né?

SAIBA COMO E O QUE ESTUDAR PARA O ENEM 2018!

Como sabemos que o vestibular mais esperado do ano muda a vida de milhões de pessoas Brasil afora, preparamos uma linha do tempo esperta, com todas as mudanças pelas quais o exame já passou. Ficou curioso? 🤩 Veja só:

Linha do tempo

Década de 1990

  • 1998: criação e primeira aplicação da prova. Nessa época, o Enem era voluntário, pago e tinha como finalidade avaliar o domínio dos participantes em matérias do ensino médio. A taxa de inscrição custava R$20. A edição contou com 157 mil inscrições. Os candidatos faziam apenas uma prova com 63 questões e uma redação. As avaliações eram aplicadas durante quatro horas em um dia apenas;

Década de 2000

  • 2000: a taxa de inscrição salta para R$ 35. Já o tempo de duração da prova aumenta para cinco horas;
  • 2001: estudantes de escola pública são contemplados com a isenção da taxa de inscrição. O número de participantes salta para mais de 1,6 milhão;
  • 2004: o Enem torna-se critério de participação para bolsas de estudo do Programa Universidade Para Todos (ProUni). A quantidade de participantes, porém, caiu para 1,5 milhão;
  • 2009:  O Enem começou a ficar mais parecido com o que conhecemos hoje. O Ministério da Educação (MEC) criou o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), plataforma que seleciona os candidatos do Enem para os cursos de graduação de universidades públicas do país. A prova expande o número de questões para 180. Porém, mantém apenas uma redação. A aplicação passa a ser em dois dias – sábado e domingo. Além disso, os candidatos devem realizar as avaliações de Ciências da Natureza e Ciências Humanas no primeiro dia e Linguagens, Redação e Matemática, no segundo. A edição de 2009 foi a primeira vez em que a Teoria de Resposta ao Item (TRI) foi aplicada no exame. Foram contabilizados 4,1 milhões de inscritos. Isso sem falar que o Enem passa a certificar para o Ensino Médio;

Década de 2010

  • 2010: o MEC passa a exigir a nota mínima de 450 pontos e nota acima de zero na redação para aprovação no exame;
  • 2013: os candidatos puderam usar sua média no Enem para aplicar para o programa universitário Ciências Sem Fronteiras. Ao todo, foram contabilizados 7,1 milhões de participantes;
  • 2014: mais 8,7 milhões de candidatos se inscreveram no Enem. Até então, marca recorde na história do exame;
  • 2015: o número de inscritos volta a cair um pouco – 7,7 milhões. Aqui passa a valer a regra de que os candidatos isentos da taxa de inscrição que faltarem os dois dias de provas, não poderão participar da edição seguinte. A média da prova também pode ser usada como critério de participação às bolsas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies);
  • 2017: depois de uma consulta pública, o MEC decidiu que a aplicação do exame seria em dois domingos consecutivos. A disposição das matérias também foi alterada. Os candidatos agora fazem as provas de Ciências Humanas, Linguagens e Redação no primeiro domingo e Ciências da Natureza e Matemática, no segundo. Outra mudança é que a certificação do Ensino Médio pelo Enem cai e a função é conferida ao Encceja;
  • 2018: aniversário de 20 anos do Enem! A estrutura do exame é semelhante a de 2017. O segundo dia de provas ganha 30 minutos a mais de duração. O período de solicitação da isenção da taxa de inscrição passa para um período anterior ao de inscrições. Outra mudança para esta edição é que os ausentes e isentos no Enem 2017 precisam justificar suas faltas para solicitar o recurso novamente no Enem 2018.  

Depois dessa, podemos dizer que o Enem é um jovem de 20 anos bem vividos, hein? Confira todas as novidades para a edição deste ano e monte a sua estratégia mais efetiva para arrasar na prova. O Descomplica está aqui para o que você precisar e só saímos do seu lado quando a matrícula da faculdade estiver feita! Vamos juntos nessa? 💪