Setembro amarelo: uma reflexão importante para concurseiros (as)

Na vida do concurseiro, não é raro ser pressionado pelos problemas e pela vontade de fazer outras coisas, além de estudar.  Sejamos honestos: nem todos os dias da jornada são empolgantes.

Às vezes, essa sensação é tão forte, que você, que odeia serviço de casa, começa a querer lavar a louça (risos). Você começa a ter uma vontade alucinante de sair desse estilo de vida repetitivo e de fazer atividades que, normalmente, não curte, só para mudar a rotina.

Nesse momento, é preciso ter um enorme cuidado para não deixar o desespero estragar tudo. Sim, ele pode colocar tudo a perder! Afinal, quando estamos nesse estado emocional, perdemos o equilíbrio e enxergamos tudo de forma turva.

Ao percebermos a realidade de uma forma distorcida, podemos ficar pessimistas, cansados e nos entregar a um estado de apatia. Isso porque o processo de preparação é muito lento, gradual. Os resultados demoram a se fazer perceptíveis. Podem levar muitos anos para acontecer.

banner_descomplica_concursos

Tudo piora muito quando algumas pessoas começam a se comparar com outras. Se os aprovados dizem que estudaram por alguns meses e passaram, quem ainda está na luta passa a querer ser vitorioso no mesmo prazo. E se isso não acontece, uma frustração profunda se instala! Por isso que essa atitude é muito perigosa.

Já cansamos de dizer que cada um tem seu tempo e sua peculiaridade para chegar onde deseja. Uns terão mais facilidades; outros, menos. Mas, uma coisa, todos têm em comum: problemas. Então, todos vão chegar lá, vencendo os próprios desafios pessoais.

E não pense que os desafios deixarão de existir após a posse! A questão financeira até pode ser resolvida, mas outros obstáculos estarão pelo caminho, para serem vencidos. O peso da responsabilidade do cargo assumido, a quantidade de trabalho, prazos para cumprir etc.

O fato é que ser aprovado vale muito a pena. Por experiência própria, digo-lhes que é muito gratificante. Só que precisamos ter consistência para atingir esse objetivo. Se a saúde mental ficar pelo caminho, a chegada à posse perde o sentido. Deixa de ser vitória.

Resumo da Ópera: permita-se ser, na medida do possível, feliz durante a preparação para concursos. Não deixe para sê-lo somente quando passar, pois tudo fica mais penoso e, paradoxalmente, demorado quando se age assim. Cuide dos seus sentimentos. Cuide de sua saúde mental. #SetembroAmarelo

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram
@concurseiro.solitario. Será um prazer!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here