Saiu o edital! Fujo ou enfrento de peito aberto?

Saiu o edital do Tribunal Federal Federal da 3a Região. Toda vez que sai um edital muito esperado como este, o concurseiro é tomado por um clima de nervosismo. Há quem até fique estérico (risos).

Faça avaliações pessoais

Com isso, algumas avaliações pessoais devem ser feitas. Tenho dinheiro para prestar este concurso? Desejo trabalhar como Analista Judiciário/Técnico Judiciário? Estou estudando bastante? Vou me comprometer com seriedade até a data da prova?

Para algumas pessoas, essas perguntas são bobas e têm respostas muito óbvias. Ocorre que não necessariamente é assim. Cada um tem uma peculiaridade a enfrentar no momento de tomar a decisão de participar do processo seletivo público. São muitos os fatores em jogo para se lançar a esse novo desafio.

Há pessoas que não querem ou não podem mudar de estado da federação. Existe quem não tenha recursos para, mesmo com todo esforço do mundo, custear inscrição, passagem, hospedagem e alimentação para prestar o concurso. Também existem aqueles que não conseguem se ver trabalhando internamente e preferem ser Oficiais de Justiça, por exemplo. Como o edital não oferece o cargo e a vocação fala mais alto, tais pessoas direcionarão seu foco para outros concursos.

banner_descomplica_concursos

Considere sua bagagem

Existe quem esteja estudando há pouco tempo e, também, quem esteja se dedicando à preparação há muitos anos, mas não vem obtendo bons resultados. Cabe aqui uma análise mais detida. No primeiro caso, se você dispuser de recursos financeiros suficientes para prestar muitas provas, entendemos que vale a pena se inscrever. Só não seria vantajoso se não pudesse custear tais despesas, sendo mais interessante poupar tais recursos para um momento posterior, já com mais bagagem de estudos.

Em relação àqueles que estudam há bastante tempo, é chegada a hora de revisar o que já se estudou e de aprender os conteúdos novos, em relação ao último concurso, que surgem de última hora quando da publicação do edital. Se você não estiver se sentindo seguro(a), cuidado para não ficar, eternamente, postergando o momento de fazer concursos porque não se sente pronto(a) ou porque vem colecionando reprovações. Às vezes, nunca nos sentiremos prontos. Saiba que ninguém sai de casa sabendo que vai passar naquele certame.

É importante lembrar: é só uma prova e nada de mal vai acontecer. O máximo que pode acontecer é você não passar, mas vai adquirir experiência para o próximo certame. Cada prova te deixa mais capacitado, antenado e, portanto, mais calmo para a próxima oportunidade. Afinal, aquilo vai se tornando algo habitual e comum para você. É a chegada no local de prova, o controle do tempo, o desconforto na cadeira ruim. Enfim, o dia “D” vai deixando de ter tanto peso.

Valorize cada parte da sua jornada

Para te deixar mais confiante para prestar este concurso, temos mais argumentos. Devemos valorizar cada pequena vitória nas nossas jornadas. São elas: o aumento de percentual de acertos nos simulados e provas reais que fazemos; a alegria de terminarmos um módulo grande de alguma disciplina difícil; a nossa resiliência – devemos nos sentir confiantes por não termos desistido -, mesmo tendo passado por inúmeras dificuldades.

Resumo da Ópera

Ao decidir se vai prestar o concurso do Tribunal Regional Federal da 3a Região, pense que todo estudo é cumulativo e que você vem formando uma bagagem até aqui. Sabemos que dá medo, mas vá com medo mesmo! É uma experiência e tanto!

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram @concurseiro.solitario. Será um prazer!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here