O caminho não é retilíneo

Se você está chegando agora ao universo dos concursos e pensa que vai caminhar por uma “estrada reta e bem pavimentada”, está redondamente enganado. A trilha é estreita e esburacada, com depressões e elevações. Esteja preparado. Essa é uma experiência impressionante para as nossas vidas.

O caminho é desafiador

Usamos essa comparação com uma estrada para que você possa compreender didaticamente como é desafiador estudar para concursos. Haverá dias de alegria, de entusiasmo e, também, haverá dias de tristeza e de falta de fé. Não podemos te enganar, dizendo que é uma maravilha o tempo todo, porque não é.

O caminho é de superação

O verdadeiro teste se dá quando vemos os resultados das provas que fazemos. É uma loucura! É possível começar ficando em 100° lugar em um concurso federal, depois ficar em 20° lugar em um concurso de conselho profissional, depois ficar em 400° lugar em um concurso de Analista Judiciário de Tribunal. Daí, você estuda mais um ano e fica em 902° lugar em um concurso para o qual estudou muito.

Se você fizer um gráfico, poderá até pensar que piorou de desempenho. Se você fizer uma comparação com a estrada, vai pensar que caiu nos buracos e quebrou a roda do seu carro (se você não tiver um, faça de conta que tem). No entanto, os resultados das provas de concursos que fazemos apresentam tantas variáveis, que não devemos nos aferrar tanto a eles para não sofrermos desnecessariamente.

banner_descomplica_concursos

É claro que um bom resultado, um aumento no percentual de acertos deve ser encarado como um estímulo para continuar estudando. Os maus resultados também devem ser usados como sinalizações de onde precisamos intensificar mais os estudos para corrigir nossas deficiências. E paremos por aqui! Seguir com outras divagações pode nos iludir, seja pensando que não é mais necessário estudar algo porque fomos bem na prova, seja porque fomos mal e achamos que iremos sempre assim.

O caminho é de estratégias

O fato é que o resultado leva em conta a sua calma, a capacidade de atenção, seu sono, o tamanho das questões, o tempo para resolver a prova, o grau de complexidade, a quantidade de inscritos, entre muitos outros aspectos. Não é recomendável fazer uma análise simplista e ficar refém disso.

Resumo da Ópera

Em vez de reclamar da “estrada tortuosa” e “cheia de pedras” no caminho dos estudos para concursos, procure aprimorar a “direção” e a força “para subir as montanhas”. Em outras palavras, esteja pronto para qualquer intempérie que surgir durante a sua trajetória.

Se você quiser conversar comigo sobre essas e outras questões, siga-me no Instagram @concurseiro.solitario. Será um prazer!

Raquel Monteiro, é advogada pós-graduada em Direito Público pela Universidade Gama Filho, blogueira do Concurseiro Solitário. Já foi oficial da Marinha do Brasil e agora, todas as quintas, posta aqui no Tudo Sobre Concursos as vicissitudes da vida de uma legítima concurseira carioca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here