• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Quais são os tipos de e-commerce e como funcionam?

Que a Internet foi um marco mundial na nossa história não há dúvidas, né? Da mesma forma, a sua evolução contínua também é uma certeza. Hoje, porém, a gente quer mesmo é falar sobre os tipos de e-commerce, que ganham cada vez mais espaço.

Resumidamente, esse modelo de comércio acontece no universo digital. Pois é, isso se trata das já populares compras virtuais. No entanto, não existe um único modelo padrão quando se trata da categorização de lojas virtuais.

Portanto, se você está pensando em se aventurar nesse meio, é fundamental conhecer os gêneros e o seu funcionamento. Pra te ajudar, neste artigo, a gente vai falar sobre os modelos de e-commerce e sobre o que cada um foca. Continue a leitura!

Quais são os principais tipos de e-commerce?

Antes de a gente tratar especificamente dos tipos, vale a pena esclarecer o conceito. Afinal, o que se pode entender como um e-commerce? Bem, basicamente — e de forma simples —, esse tipo de negócio representa a comercialização de produtos ou serviços online.

Nesse ponto, vale destacar, inclusive, que o termo não se confunde com o significado de loja virtual. A segunda nada mais é do que um dos canais do primeiro. 

Agora, veja o que realmente é o propósito deste conteúdo. A gente vai te ensinar a distinguir os tipos de e-commerce e os respectivos meios de atuação.

C2C (Customer-to-customer)

Nas transações C2C, basicamente, os clientes vendem pra outros clientes. Geralmente, esse modelo requer uma plataforma que viabilize a divulgação dos produtos e a interação entre as partes

Contudo, vale ter em mente que uma taxa costuma ser paga pelos vendedores. Usualmente, os ambientes que intermedeiam a comercialização são marketplaces. 

Nesses espaços, o público tem acesso a uma quantidade infinita dos mais diversos itens, sendo comum encontrar, até mesmo, artesanatos e criações artísticas similares. Por exemplo, o Mercado Livre é um deles.

B2C (Business-to-customer)

Os comércios (pessoas jurídicas) que vendem pra pessoas físicas fazem parte dessa categoria. Inclusive, essa é a modalidade mais comum quando a gente pensa nas transações online.

No entanto, por conta da alta competitividade do mercado, essas empresas correm o risco de ter menores lucros. Além disso, as lojas virtuais que atuam no B2C precisam ter um cuidado redobrado com alguns aspectos

As imagens e as descrições dos produtos ofertados são dois deles. Isso porque, por meio desses elementos, o cliente analisa o item disponível pra compra.

Com isso, ele é capaz de compreender os benefícios que aquela aquisição vai agregar (ou não) ao seu dia a dia. Isso influencia diretamente a sua decisão de compra.

B2B (Business-to-business)

Os e-commerces que fazem parte dessa categoria se caracterizam pela presença de duas empresas. Ou seja, nesse caso, ambas as partes são pessoas jurídicas. Usualmente, então, essas lojas atuam com um volume bastante significativo.

Desse modo, essas companhias podem trabalhar com uma exigência de quantidades ou valores mínimos pro fechamento dos pedidos de compra.

Por outro lado, em razão da composição do seu público, há também uma cobrança maior no que diz respeito aos prazos de entrega dos produtos e/ou serviços.

Esse modelo, dentre os tipos de e-commerce, é aquele que deve ter um maior espaço de armazenamento e um departamento de logística com uma melhor desenvoltura. Como exemplos, a gente pode mencionar os sites que comercializam mobiliários corporativos.

C2B (Customer-to-business)

Embora possa causar estranheza em um primeiro momento, entre os tipos de e-commerce, há aqueles em que a venda se dá de uma pessoa física pra uma pessoa jurídica. Normalmente, são negócios inovadores e que buscam quebrar paradigmas. 

Nesse caso, os bancos de imagens nos quais os fotógrafos podem vender as suas fotos pra conteúdos publicitários publicados por empresas são um excelente exemplo. 

Em outras palavras, um profissional divulga o seu serviço/produto em uma plataforma. Em seguida, uma organização interessada compra/contrata o que foi ofertado.

Como você pôde ver, as possibilidades de atuação pros interessados em empreender são inúmeras. Neste conteúdo, a gente trouxe apenas os modelos de comércio eletrônico mais conhecidos — e mais comuns. Porém, as opções não foram esgotadas.

Entretanto, se você está mesmo cogitando embarcar nesse universo, saiba que, além de conhecer os tipos de e-commerce, é preciso dominar outros elementos indispensáveis pra ter um negócio de sucesso. As práticas de marketing digital representam um deles.

Por isso, aproveite a visita ao blog e confira o MBA online focado no marketing digital aplicado ao comércio. Conheça os diferenciais da Faculdade Descomplica e veja como a gente facilita pra você ir além!