• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Segunda graduação ou pós-graduação: qual a melhor?

Quando se trata de ganhar mais conhecimentos depois de se formar, vem logo aquela dúvida: fazer uma segunda graduação ou pós-graduação? Antes de qualquer coisa, é preciso pensar no que cada uma dessas opções significa.

Afinal de contas, nenhuma delas é mais certa do que a outra. Por isso, vamos explicar o que cada uma pode representar no seu currículo (e no seu futuro!). Vem com a gente! 

Segunda graduação ou pós-graduação

Pode até parecer um complemento, mas a segunda graduação dá um ar mais generalista ao seu currículo. Isso porque a graduação aborda os assuntos de forma mais básica para que sejam aprofundados depois.

Mas calma, isso não é necessariamente ruim. Um novo curso também indica que você é capaz de pensar de forma multidisciplinar. No entanto, vale lembrar que você vai passar mais tempo sem ser especialista na área que escolher.

Já a pós-graduação é indicada para quando você, de fato, quiser dar um upgrade no seu curso. Dessa forma, o currículo ganha um ar mais especialista. Com isso, a pós é mais curta, voltada para o mercado e oferece muitas possibilidades de networking e de crescimento de carreira

Mas cuidado com alguns fatores, tá? Por exemplo, se você não tem nenhuma experiência no mercado de trabalho, a pós não vai agregar tanto quanto poderia. Além disso, dependendo da sua área, escolher um curso não tão relevante no mercado pode não abrir muitas portas.

Seja como for, fica a dica: as duas decisões vão precisar de muita pesquisa. É isso aí, respira fundo e mãos ao Google! 

O que se deve levar em consideração

Já começou a clarear as ideias? Para ajudar ainda mais, vamos mostrar o que se deve levar em conta para fazer uma escolha como essa.

A verdadeira vocação

Não tem como não falar desse assunto, né? Então vamos começar por ele: muitas pessoas escolhem uma nova graduação porque estão insatisfeitas com o mercado ou com o próprio curso que terminaram. Isso não é regra, claro, mas acontece. Portanto, é totalmente válido seguir o caminho que faz mais sentido para você.

Quando se reflete sobre isso, não tem argumento que possa bater de frente com a vocação. Às vezes dá para acertá-la na primeira graduação, outras vezes é preciso conhecer mais um pouco da área para saber que ela não é a sua.

Também dá para se realizar em um campo dentro da sua área e que você ainda não conhecia, já pensou nisso? Portanto, é bom pesquisar bastante para entender qual caminho se deseja seguir. Pois é, já falamos de pesquisa, mas é preciso reforçar. Nesse caso, o Teste Vocacional Descomplica também pode ser uma boa ideia.

Objetivos de carreira

Vamos ser sinceros: você quer se aperfeiçoar ou mudar de área? Cada resposta leva a caminhos diferentes. Se você quer aprofundar os conhecimentos, uma saída mais lógica é optar pela pós-graduação. Agora, se você pretende seguir um caminho novo, a segunda graduação pode ser a melhor escolha.

Chegar a essa conclusão exige muita análise. Até porque nem sempre a decisão é tão simples (que bom seria se fosse, né?). Também não é fácil para todo mundo discernir a própria vocação.

Mas faça o exercício de imaginar quais objetivos você deseja alcançar e que estilo de vida gostaria de ter em alguns anos. Isso pode ajudar a esclarecer algumas coisas.

Exigências do mercado de trabalho

Essa questão continua o tópico anterior. Afinal, dá para perceber melhor os próprios objetivos ao testar o mercado de trabalho. Então, para brigar por um lugar ao sol em uma área altamente competitiva, uma pós é uma boa ideia.

Mas se o mercado não tiver perspectivas promissoras, nada impede que você faça uma nova graduação e se especialize nela depois. Por isso, faça perguntas aos profissionais mais experientes, fique de olho em grupos de vaga e confira pesquisas sobre a sua área. E o mais importante: preste atenção na própria experiência com tudo isso.

Busca por um salário maior

Não há como negar que a pós-graduação se foca muito nessa questão. Além do networking entre alunos e professores, a pós é um caminho para se tornar um especialista, lembra?

Então esse upgrade de conhecimento costuma ser recompensado com cargos mais altos e salários maiores dentro de uma empresa. Sem falar que pode qualificar você a se candidatar para vagas melhores, claro.

Claro que uma segunda graduação pode abrir caminho para um mercado que pague mais, porém, se os cursos forem muito diferentes, talvez você precise começar de cargos mais baixos até se consolidar. Mas isso também pode fazer parte do seu plano de carreira para alcançar o que realmente importa.

Disponibilidade de estudo

Antes de mais nada, é bom saber que as duas escolhas vão demandar tempo para estudar. Ainda assim, a segunda graduação exige mais paciência devido à duração do curso. Conciliar com o trabalho pode ser um desafio, mas é possível se for na modalidade EAD (Ensino a Distância).

Já a pós-graduação pode durar muito menos devido à urgência de se alinhar com o mercado de trabalho. Além disso, a flexibilidade de horários e as opções EAD tornam essa escolha muito mais fácil de equilibrar com o trabalho. Outra vantagem é que você pode aplicar rapidamente o que aprender no curso, o que torna o aprendizado mais prático e dinâmico.

Os custos envolvidos

Sabe o que falamos do tempo? Pois bem, é preciso considerá-lo na hora de calcular os custos da segunda graduação ou pós-graduação. Isso porque a duração do curso é proporcional ao dinheiro que você vai desembolsar.

Além desse fator, também vale comparar instituições para ver a que mais se aproxima da sua realidade financeira. Mas vale lembrar que você pode recorrer a financiamento, bolsas de estudos ou encontrar opções acessíveis com boa qualidade.

Se a sua decisão é a pós-graduação, temos uma sugestão para você: o Pós Descomplica. Os cursos funcionam totalmente online, o corpo docente conta com professores qualificados e você ainda consegue estudar com um bom custo-benefício. Bacana, não é? Confira os nossos cursos!