• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Neuroeducação: quais os impactos na aprendizagem?

O que é Neuroeducação? Você deve estar se perguntando.

Cada vez mais a gente pode perceber a importância de dialogar com diferentes áreas do conhecimento pra melhorar os processos educacionais e garantir o melhor aproveitamento pelo aluno.

Nesse sentido, a Neuroeducação aparece como área do conhecimento capaz de oferecer ferramentas diante da árdua tarefa dos educadores no mercado de trabalho atual.

Tendo em vista que se trata de um conceito promissor, especialmente diante das inovações na área da educação, a Faculdade Descomplica elencou alguns esclarecimentos sobre o tema.

Portanto, não deixe de conferir o conteúdo que a gente preparou pra você!

neuroeducação – desenho de um cérebro em branco sobre fundo cinza

Afinal, o que é neuroeducação?

Em linhas gerais, a neuroeducação pode ser traduzida como uma disciplina que busca compreender a forma como o ser humano é capaz de receber informações do ambiente e aprender.

Entretanto, se utiliza de algumas áreas distintas do conhecimento:

  • Pedagogia, em primeiro lugar, como a matéria que estuda os processos de aprendizagem;
  • Neurociência, como o ramo da Biologia que estuda o funcionamento do sistema nervoso central;
  • Psicologia, por último, enquanto disciplina própria que estuda os processos mentais e o comportamento humano.
neuroeducação – criança desenhando, lápis de cor e papéis na mesa

Qual a sua importância no processo de aprendizagem?

A partir desse diálogo interdisciplinar, a Neuroeducação pode compreender melhor como ocorre o processo de aprendizagem e, desse modo, entender quais são as técnicas educacionais mais eficazes pro aproveitamento escolar.

Por meio de pesquisas, afinal, é possível desvendar funções cognitivas importantes que estão envolvidas no processo de conhecimento e fixação de informações pelo aluno.

Como exemplo, vale citar a atenção, a memória, o raciocínio crítico entre outros.

Também por meio da Neurociência aplicada à educação, é possível aprender a dar aula com metodologias capazes de desenvolver habilidades cerebrais do estudante.

Isso, é claro, também permite identificar se as técnicas atuais estão gerando os resultados esperados e, caso contrário, promover inovação no ambiente escolar.

neuroeducação – crianças desenhando com lápis no caderno

Quais são os impactos em sala de aula?

Como visto, a Neuroeducação permite aprimorar métodos de ensino, grades curriculares e a própria gestão das instituições educacionais.

Desse modo, auxilia na adaptação ou elaboração de novas políticas que potencializam o aprendizado do aluno.

Isso, sem dúvidas, se reflete em sala de aula.

A partir da compreensão do processo de aprendizagem e dentro de uma estrutura adequada de ensino, o pedagogue pode identificar as necessidades dos estudantes e aplicar técnicas adequadas.

Isto também engloba a aplicação de tecnologias digitais na educação, as quais poderão:

  • garantir a assimilação eficaz do conteúdo;
  • permitir o acompanhamento de dificuldades individuais;
  • estimular o interesse e a curiosidade do aluno etc.

A neuroeducação tem se popularizado nos últimos anos, e não por acaso. O conceito, afinal, promete revolucionar metodologias de ensino, tornando-as mais proveitosas tanto pros estudantes quanto pros pedagogues e professores em sala de aula. 

Em um mundo em que cada vez mais se fala em ensino digital e inovação, se especializar na área pode ser uma grande aposta.

A Pós-Graduação Online em Neuroeducação da Faculdade Descomplica, nesse sentido, oferece todos os fundamentos teóricos pra uma atuação de excelência dos profissionais no mercado de trabalho. 

E aí? Gostou do conteúdo? Agora que você conhece o conceito de neuroeducação, não deixe de se especializar no assunto por meio dos cursos de Pós-Graduação da Faculdade Descomplica!