• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Gestão de marca: o que é e como desenvolver essa estratégia?

Já parou pra pensar no quanto os planejamentos de marketing hoje são detalhados? Bem, mas não é só isso que constrói a imagem de uma empresa. Na verdade, os resultados surgem de um conjunto de ações, sobretudo de gestão de marca.

Também conhecida como branding, essa maneira de gerir é o segredo do sucesso. As gigantes do mercado estão aí e não nos deixam mentir! De ponta a ponta, elas solidificam sua identidade e permanecem na mente das pessoas.

O mais bacana é que esse tipo de gestão cabe em qualquer negócio — do pequeno ao grande. Como é relevante e crucial atualmente, você pode dominar o assunto pra se destacar. Que tal? Veja só o que a gente preparou sobre branding!

O que é gestão de marca?

Também conhecida por aqui como branding, a gestão de marca é uma forma de lidar com a imagem da empresa. Ou seja, é um conjunto de estratégias que ajuda a planejar, criar e gerenciar a identidade visual do negócio.

Mas não para por aí. Afinal, também é importante considerar a percepção do público. Daí a relevância do branding em diversos níveis de relacionamento com a marca. Aqui, entram todos os stakeholders, ou seja, as partes interessadas na empresa:

  • clientes;
  • colaboradores;
  • fornecedores;
  • gestores;
  • comunidade (sociedade);
  • acionistas da empresa etc.

A ideia é que sua gestão de marca consiga dar conta desse pessoal todo. Mas, em que sentido? Bem, o propósito maior é fazer com que sua visibilidade seja a mais positiva possível. Isso, por meio de uma boa reputação, em primeiro lugar.

Assim, o negócio cresce e se mantém durável (e competitivo) no mercado. Lembrando que marca não é só um logotipo, viu? A identidade visual vai muito além disso. Isso porque ela envolve experiências, sentimentos e sensações. Enfim, é como a empresa é percebida pelos públicos internos e externos.

Como fazer uma boa gestão de marca?

Agora que você já sabe da importância, deve estar com vontade de saber os detalhes, certo? Embora seja complexo, o processo de gerir uma marca não é tão complicado assim. Apesar de ser algo desafiador, o caminho é prazeroso se souber o que fazer. Veja só!

Elabore sua plataforma de marca

A gestão de marca começa pela definição de alguns conceitos relacionados à empresa. É como se fosse uma espécie de raio-X, sabe? Uma carteira de identidade, que diz quem você é e mostra por que é único. Ou aquele seu perfil completinho no LinkedIn.

Essa plataforma de informações vai englobar alguns aspectos importantes da marca. Em primeiro lugar, vem o seu propósito, seguido de promessa e atributos. E também tem o posicionamento, que situa a marca no mercado e na sociedade. Dê só uma olhada:

  • propósito de marca: qual é a razão de existir da marca?
  • promessa de marca: como ela se propõe a transformar seu propósito em realidade?
  • atributos de marca: quais as características que fazem parte dessa jornada?
  • posicionamento de marca: de que forma a marca se posiciona no mundo? Como ela entende e dá aos consumidores o que eles realmente precisam?

Essas perguntas ajudam a entender o que é sua marca, além de humanizá-la. Ademais, é um ótimo norte pra começar a criar sua plataforma. Não acha?

Crie uma identidade coerente

Quando a gente sabe de tudo o que foi falado no tópico anterior, fica mais fácil criar uma identidade que faça sentido. Assim, a marca vai unir todas aquelas variáveis pra criar um nome e uma imagem que é compatível com seus propósitos e objetivos.

Geralmente, no processo de branding, a identidade de marca foca primeiro no visual. Aqui, pra dar consistência, entram cores, ícones, símbolos, ilustrações, tipografia etc. Mas também entra o slogan, tom e voz (estilo de linguagem) e outros detalhes.

Considere todos os stakeholders

Lembra deles? Pois é, na hora de fazer a gestão de marca, eles são indispensáveis. Isso porque você está criando, gerindo e nutrindo uma marca que se relaciona com o mercado e o mundo!

Sua identidade precisa fazer sentido tanto pro público interno quanto pro externo. Ela deve ser forte e coerente pros colaboradores, sócios, gestores e acionistas, por exemplo. Mas também precisa ter uma boa reputação com fornecedores, clientes, mídia e sociedade em geral.

Portanto, vale a pena mapear todos esses públicos. Assim, vai dar pra elaborar uma ótima plataforma de marca e arrasar nas estratégias não só de branding, como também de marketing.

Acompanhe e ajuste o que for necessário

Quando uma marca tem uma identidade consistente, ela atravessa décadas no mercado. Mas, às vezes, é necessário fazer alguns ajustes. Como assim? Não é pra mudar radicalmente tudo o que foi pensado lá na sua fundação, mas o mundo (e as pessoas) mudam!

Com a transformação digital, por exemplo, muitas empresas precisaram se adaptar. Novos conceitos surgiram e novas práticas também. A inovação passou a fazer parte do posicionamento de algumas marcas e, claro, isso passou pelo branding.

Portanto, tudo deve ser acompanhado sempre. Desse jeito, dá pra saber o que vai bem e o que já não faz mais sentido pra determinado público. Em alguns momentos, por exemplo, é preciso fazer alterações na cultura organizacional, no fit cultural da empresa ou no enfrentamento de crises.

A gestão de marca, aqui, é um processo contínuo. Ela não para lá na criação da plataforma de marca, entende? Embora seja um pontapé inicial, ele apenas norteia os próximos passos da empresa. O branding é fiel a isso, mas acompanha tendências e considera a transformação da sociedade e do mercado.

Então, agora que você sabe de tudo isso, entende que gestão de marca é essencial. Sobretudo, num mundo tão dinâmico e competitivo, certo? De fato, uma empresa que investe em branding está um passo à frente da concorrência. Por isso, vale muito a pena estudar, se aprofundar e se especializar.

Que tal ir além em sua carreira e fazer uma pós-graduação na área de gestão de marca? Conheça o MBA em Marketing e Branding da Faculdade Descomplica e conquiste uma posição de destaque no mercado!