• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Entenda sobre a fisioterapia pediátrica: o que faz e como estudar

Uma dentre as muitas especialidades da fisioterapia é a fisioterapia pediátrica, que é voltada pro tratamento tanto de recém-nascidos quanto de crianças. Nesse último caso, geralmente, até o período da puberdade, que ocorre por volta dos 12 anos de idade.

Fato é que pré-adolescentes, crianças e até bebês podem nascer ou desenvolver problemas motores que impactam negativamente o seu crescimento e esse é justamente o foco dos profissionais que atuam nesse campo. Ou seja, a área tem um papel expressivo na saúde infanto-juvenil.

Contudo, o que realmente faz um fisioterapeuta pediátrico? No que é centrada a fisioterapia pediátrica? Qual é o ganho médio de um profissional pós-graduado nesse campo?

A gente sabe que as dúvidas são diversas, então, neste post, a ideia é sanar as principais. Bora lá?!

adulto brincando com crianças

O que se pode entender por fisioterapia pediátrica?

Como dito, essa área da fisioterapia é voltada pro tratamento de bebês — recém-nascidos ou não — e de crianças, bem como de pré-adolescentes.

Desordens nos músculos esqueléticos, alterações no sistema respiratório e déficit de desenvolvimento motor são alguns dos focos do campo.

Essas condições, vale dizer, podem ser tanto congênitas quanto adquiridas em razão de patologias e/ou prematuridade, por exemplo.

Nesse sentido, geralmente, as enfermidades que requerem a busca de um profissional especializado em fisioterapia pediátrica são:

  • paralisias cerebrais;
  • desvios de postura;
  • síndrome de down;
  • problemas no sistema respiratório;
  • atrofia nos músculos, etc.

Digamos que a fisioterapia pediátrica é o todo e, dentro dela existem ramificações identificadas por alguns nomes alternativos. As mais comuns são:

  • fisioterapia neuropediátrica pediátrica: responsável por pacientes com doenças ou lesões neurológicas;
  • traumato-ortopedia pediátrica: pra pacientes que sofreram algum deslocamento nos ossos;
  • fisioterapia pediátrica ambulatorial: voltada pro desenvolvimento motor.
fisioterapia pediátrica – fisioterapeuta com estetoscópio no pescoço

O que faz um fisioterapeuta pediátrico?

O profissional especializado nesse campo da fisioterapia buscará sempre proporcionar o máximo de autonomia pro paciente. O objetivo é garantir uma melhora progressiva e constante a cada estágio do tratamento.

O intuito principal é, então, assegurar que as capacidades cognitivas e motoras se desenvolvam no tempo certo e da maneira ideal. Esse “tempo”, porém, diz respeito às margens de normalidade que são esperadas pra cada etapa da vida de um indivíduo, podendo sofrer variações.

Afinal, a gente precisa ter em mente que cada um de nós é único desde sempre. Ou seja, todos temos várias particularidades e características próprias que fazem com que o nosso “tempo” não seja necessariamente o “tempo” do outro. E, é claro, isso não é ruim.

Nesse sentido, há que se ressaltar dois pontos importantes. Em primeiro lugar, é bastante necessário que, ao notarem possíveis estagnações no desenvolvimento dos filhos, os pais busquem um atendimento médico imediato, consultando um pediatra com a intenção de obter mais informações.

Leia também: Saiba como são os cuidados de enfermagem em UTI neonatal e pediátrica.

Em segundo lugar, ainda que o seu papel seja altamente significativo em todo o processo, o fisioterapeuta pediátrico precisa que a família do paciente esteja efetivamente envolvida no tratamento. Isso é essencial porque gera grandes efeitos na evolução do quadro clínico.

fisioterapia pediátrica – notas de dinheiro de vários países

Qual é a média salarial de um profissional especializado em fisioterapia pediátrica?

Como a gente tem o hábito de reforçar, as remunerações que podem ser percebidas por esse profissional sofrem variações. Isso, inclusive, pode ter relação com a região em que se dá a atuação, bem como com o porte da instituição onde o fisioterapeuta pediátrico trabalha.

Ah! E é claro que o tempo de experiência, nesse caso, acaba por ser também um fator que colabora pra essa flutuação. Entretanto, a Catho aponta que a média nacional é de, aproximadamente, R$ 2.100,00.

Já se tratando de um fisioterapeuta neurofuncional da área pediátrica, a gente pode tomar como base o piso salarial atual. Nesse caso, a média fica em torno de quase R$ 3.000,00.

Contudo, conforme o profissional vai ganhando notoriedade, tornando-se referência na área e alcançando oportunidades em instituições maiores, eventualmente, a remuneração também vai crescendo. Bacana, né?

Além disso, existe a possibilidade de exercer a profissão por conta própria, abrindo uma clínica. É claro que, nesse caso, é importante ter em mente que outras preocupações relativas à gestão de uma empresa passam a ser parte do cotidiano do especialista.

E aí? Você se identifica com a área e com a atuação diretamente com o público infanto-juvenil? Então, não perca tempo e especialize-se, ampliando as suas oportunidades de carreira. Na Pós Descomplica, você nem mesmo precisa se deslocar até um campus pra concluir a especialização.

A gente acredita que a educação é pra todos, então, trabalhamos com cursos na modalidade EaD e oferecemos diversos diferenciais, como aulas 100% online, provas feitas também a distância e a possibilidade de baixar os conteúdos, podendo assisti-los offline. Nem de internet você precisará!

O nosso objetivo é descomplicar pra você de verdade. Isso ficou claro, né? 🙂
Então, quer saber mais sobre a nossa pós-graduação em Fisioterapia Pediátrica? Acesse o nosso site e tire todas as suas dúvidas! #Partiu?!