• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Empatia no ambiente de trabalho: confira 3 dicas para desenvolvê-la

Hoje em dia, a empatia no ambiente de trabalho é uma das principais soft skills desejadas. Afinal de contas, se colocar no lugar de outra pessoa é fundamental pra levar um tantinho mais de calor humano — ainda mais durante a pandemia.

Nesse momento, as pessoas podem estar se sentindo mais sozinhas (até mesmo, tristes) e com necessidade de compartilhar algo. E saiba que identificar emoções e carências, muitas vezes “escondidas”, é uma das grandes habilidades de uma pessoa empática.

Em outras palavras, a empatia no ambiente de trabalho não é um conhecimento técnico. É saber ouvir, respeitar, ajudar, e nunca — nunca mesmo! — ignorar os sentimentos de outra pessoa. Em suma, ter empatia é se tornar um ser humano melhor — e fazer outros seres humanos crescerem com você.

A empatia no ambiente de trabalho leva mais confiança, leveza e companheirismo pro dia a dia. Além disso, promove uma melhor resistência à pressão por resultados, metas e prazos — e oferece mais equilíbrio emocional pra lidar com frustrações e derrotas.

Tá, mas, e na prática… como desenvolver a empatia no ambiente do trabalho? Você pode começar com 3 dicas bem simples, mas que vão fazer uma enooorme diferença pra você e seus colegas — e, de quebra, vão ajudar todos vocês a terem mais sucesso profissional. Continue a leitura e confira!

Dica 1: ouça mais, fale menos

Pra começar, a primeira atitude pra ter mais empatia no ambiente de trabalho é ouvir atentamente (e sinceramente) o que a outra pessoa tem a dizer. Além de mostrar respeito por ela, isso te dá mais tempo pra pensar no que responder e em como responder.

Enfim, aqui é importante exercitar a paciência, demonstrar compreensão, colher os feedbacks e, só depois, agir. Ah, e procure não interromper uma fala abruptamente! Isso pode fazer com que a pessoa se ofenda, se sinta acuada ou apenas decida se fechar e não compartilhar mais as ideias com você.

Dica 2: evite fazer julgamentos

Intuição é importante, sim. Mas julgar o outro sem saber o que ele sente, pensa e faz, não é intuição — é preconceito. Pra continuar desenvolvendo sua empatia no ambiente de trabalho, é essencial se aproximar das pessoas, abrindo um canal de diálogo, sem julgamentos.

Na dica anterior, a gente falou sobre a importância de saber “como” falar. E, aqui, nos diálogos, novamente isso aparece como fundamental.

Afinal, a forma como você se expressa, as palavras que escolhe e o tom de voz que usa ao se comunicar com o outro também dizem muito sobre seus valores — e o quanto você está realmente a fim de chegar a uma boa solução pros dois lados.

Dica 3: ajude para receber ajuda

Mostrar que você está ali pra pessoa, aconteça o que acontecer, é uma forma muito legal de exercitar a empatia no ambiente de trabalho. Por isso, se esforce pra entender as limitações do outro e proporcionar conforto nas situações difíceis. Isso é solidariedade!

O mesmo vale pra cobranças no trabalho. Você não precisa deixar de apontar os erros de um colega. Mas, em vez de apenas criticar, procure oferecer ajuda pra resolver o problema. Duas cabeças pensam melhor do que uma — e uma mãozinha dada no presente pode ser uma mãozona recebida no futuro!

Que tal aprender mais sobre empatia no ambiente de trabalho?

Pois é, deu pra ver que empatia é um exercício contínuo, né? Fortalecer essa habilidade requer muita dedicação e boa vontade — e, acima de tudo, muito estudo!

No MBA em RH e Comunicação Não Violenta da Faculdade Descomplica, você estuda on-line — quando e de onde quiser — e explora diversas disciplinas focadas em formação de pessoas, líderes e equipes

Tudo isso, em conjunto com uma bela dose de aprendizado diário, pode te ajudar a desenvolver ainda mais sua empatia no ambiente de trabalho. Valeu muito pela leitura! Até a próxima matéria!