• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Leia antes de comprar um curso de marketing digital online!

Hoje em dia, o que não falta na internet é especialista vendendo curso de marketing digital online. A razão é muito simples: isso funciona mesmo e, com algumas estratégias bem aplicadas, até uma criança consegue destacar um negócio no mundo digital (é sério!).

Por outro lado, aos poucos, mais e mais pessoas estão aprendendo como fazer um bom trabalho. Sabe o que isso significa? Uma concorrência cada vez mais competente, o que tira de cena tanto os amadores quanto os oportunistas que querem ganhar dinheiro fácil.

Mas se você é iniciante e não sabe nada sobre esse universo, se prepara pras boas notícias. A verdade é que não é tão difícil chegar longe no mercado digital. Com dedicação e persistência, rapidinho um principiante desvenda os segredos de como construir autoridade na internet.

Então, se você está pensando em fazer um curso de marketing digital online, leia este artigo até o fim. Aqui, você vai aprender os principais conceitos dessa indústria além de descobrir o que não pode faltar em um curso que se preze. Confere aí!

O que é marketing digital?

O que é marketing digital?

Marketing digital é um conjunto de práticas que tem como objetivo fundamental criar apoiadores ou consumidores de produtos, serviços, marcas ou ideias, tudo por meio da internet.

Parece muito simples, fala sério? E é mesmo. O complicado é desvendar todos os mecanismos e ferramentas que tornam isso possível. Ou seja, a tecnologia permite tantas coisas incríveis que, pra se tornar um mestre, não basta conhecer apenas umas técnicas. 

Várias áreas do conhecimento estão reunidas fazendo do marketing digital uma das armas mais poderosas na mão dos publicitários. Só pra citar algumas, a gente tem:

  • psicologia;
  • matemática;
  • engenharia;
  • ciência da computação;
  • design;
  • e, é claro, marketing.

Mas você não precisa saber todas essas coisas pra garantir os melhores resultados no meio digital. Apenas, não se esqueça de que, por trás de um conceito muito simples, existe uma estrutura cheia de detalhes. A gente vai falar disso já, já.

Qual a importância do marketing digital para um negócio?

Qual a importância do marketing digital para um negócio?

Não restam dúvidas de que o futuro da sociedade é digital. Mas no presente muita coisa já não funciona sem um smartphone, né? Então, se você pensar um pouco em como a internet afetou o modo de a gente viver, fica fácil entender por que o marketing digital é importante.

Além das empresas que já nasceram digitais, todas as gigantes tiveram que se adaptar depressa, porque a atenção das pessoas agora está na web. Mas não pense que isso se trata apenas de uma reprogramação das atividades. De forma nenhuma!

Mais do que garantir a continuidade do sistema de mercado por meio da tecnologia, o marketing digital trouxe vantagens inimagináveis aos empreendedores. Dá uma olhada nesses 4 benefícios.

Educa o mercado

Existem alguns produtos e serviços que dependem diretamente do conhecimento ou da cultura dos consumidores pra ter alguma demanda. Um bom exemplo são os produtos de higiene bucal.

Se as pessoas não tivessem o hábito de escovar os dentes todos os dias, essa indústria não teria a força que tem.

Mas o que você não deve saber é que esse hábito — pasme! — é resultado de ações de marketing do início do século XX, segundo conta Charles Duhigg em seu best-seller O Poder do Hábito. Sim, isso mesmo: você escova os dentes todo dia por causa de marketing!

Hoje, com o marketing digital, o poder de educar o mercado não tem comparação! Basta colocar em ação as estratégias corretas que não é difícil preparar o mercado consumidor dos seus produtos ou ideias (isso é meio perigoso em alguns casos, como em campanhas políticas desonestar, mas fazer o quê, né?).

Reduz o CAC

Toda oferta tem um custo. O preço do produto ou serviço ofertado apenas reflete uma parte desse valor. A isso, a gente dá o nome de Custo de Aquisição de Cliente (ou CAC). Afinal, toda oferta tem o objetivo de conquistar consumidores, não é verdade?

Com marketing digital, o CAC geralmente fica entre os mais baixos, não importa de qual segmento do mercado a gente esteja falando. Isso porque, a Inteligência Artificial facilita muito a tarefa de colocar uma oferta diante da pessoa certa na hora certa.

Ou seja, com um plano bem desenhado e ações inteligentes, uma empresa gasta muito pouco pra conquistar e fidelizar novos clientes. Você, com certeza, deve aprender isso em um curso de marketing digital online.

Aumenta o ROI

Sabe qual é o resultado direto de pagar pouco pra conquistar novos clientes? Um aumento extraordinário do ROI. Tá aí mais uma sigla importante dessa indústria.

ROI vem do inglês “Return Over Investiment”, ou “Retorno Sobre Investimento” em tradução livre. Em outras palavras, isso significa injetar dinheiro no seu negócio e esse investimento voltar multiplicado.

Entretanto, é claro que, pra isso dar certo, um empreendedor precisa saber exatamente o que está fazendo. Não é porque uma campanha devolveu R$ 5 pra cada R$ 1 investido que você vai conseguir R$ 5 milhões se investir R$ 1 milhão.

Existe uma série de detalhes que precisa ser estudada com atenção dentro do planejamento pra ninguém jogar dinheiro fora.

Reforça a autoridade da marca

De todos os benefícios que o marketing digital pode trazer pra uma empresa, um dos mais importantes, sem dúvidas, é o chamado brand awareness.

Ou seja, se tudo for feito direitinho, a marca ganha força no mercado, o que afetará qualquer campanha posterior que a empresa lançar.

Isso quer dizer que uma campanha pode potencializar outra, e o marketing digital permite que tudo seja feito de maneira automatizada e em curto espaço de tempo.

Vale a pena fazer um curso de marketing digital online?

Vale a pena fazer um curso de marketing digital online?

Já deu pra perceber que tem conteúdo pra estudar, e não é pouco, não! Por isso, o que deve ser calculado com máxima atenção antes de investir nesses estudos é o valor do tempo. Sabe por quê? Porque tudo isso pode ser aprendido sem nenhum custo na internet.

Nesse caso, o que vai ser necessário é tempo e disposição. Já com um curso de marketing digital online, além do conforto de aprender de qualquer lugar, o aluno ainda pode contar com uma metodologia desenvolvida exatamente pra encurtar a curva de aprendizagem.

Então, responda você: vale ou não vale a pena fazer um curso de marketing digital online? Se você quiser aprender depressa e, quem sabe, entrar nesse mercado já enquanto estuda, a resposta só pode ser “sim”.

Se a gente levar em conta que estamos falando de tecnologia e, em questão de meses, tudo pode mudar completamente, a resposta só pode ser “toma aqui o meu dinheiro”.

Então, se você concorda que aprender mais depressa, com uma metodologia feita pra facilitar seu aprendizado e alguém pra avaliar seu progresso é mais legal, dá só uma olhada no que não pode faltar no curso que você escolher.

O que um bom curso de marketing digital online deve abordar?

O que um bom curso de marketing digital online deve abordar?

Sério, marketing digital é uma verdadeira arte. Mesmo que a gente faça uma lista com os pontos mais importantes sobre o assunto, esse mercado não para de mudar. Afinal, tudo se trata de uma mistura de tecnologia com a humanidade. O resultado não tem limites.

Isso quer dizer que sempre vai existir alguma coisa interessante e poderosa pra aprender, e essa é uma das razões da indústria do marketing digital movimentar mais de meio trilhão de dólares por ano. Não tenha dúvidas de que a tendência é crescer ainda mais.

Entretanto, existem alguns conceitos-chave que não podem faltar em um bom curso de marketing digital online. Então, pega aí papel e canela, que o que vem a seguir é conteúdo de primeira!

Planejamento estratégico

Tudo começa com planejamento, certo? Até pra fazer um curso de marketing digital online é importante se planejar. Assim, você tira o melhor proveito desse investimento.

Em uma estratégia digital não é diferente. Antes de tomar qualquer decisão, é necessário conhecer seu horizonte de possibilidades. Por isso, o planejamento estratégico é a primeira parte de uma campanha — e provavelmente a mais importante de todas.

É nesse momento em que os fundamentos da estratégia ficam claros. Mas isso depende de uma série de fatores que precisam ser avaliados com atenção. Sendo assim, o estudo das metodologias de planejamento não pode faltar no seu curso de marketing digital online.

Nichos de mercado

Existem muitas coisas que precisam ser analisadas durante o planejamento. Uma delas são os nichos de mercado. 

Principalmente se o negócio estiver sendo construído do zero, é indispensável consultar as informações que já existem na internet sobre o segmento em questão.

E se a internet tem dados sobre um mercado, então os algoritmos e a inteligência artificial também têm. Por isso é importante saber em que mares o empreendedor está querendo nadar. Isso vai definir boa parte das campanhas de marketing.

Construção de personas

Poucas coisas são tão necessárias pra uma campanha bem desenvolvida quanto a persona do negócio. É ela que, precisamente, vai determinar todas as ações de marketing nos mínimos detalhes.

Mas o que é uma persona? Também conhecida como avatar, a persona é o personagem que melhor representa o público-alvo da campanha.

Esse personagem deve ter nome, idade, objetivo, profissão, problemas, enfim, deve ser verdadeiramente “alguém” construído a partir de dados de um público. Se esse tópico faltar em um curso de marketing digital online, então é melhor sair correndo com seu dinheiro!

Jornada de compra do cliente

Assim como outros tópicos, a jornada de compra do cliente é um tema que pertence ao domínio do marketing de modo geral, não apenas marketing digital.

No entanto, não deixa de ser fundamental. É aqui que você entende que todo cliente passa por etapas, desde o primeiro contato com uma marca até a fidelização depois de uma compra.

Por isso, ter clareza da jornada de compra de uma persona é um dos principais aspectos de uma campanha que converte. Por falar nisso, bora conversar um pouquinho sobre conversão.

Objetivos

Qualquer campanha de marketing digital visa a algum objetivo que, normalmente, é medido como conversão. Até mesmo brand awareness, que é uma coisa um pouco mais abstrata, pode-se usar algum indicador pra medir as taxas de conversão.

Sendo assim, um gestor de planejamento de marketing digital tem que ter muito bem detalhadinho que tipo de conversão ele procura com sua campanha. Ou seja, qual é o objetivo de todas as ações planejadas? Existem muitos tipos de alvo, como, por exemplo:

  • visitas;
  • visualizações;
  • curtidas;
  • comentários;
  • compartilhamentos;
  • tempo de vídeo assistido;
  • cliques;
  • vendas, e outros.

Canais de marketing

Você já deve ter notado quanto espaço existe na internet pra veicular anúncios, né? Agora, some a isso todos os espaços em que dá pra chamar a atenção de alguém. Pronto, agora você vai ter uma ideia das alternativas de canais de marketing em que é possível lançar uma campanha.

De maneira simples, qualquer canal digital guarda uma oportunidade de criar contato. Mas tudo depende das etapas de planejamento de que a gente já falou.

Afinal, se determinada persona não usa Pinterest, por exemplo, por que considerar essa mídia no planejamento? Não faz sentido. De qualquer maneira, é importante conhecer as opções, e é bom que seu curso de marketing digital online trate disso, viu!

Blogs

Blogs, apesar do que muita gente acredita, continua firme, forte e é uma das fontes de conversão mais lucrativas pra muitas empresas.

Quer uma prova? Na última vez em que você fez uma pesquisa no Google, qual era a fonte do resultado que resolveu o seu problema? É bem provável que a sua resposta seja: um blog.

Apesar de competir muito com vídeos pela atenção das pessoas quando o assunto é consumir informação, a dinâmica dos textos oferece maior facilidade pra achar algo específico.

Além disso, a chamada “escaneabilidade” de um artigo de blog permite uma prévia do que você vai encontrar. Assim você pode selecionar exatamente as partes que te interessam do conteúdo, coisa que não dá pra fazer com vídeos.

Mídias sociais

Desde os anos 2000, quando as redes sociais começaram a substituir os fóruns de discussão e as salas de bate-papo, esse tem sido o meio mais poderoso de chamar a atenção das pessoas na internet.

Não importa quem seja: se a pessoa acessa a internet, de alguma mídia social ela deve participar. Se não for Facebook, é Instagram, ou LinkedIn, ou YouTube, ou todas as alternativas. Então, nem é preciso dizer que esse assunto não pode faltar, né?

Email marketing

Aqui está outra mina de ouro que muita gente pensa que não funciona: email marketing. Lembra que a gente disse que a fonte de conversão mais lucrativa de muitas empresas eram os blogs?

Adivinha como essas empresas entram em contato com boa parte desses “convertidos” depois… claro, email! Afinal, esse é um canal que traz mais intimidade e garante altos níveis de conversão em vendas.

Quando alguém deixa que uma empresa envie emails, isso é um bom sinal: significa que a empresa ganhou a confiança da pessoa. Agora, o dever da empresa é honrar essa confiança. Por isso, esse assunto deve ser estudado com bastante atenção.

Omnichannel

Omnichannel é uma estratégia de integração de canais que torna a experiência de compra algo extraordinário. Principalmente pra grandes negócios, que têm contato com seus consumidores em várias frentes, a implementação da ideia pode ser um divisor de águas.

Imagina o que é poder entrar em uma loja, ter um contato com um produto, já ser acionado no Facebook, esclarecer suas dúvidas pelo WhatsApp e aprender sobre a marca no YouTube, tudo como parte de uma mesma estratégia! 

Isso é omnichannel, e a proposta é gerar uma sensação de aproximação e pertencimento. Você estala os dedos e, pronto, está de volta à loja, como num passe de mágica. Mas não é mágica, é marketing digital.

Funil de vendas

A gente já falou de nichos de mercado, de persona, jornada de compra, canais de comunicação, mas é agora que tudo isso vai fazer mais sentido. Afinal, todos esses conceitos estão reunidos, em uma campanha, na ideia de um funil.

Por que um funil? Porque é natural que você tenha que atrair muitas pessoas pra vender pra algumas delas. Quer dizer, os clientes potenciais devem passar por uma preparação até estarem prontos pra comprar.

Assim, uma estratégia de marketing digital deve acompanhar essas etapas com máximo rigor. Qualquer detalhe pode alterar violentamente os índices de conversão e, por consequência, os custos da campanha e suas taxas de retorno.

Estratégias de conversão

Um funil de vendas é a própria jornada de compra do cliente. A única diferença está na abordagem.

De um lado, a gente enxerga as coisas pela perspectiva do consumidor na sua busca por soluções. Do outro, a gente vê um empreendedor pavimentando o caminho até a solução que ele oferece.

Dá pra fazer uma oferta direta? Claro! Mas isso só funciona com quem já está no fundo do funil. Se você não sabe qual caminho o cliente fez pra chegar até ali, está perdendo a oportunidade de qualificar ainda mais o seu negócio.

Existem muitas estratégias comprovadas pra levar o cliente adiante na jornada/funil. Pra novas estratégias, é necessário quase que apenas criatividade e teste. Algumas estratégias de conversão de alta performance são:

  • CTAs (“chamadas para a ação”, em português);
  • copywriting;
  • storytelling;
  • landing pages (páginas de captura);
  • materiais ricos, entre outros.

Automação

Alguma vez você já teve a sensação de que a gente vive em uma daquelas histórias de ficção científica? Pois é, boa parte do que foi previsto pelos futurólogos já se tornou realidade. A inteligência artificial que o diga!

Por isso, a automação não é apenas uma possibilidade como, dependendo da situação, é absolutamente necessária. É possível programar todo um funil de vendas, e isso é exatamente o que muitos especialistas fazem. Depois, é só supervisionar.

A gente tem a nossa disposição um monte de ferramentas pra isso, desde chatbots pra atender os clientes, até sistemas automáticos de vendas.

KPIs

Se isso fosse um curso de marketing digital online, você já teria aprendido muita, muita coisa. Agora, imagine que você está aplicando tudo o que aprendeu. Nesse caso, como a gente poderia medir os resultados das suas ações?

Pelos indicadores de performance! A gente já falou deles ao tratar de objetivos, lembra? Esses indicadores, ou métricas como também são chamados, recebem o nome de KPI, do inglês “key performance indicator”, que significa “indicadores-chave de performance”.

Mas por que isso é importante fora do planejamento estratégico? Porque eles podem ser combinados, além existirem estratégias específicas na hora de trabalhar com análise de indicadores. Portanto, isso precisa ser estudado com atenção especial.

Inbound Marketing

Inbound marketing é um conceito inteligente e muito mais amigo do consumidor do que qualquer método de venda que existe.

Em vez de fazer ofertas invasivas (como interromper vídeos do YouTube com um anúncio), a ideia do Inbound Marketing é atrair o cliente por meio de conteúdos gratuitos que geram valor. De todas as estratégias de inbound, a mais conhecida é a de marketing de conteúdo.

Marketing de conteúdo

Marketing de conteúdo funciona em praticamente todos os canais de marketing. Onde quer que haja audiência, é possível trabalhar uma campanha de marketing de conteúdo.

Mas, pra fazer um trabalho que realmente traga resultados eficazes e duradouros, é preciso saber como construir conteúdos poderosos.

Pra isso, não pode faltar conhecimento sobre nicho, persona, funil de vendas e algumas outras noções fundamentais, como o que a gente vai ver a seguir.

Tráfego pago e orgânico

Faz de conta que você já é um especialista e tem um funil bem desenhado pra começar uma campanha. Agora, só falta dar o play.

E aí, funcionou? Se funcionar, significa que há um fluxo de audiência. Ou seja, há um tráfego de pessoas consumindo os conteúdos da sua campanha. Mas de onde vem esse tráfego? De duas fontes:

  • tráfego pago: por meio de anúncios, parcerias, influenciadores digitais etc.;
  • tráfego orgânico: mídias sociais, motores de busca, compartilhamento, tráfego direto etc.

SEO On page e Off page

A grande vantagem do tráfego orgânico, especialmente no caso de blogs, é que seu custo é muito baixo e sua eficácia é duradoura. Um mesmo artigo pode receber milhares de visitas durante anos sem que seja necessário mais que alguns ajustes aqui e ali.

Mas pra isso dar certo, é fundamental entender como os motores de busca (como o Google) funcionam. Isso é SEO, ou “search engine optimization” (“otimização para motores de busca”, em português).

Essa otimização é feita em duas abordagens: online e offline. Cada caso demanda conhecimentos específicos. Então, já viu, né? Faltou isso no seu curso, abre o olho!

Estratégias

Finalmente, com todos esses conhecimentos bem estruturados, chegou a hora de colocar tudo isso em prática em alguma campanha de marketing.

Você percebeu que existe um monte de ferramentas, né? Isso significa que uma campanha poderosa e completinha precisa de mais de uma mente trabalhando. Mas também dá pra seguir sozinho por um único caminho e suar pra que fique incrível!

Daí é que surgem algumas estratégias-modelo que são muito recomendadas aos iniciantes. Essas estratégias combinam ferramentas e conhecimentos e facilitam os resultados de quem está começando. Algumas muito famosas são:

  • iscas digitais;
  • marketing de afiliados;
  • lançamentos digitais;
  • e-commerce e dropshipping;
  • parcerias e coproduções.

Um bom curso de marketing digital online deve, ao menos, fazer menção a alguma dessas estratégias. Até porque esse é o jeito mais fácil de dar os primeiros passos, fazendo algo que já foi testado e comprovado.

Na boa? Agora não tem como errar! Com essas informações, é impossível você não aproveitar ao máximo seu investimento em um curso de marketing digital online.

Então, se você quer começar considerando a melhor opção, o Desco não vai te deixar na mão. No MBA Online de Marketing Estratégico Digital da Faculdade Descomplica você confere tudo isso que a gente trouxe e muito, muito mais. E aí, bora?