Questão 27 da prova azul do primeiro dia do Enem 2021

A revolução estética brasiliense empurrou os designers de móveis dos anos 1950 e início dos 1960 para o novo. Induzidos a abandonar o gosto rebuscado pelo colonial, a trocar Ouro Preto por Brasília, eles criaram um mobiliário contemporâneo que ainda hoje vemos nas lojas e nas salas de espera de consultórios e escritórios, Colada no uso de madeiras nobres, como o jacarandá e a peroba, e em materiais de revestimento como o couro e a palhinha, desenvolveu-se uma tendência feita de linhas retas e curvas suaves, nos moldes da capital no Cerrado.

CHAVES, D. Disponível em: www.veja.abril.com.br. Acesso em: 29 jul. 2010.

Na reportagem sobre os 50 anos de Brasília, de Débora Chaves, com a reprodução fotográfica de cadeiras e poltronas de Sérgio Rodrigues, verifica-se que os elementos da estética brasiliense

  1. aparecem definidos nas linhas retas dos objetos.
  2. expressam o desenho rebuscado por meio das linhas.
  3. mostram a expressão assimétrica das linhas curvas suaves.
  4. apontam a unidade de matéria-prima utilizada em sua fabricação.
  5. surgem na simplificação das informação visuais de cada composição.

Comentário da questão

O texto fala sobre a troca de “Ouro Preto por Brasília”, nesse sentido, uma troca de uma estética barroca por uma contemporânea, havendo, assim, a simplificação da das informações visuais das composições.

Equipe Descomplica
A melhor equipe de professores do Brasil ;)

Gabarito da questão

Opção E

Questões correspondentes

30 21 13 0

Assunto