Quer ficar por dentro das novas questões do Enem?

Cadastre-se e receba um aviso sempre que novas questões estiverem disponíveis!

Questão 116

Lépida e leve

Língua do meu Amor velosa e doce,
que me convences de que sou frase,
que me contornas, que me vestes quase,
como se o corpo meu de ti vindo me fosse.
Língua que me cativas, que me enleias
os surtos de ave estranha,
em linhas longas de invisíveis teias,
de que és, há tanto, habilidosa aranha…
[…]
Amo-te as sugestões gloriosas e funestas,
amo-te como todas as mulheres
te amam, ó língua-lama, ó língua-resplendor,
pela carne de som que à ideia emprestas
e pelas frases mudas que proferes
nos silêncios de Amor!…

MACHADO, G. In: MORICONI, I. (org.). Os cem melhores poemas brasileiros do século. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001 (fragmento).

A poesia de Gilka Machado identifica-se com as concepções artísticas simbolistas. Entretanto, o texto selecionado incorpora referências temáticas e formais modernistas, já que, nele, a poeta

  1. procura desconstruir a visão metafórica do amor e abandona o cuidado formal.
  2. concebe a mulher como um ser sem linguagem e questiona o poder da palavra.
  3. questiona o trabalho intelectual da mulher e antecipa a construção do verso livre.
  4. propõe um modelo novo de erotização na lírica amorosa e propõe a simplificação verbal.
  5. explora a construção da essência feminina, a partir da polissemia de “língua”, e inova o léxico.

Comentário da questão

O eu lírico busca, a partir da palavra polissêmica “língua”, uma extensão significativa podendo ser “língua-lama”, “língua-resplendor”, além do fato de fazer referência à língua como órgão e à língua como código linguístico. A poesia de Gilka é essencialmente feminina, pois sua lírica explora os anseios femininos por meio dos adjetivos “lépida” e “velosa”.

Equipe Descomplica
A melhor equipe de professores do Brasil ;)

Gabarito da questão

Opção E

Questões correspondentes

118 121 117 0

Assunto

Simbolismo