Exclusivo para alunos

Bem-vindo ao Descomplica

Quer assistir este, e todo conteúdo do Descomplica para se preparar para o Enem e outros vestibulares?

Saber mais

O que é senso comum?

Neste vídeo a professora Larissa nos apresenta a noção de senso comum.

Particular/ Geral

Fragmentador/ Unificador

Subjetividade/ Objetividade

Ambiguidade/ Rigor

Senso comum x conhecimento científico

O que é senso comum?

O senso comum é um tipo de conhecimento acrítico, sem comprovação científica e que é transmitido de geração em geração. Embora alguns desses conhecimentos sejam claramente injustificáveis e irracionais como, por exemplo, a crença de que passar embaixo de uma escada gera azar, às vezes a linha que separa o senso comum do conhecimento científico pode ser muito tênue, como é o caso da ideia, de que a água submetida à baixas temperaturas transforma-se em gelo. Note-se que tal crença não depende, necessariamente, do conhecimento científico segundo o qual o ponto de solidificação da água é de 0°C. Desse modo, o senso comum não propaga apenas conhecimentos errôneos, mas também conhecimentos que podem ser verdadeiros, embora sejam amplamente aceitos sem explicação.

Características

Os conhecimentos adquiridos através do senso comum, de modo geral, não são sistematizados. Outra característica importante, é que os conhecimentos do senso comum, em grande medida, passam de casos particulares às generalizações, sem qualquer rigor metodológico. Retomemos o exemplo de que passar embaixo de uma escada gera azar. Essa crença pode ter se originado de um caso particular, isto é, de um indivíduo que de fato tenha passado embaixo de uma escada e, por infelicidade, tenha sofrido algum tipo de acidente. A partir dessa experiência particular, produz-se a crença generalizada de que passar embaixo de uma escada gera azar. O conhecimento científico, por sua vez, de modo sistematizado, busca dentro de determinados fenômenos algo que seja semelhante para transformar numa regra geral, porém utilizando a experimentação como método para comprovar a unidade de uma teoria. Como, por exemplo, as leis da Física.

Os conhecimentos do senso comum têm caráter fragmentário, ou seja, não são capazes de fazer conexões com outros tipos de conhecimento, como as análises científicas. Tais conhecimentos consistem num conjunto de ideias desconexas, das quais algumas são assumidas como verdadeiras, sem uma análise crítica. Em contrapartida, o conhecimento científico tem caráter unificador, uma vez que une e explora, de maneira crítica, todas as formas de conhecimento até comprová-las. Nesse sentido, o conhecimento científico busca esgotar os fenômenos até encontrar todas as suas implicações, como é o caso dos movimentos de rotação e translação da Terra que têm diversas implicações, dentre elas a mudança das estações (primavera, verão, outono e inverno) e a alteração das marés.

Outro aspecto do conhecimento do senso comum é a subjetividade, isto é, a adesão varia de indivíduo para indivíduo. Em outras palavras, assumir ou não determinadas crenças depende de características pessoais do sujeito e do modo como ele concebe a realidade. Além disso, muitas vezes nós recebemos os conhecimentos do senso comum sem que, necessariamente, eles façam parte da nossa experiência. O conhecimento científico, ao contrário, é puramente objetivo, isto é, busca uma verdade imparcial, independente das características pessoais do sujeito ou do modo como ele concebe a realidade. Enquanto o senso comum está associado à ideia de ambiguidade, o conhecimento científico preza pelo rigor. Nesse sentido, as experimentações científicas têm, justamente, a função de eliminar as ambiguidades. Vale lembrar que o senso comum não é completamente errôneo ou ruim. Ele pode ser aprimorado e só será um problema caso se torne a única forma de conhecimento.