Exclusivo para alunos

Bem-vindo ao Descomplica

Quer assistir este, e todo conteúdo do Descomplica para se preparar para o Enem e outros vestibulares?

Saber mais

Clube Cultural - Morte e Vida Severina (animação)

Clube Cultural com professor Diogo Mendes

A saga do sertão

O clássico "Morte e Vida Severina" foi adaptado para a telinha em forma de um desenho animado que mostra a dura realidade de quem vive do sertão brasileiro. Inspirada na escrita de João Cabral de Melo Neto, a obra por si só já possui um forte caráter de critica social e politica, que é ressaltada pela dureza e pela realidade da animação em 3D. O cenário marcado pelo desespero, pela morte e pela miséria leva Severino a se encaminhar para o litoral em busca de melhores condições de vida, processo de exôdo que é muito comum na sociedade brasileira. Severino é apenas um, mas carrega toda a história de um povo em suas costas ao retratar a dura realidade dos retirantes.

 Cena do filme "Morte e Vida Severina"

Ao longo da sua caminhada, o protagonista do longa percebe que sua busca é infrutífera, pois muda-se a paisagem, mas a dificil realidade continua a mesma. A pobreza, a morte, a miséria e a exploração ainda parecem ser o destino final de uma jornada que possuiu um destino certo, a marginalização. Sua viagem representa a saga de um povo retirante que teima em sobreviver ainda que a morte os ronde de forma inimaginaveis, seja pelo aspecto social seja pela questão mental. O que também é um ponto retratado por Severino ao longo da sua história, a morte é a solução para uma vida severina? Vida severina, vida maria e a vida de tantos outros que se quer são lembrados por uma sociedade que relega o sertão ao esquecimento.

O nosso clube cultural de hoje te convida para um rolê pela vida de Severino no sertão nordestino na década de 1950, mas também pela vida de tantos outros que sofrem com a miséria e com a exploração aonde a morte acaba se tornando um negócio lucrativo. Personificando toda uma luta, o protagonista, através das palavras de João Cabral, nos instiga a pensar sobre como a realidade do Brasil ainda é muito parecida. Vamos juntos debater sobre esse clássico da história brasileira?