Exclusivo para alunos

Bem-vindo ao Descomplica

Quer assistir este, e todo conteúdo do Descomplica para se preparar para o Enem e outros vestibulares?

Saber mais

Definição de clima

Acompanhe a aula sobre Clima: elementos e fatores

Elementos do clima

Pressão atmosférica

Latitude e Altitude como fatores do clima

Continentalidade/maritimidade, correntes marítimas e massas de ar como fatores do clima

Clima: elementos e fatores

Ao estudar a dinâmica atmosférica é importante entender a diferença entre clima e tempo. Nesse sentido, tempo refere-se à condição momentânea da atmosfera, se está chovendo, nebuloso ou ensolarado. Enquanto clima refere-se a sucessão habitual do tempo atmosférico em determinada região por um período de 30 anos. Por exemplo, o clima equatorial significa que é possível observar elevadas temperaturas e precipitação naquela região. Feita a diferenciação entre clima e tempo, é importante o aprofundamento sobre os fatores e elementos dos vários tipos de clima, aspectos igualmente importantes para o estudo climático.

 

Elementos climáticos

Resumidamente, corresponde aos elementos mensuráveis da atmosfera, isto é, que podem ser medidos, calculados. Temperatura, umidade e pressão atmosférica são os principais, mas não os únicos (radiação, direção e velocidade do vento, além da precipitação). Porém, inicialmente, vamos focar nestes três:

  • Temperatura: É a quantidade de calor na atmosfera. A energia primária do Sol aquece a superfície da Terra (a hidrosfera e a litosfera) e essa irradia calor para o ar. Portanto, a temperatura do ar é um calor indireto, já que é irradiado da superfície para a atmosfera.    
  • Umidade: É a quantidade de vapor de água existente no ar. Varia de um lugar para outro e até em um mesmo lugar, dependendo do dia, do mês ou da estação do ano. Quando o vapor de água da atmosfera atinge seu ponto de saturação, ocorrem as precipitações, que podem se apresentar sob várias formas: chuva, neve e granizo. São as chamadas precipitações não superficiais, pois a condensação acontece nas camadas mais elevadas da atmosfera. Quando a condensação ocorre na superfície, formam-se o orvalho, a geada e o nevoeiro, que, por isso, são considerados condensações superficiais, e não propriamente precipitações.
  • Pressão atmosférica: corresponde à força exercida pela coluna de ar sobre uma determina superfície, é expressa em milibares (mb). Nas áreas de maior temperatura, menor é a pressão, pois as moléculas de ar estão agitadas e afastadas. O vento é simplesmente o ar em deslocamento e ele sempre se mova das áreas de alta pressão, para as de baixa pressão.

Fatores climáticos

Os fatores climáticos são aspectos que determinam e alteram os elementos do clima. São eles que explicam as diferentes condições climáticas dos lugares, inclusive daqueles relativamente próximos.

Latitude: As diferenças de latitude ou de localização das zonas climáticas podem alterar tanto a temperatura como a pressão atmosférica. Menor latitude = maior temperatura/menor pressão. Ex.: Zona Equatorial. Maior latitude = menor temperatura/maior pressão. Ex.: Zona Polar.

Altitude: quanto maior é altitude menor é a temperatura.
 

Maritimidade e Continentalidade: Os corpos hídricos (grande volume de água) são um importante regulador do clima, principalmente, nas regiões litorâneas, e por isso o fenômeno é denominado maritimidade. Essas regiões apresentam menores amplitudes térmicas (diferença entre a máxima e a mínima), decorrente dos ventos úmidos oceânicos. As áreas situadas no interior dos continentes (continentalidade) e longe de grandes corpos hídricos apresentam maiores amplitudes térmicas essas características.

Disponível em: https://slideplayer.com.br/slide/12100585/

Massas de ar: Em função das diferenças de pressão atmosférica, ocorre a movimentação do ar. Quando esse movimento ocorre em blocos de ar com a mesma temperatura e umidade, formam-se as massas de ar, que transferem suas características para o clima dos locais por onde passam. Massas de ar frio e úmido, por exemplo, são responsáveis por diminuírem as temperaturas e aumentarem a umidade. Quando uma massa de ar frio se desloca sobre uma região com ar quente, forma-se uma frente fria, e quando uma massa de ar quente se desloca sobre uma região com ar frio, forma-se uma frente quente.

Disponível em: https://slideplayer.com.br/slide/1241995


Vegetação:
 Interfere no clima de várias formas diferentes. As principais delas são a contenção ou absorção dos raios solares, minimizando os seus efeitos, e a elevação da umidade por meio da evapotranspiração, o que ajuda a diminuir as temperaturas e elevar os índices de chuva. É aqui que a Amazônia possui grande importância na formação dos rios voadores.

Disponível em https://arvoresertecnologico.tumblr.com/


Relevo: 
Também influencia o clima quando as formações funcionam como obstáculo para as massas de ar, induzindo a precipitação em uma das vertentes (barlavento) e reduzindo a umidade na outra (sotavento). Pode contribuir para formação de desertos.

Disponível em: https://www.ige.unicamp.br/terraedidatica


Correntes marítimas: Apresentam condições específicas de temperatura, influenciando diretamente o clima. Em regiões de influência de correntes quentes ocorre mais evaporação induzindo maiores volumes de precipitação. Quando as correntes são mais frias, a umidade local diminui, influenciando na formação de áreas áridas ou semiáridas.

Massas de ar

As massas de ar possuem características próprias, como temperatura, umidade e pressão, de acordo com o local em que foram formadas. O deslocamento dessas massas ocorre devido à diferença de pressão e temperatura entre as regiões do globo. Essa interação atmosférica é um importante fator climático.

Áreas de alta temperatura formam centros de baixa pressão atmosférica (ciclonal), e áreas de baixa temperatura formam centros de alta pressão atmosférica (anticiclonal), condicionando os mecanismos de circulação atmosférica. Os ventos ocorrem pelo deslocamento de uma massa de ar de uma zona de alta para baixa pressão. As zonas de baixa pressão atmosférica são quentes e podem formar nuvens e chuva, enquanto as zonas de alta pressão, com ventos frios e densos, impendem a formação de precipitação, sendo associados a regiões mais secas.