Exercícios Resolvidos: Práticas da Cultura

17/07/2015 Leidiane Silva

Leia o resumo “O que é Cultura?” e resolva os exercícios abaixo.

1. (Enem 2013) O sociólogo espanhol Manuel Castells sustenta que “a comunicação de valores e a mobilização em torno do sentido são fundamentais. Os movimentos culturais (entendidos como movimentos que têm como objetivo defender ou propor modos próprios de vida e sentido) constroem-se em torno de sistemas de comunicação – essencialmente a internet e os meios de comunicação – porque esta é a principal via que esses movimentos encontram para chegar àquelas pessoas que podem eventualmente partilhar os seus valores, e a partir daqui atuar na consciência da sociedade no seu conjunto”.

(Disponível em: www.compolitica.org. Acesso em: 2 mar. 2012).

Em 2011, após uma forte mobilização popular via redes sociais, houve a queda do governo de Hosni Mubarak, no Egito. Esse evento ratifica o argumento de que

a) a internet atribui verdadeiros valores culturais aos seus usuários.
b) a consciência das sociedades foi estabelecida com o advento da internet.
c) a revolução tecnológica tem como principal objetivo a deposição de governantes antidemocráticos.
d) os recursos tecnológicos estão a serviço dos opressores e do fortalecimento de suas práticas políticas.
e) os sistemas de comunicação são mecanismos importantes de adesão e compartilhamento de valores sociais.

 

2. (Enem 2013) A recuperação da herança cultural africana deve levar em conta o que é próprio do processo cultural: seu movimento, pluralidade e complexidade. Não se trata, portanto, do resgate ingênuo do passado nem do seu cultivo nostálgico, mas de procurar perceber o próprio rosto cultural brasileiro. O que se quer é captar seu movimento para melhor compreendê-lo historicamente.

(MINAS GERAIS. Cadernos do Arquivo 1: Escravidão em Minas Gerais. Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro, 1988.)

Com base no texto, a análise de manifestações culturais de origem africana, como a capoeira ou o candomblé, deve considerar que elas

a) permanecem como reprodução dos valores e costumes africanos.
b) perderam a relação com o seu passado histórico.
c) derivam da interação entre valores africanos e a experiência histórica brasileira.
d) contribuem para o distanciamento cultural entre negros e brancos no Brasil atual.
e) demonstram a maior complexidade cultural dos africanos em relação aos europeus.

 

3. (Enem 2013) A África também já serviu como ponto de partida para comédias bem vulgares, mas de muito sucesso, como Um príncipe em Nova York e Ace Ventura: um maluco na África; em ambas, a África parece um lugar cheio de tribos doidas e rituais de desenho animado. A animação O rei Leão, da Disney, o mais bem-sucedido filme americano ambientado na África, não chegava a contar com elenco de seres humanos.

LEIBOWITZ, E. “Filmes de Hollywood sobre África ficam no clichê”. Disponível em: http://noticias.uol.com.br. Acesso em: 17 abr. 2010.

A produção cinematográfica referida no texto contribui para a constituição de uma memória sobre a África e seus habitantes. Essa memória enfatiza e negligencia, respectivamente, os seguintes aspectos do continente africano:

a) A história e a natureza.
b) O exotismo e as culturas.
c) A sociedade e a economia.
d) O comércio e o ambiente.
e) A diversidade e a política.

 

4. (Enem 2013) Própria dos festejos juninos, a quadrilha nasceu como dança aristocrática, oriunda dos salões franceses, depois difundida por toda a Europa.
No Brasil, foi introduzida como dança de salão e, por sua vez, apropriada e adaptada pelo gosto popular. Para sua ocorrência, é importante a presença de um mestre “marcante” ou “marcador”, pois é quem determina as figurações diversas que os dançadores desenvolvem. Observa-se a constância das seguintes marcações: “Tour”, “En avant”, “Chez des dames”, “Chez des chevaliê”, “Cestinha de flor”, “Balancê”, “Caminho da roça”, “Olha a chuva”, “Garranchê”, “Passeio”, “Coroa de flores”, “Coroa de espinhos” etc.
No Rio de Janeiro, em contexto urbano, apresenta transformações: surgem novas figurações, o francês aportuguesado inexiste, o uso de gravações substitui a música ao vivo, além do aspecto de competição, que sustenta os festivais de quadrilha, promovidos por órgãos de turismo.

CASCUDO, L. C. Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Melhoramentos, 1976.

As diversas formas de dança são demonstrações da diversidade cultural do nosso país. Entre elas, a quadrilha é considerada uma dança folclórica por

a) possuir como característica principal os atributos divinos e religiosos e, por isso, identificar uma nação ou região.
b) abordar as tradições e costumes de determinados povos ou regiões distintas de uma mesma nação.
c) apresentar cunho artístico e técnicas apuradas, sendo, também, considerada dança-espetáculo.
d) necessitar de vestuário específico para a sua prática, o qual define seu país de origem.
e) acontecer em salões e festas e ser influenciada por diversos gêneros musicais.

 

5. (Enem 2012) As mulheres quebradeiras de coco-babaçu dos Estados do Maranhão, Piauí, Pará e Tocantins, na sua grande maioria, vivem numa situação de exclusão e subalternidade. O termo quebradeira de coco assume o caráter de identidade coletiva na medida em que as mulheres que sobrevivem dessa atividade e reconhecem sua posição e condição desvalorizada pela lógica da dominação, se organizam em movimentos de resistência e de luta pela conquista da terra, pela libertação dos babaçuais, pela autonomia do processo produtivo. Passam a atribuir significados ao seu trabalho e as suas experiências, tendo como principal referência sua condição preexistente de acesso e uso dos recursos naturais.

ROCHA, M. R. T. A luta das mulheres quebradeiras de coco-babaçu, pela libertação do coco preso e pela posse da terra. In: Anais do VII Congresso Latino-Americano de Sociologia Rural, Quito, 2006 (adaptado).

A organização do movimento das quebradeiras de coco de babaçu é resultante da

a) constante violência nos babaçuais na confluência de terras maranhenses, piauienses, paraenses e tocantinenses, região com elevado índice de homicídios.
b) falta de identidade coletiva das trabalhadoras, migrantes das cidades e com pouco vínculo histórico com as áreas rurais do interior do Tocantins, Pará, Maranhão e Piauí.
c) escassez de água nas regiões de veredas, ambientes naturais dos babaçus, causada pela construção de açudes particulares, impedindo o amplo acesso público aos recursos hídricos.
d) progressiva devastação das matas dos cocais, em função do avanço da sojicultura nos chapadões do Meio-Norte brasileiro.
e) dificuldade imposta pelos fazendeiros e posseiros no acesso aos babaçuais localizados no interior de suas propriedades.

 

6. (Enem 2011) Um volume imenso de pesquisas tem sido produzido para tentar avaliar os efeitos dos programas de televisão. A maioria desses estudos diz respeito a crianças – o que é bastante compreensível pela quantidade de tempo que elas passam em frente ao aparelho e pelas possíveis implicações desse comportamento para a socialização. Dois dos tópicos mais pesquisados são o impacto da televisão no âmbito do crime e da violência e a natureza das notícias exibidas na televisão.

GIDDENS, A. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.

O texto indica que existe uma significava produção científica sobre os impactos socioculturais da televisão na vida do ser humano. E as crianças, em particular, são as mais vulneráveis a essas influências, porque

a) codificam informações transmitidas nos programas infantis por meio da observação.
b) adquirem conhecimentos variados que incentivam o processo de interação social.
c) interiorizam padrões de comportamento e papéis sociais com menor visão crítica.
d) observam formas de convivência social baseadas na tolerância e no respeito.
e) apreendem modelos de sociedade pautados na observância das leis.

 

 

GABARITO

1. E
Resolução passo-a-passo:
a) A internet não é um mecanismo de geração de cultura, mas de adesão.
b) A internet não gera a consciência social, mas serve como instrumento de divulgação de valores.
c) A revolução científica não tem por fim nenhum evento político, embora possa ajudar na deposição de governantes antidemocráticos.
d) A internet pode veicular todo tipo de informação, mas essa questão não trata do fortalecimento de governos opressores.
e) Todos os meios de comunicação são grandes ferramentas na veiculação e adesão de valores sociais.

2. C
Resolução passo-a-passo:
a) O texto deixa claro que não se trata de uma reprodução, mas da compreensão do processo histórico da cultura brasileira.
b) Elas estão diretamente ligadas ao seu passado, de modo que é importante conhecê-lo para melhor compreende-las.
c) Essas manifestações culturais são resultantes de elementos africanos misturados com elementos brasileiros, uma cultura híbrida.
d) Compreender essas manifestações favorece a integração interracial, uma vez que elas não são “coisas de negros”, mas de brasileiros.
e) Essa alternativa não possui nenhum nexo com a questão.

3.B
Resolução passo-a-passo:
a) De fato a história da África não é respeitada nesses filmes, mas a natureza recebe destaque.
b) O exotismo é o ponto mais presente nos filmes citados, mas as culturas não recebem o devido valor.
c) A sociedade não é dignamente representada nesses filmes, muito menos a economia.
d) O comércio não recebe destaque nos filmes citados, mas o ambiente sim.
e) Como a cultura africana costuma ser caricaturizada, não podemos dizer que a diversidade seja observada, mas a política recebe alguma atenção.

4. B
Resolução passo-a-passo:
a) Não existe um nexo necessário entre atributos religiosos ou divinos e cultura popular.
b) As quadrilhas são folclores justamente por pertencer a toda a cultura nacional.
c) Nem toda arte ou espetáculo é folclore.
d) O vestuário da quadrilha é uma mistura da simplicidade rural com a sofisticação francesa.
e) Não existe um nexo necessário entre essas características e o folclore.

5. E
Resolução passo-a-passo:
a) As quebradeiras de coco não têm relação com as taxas de homicídio da região.
b) Esse é o extremo oposto do movimento. Há coletividade e vínculo histórico sim.
c) A escassez de água pode prejudicar o trabalho das quebradeiras, não inspirar.
d) Essa alternativa não está incorreta, mas não é a causa do movimento.
e) As quebradeiras se uniram como forma de resistência aos fazendeiros e posseiros que impõem severas restrições a elas.

6. C
Resolução passo-a-passo:
a) As crianças não são capazes de fazer uma observação madura do conteúdo adquirido.
b) O conteúdo adquirido pode favorecer a integração social ou não.
c) As crianças não respondem por si e por isso não são capazes se criticar as informações recebidas.
d) Esse motivo não torna as crianças vulneráveis.
e) Esse motivo não torna as crianças vulneráveis.

Leidiane Silva

Leidiane Silva escreveu 9 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *