Modelo de Redação: Carta Argumentativa

08/09/2017 Larissa Coelho

Sabe aquele tema de redação que nós indicamos para você na Semana 44? Ele virou um modelo de redação aqui no blog, feito pela monitora Leidiane Oliveira. Assim, você pode se inspirar na carta argumentativa dela e comparar com a sua própria redação. Confira!

PRATIQUE ESSE TEMA EM UMA FOLHA DE REDAÇÃO LINDONA! <3

Mas, antes, assista o vídeo no qual o Professor Rafael Cunha explica tudo que você precisa saber sobre carta argumentativa.


Exemplo de carta argumentativa

Caro Deputado Alcides Amaral,

Venho, por meio desta missiva, solicitar sua atenção para alguma das questões mais importantes da sociedade brasileira. Aliás, não se assuste o senhor se, nas próximas linhas, eu falar com tanta propriedade e firmeza dos problemas nacionais. Há uma razão bastante objetiva que me permite fazê-lo: eu sou uma mulher do futuro. Sim, não se assuste vossa excelência: eu sou uma mulher do futuro. De fato, creia ou senhor ou não, em 2058 os cientistas franceses irão construir as primeiras máquinas do tempo. Tais máquinas, são incapazes de transportar pessoas. No entanto, são profundamente eficientes no envio de objetos inanimados a períodos passados e futuros. Aliás, foi precisamente assim que eu, membro-fundadora da Sociedade Crononáutica Brasileira, enviei-lhe esta carta.  Segundo informa meu dróide observador de tempos passados, ela chegou a sua casa às 7h05min da manhã de 10/11/2015.

Pois bem, mas por que envio eu, uma mulher do futuro, esta carta ao deputado brasileiro mais influente de 2015? Bem, minhas razões são claras e objetivas. Em seu tempo, Deputado Alcides, têm sido travadas algumas das lutas políticas mais relevantes da história da sociedade brasileira. Tais lutas, muitas vezes ocultas por sob as polêmicas inócuas que alimentam a mídia e as redes sociais, irão repercutir, no futuro, de maneira absolutamente decisiva e desastrosa nos rumos de nosso país.


Enem Power R$ 19,90

Refiro-me aqui, em particular, ao futuro da cultura popular. De fato, vossa época, nobre deputado, é o período dos últimos resquícios daquilo que o grande Ariano Suassuna chamava de “Brasil profundo”. Em suma, vosso tempo é aquele em que ainda resta algo das músicas populares passadas de pai para filho, do velho folclore interiorano, dos costumes regionais de antiquíssima tradição. A velha alma brasileira, fruto de uma secular interação entre povos de continentes distintos, tão rica e diversa, verdadeira síntese de contrários, está, em sua época, prestes a falecer.

Com efeito, na medida em que se iniciou o processo de globalização, as antigas fronteiras nacionais enfraqueceram-se e a rica diversidade cultural existente no planeta deu lugar a um lento e gradual, mas contínuo e intenso processo de homogeneização das práticas culturais. Hábitos e valores multisseculares, vistos desde sempre como o apanágio de povos específicos, como elementos constituintes de sua própria identidade, se viram pouco a pouco escanteados em nomes de atitudes e práticas de consumo disseminadas pela mídia e pela propaganda. As grandes marcas multinacionais, com seus tentáculos de alcance irrestrito, destruíram progressivamente as culturas locais. E a indústria cultural, tão pronta a transformar arte em mercadoria, massificou os gostos estéticos, gerando artistas de sucesso mundial e rendimentos bilionários. Ao mesmo tempo, retirou a identificação que havia entre povo e arte, de índole tradicional, espontaneamente gerada por ele.

Como disse, esse processo, em vosso tempo, Deputado Alcides, encontra-se quase triunfante, mas ainda em possibilidade de reversão. E é por isso que lhe escrevo esta carta. Não permita que o Brasil se torne aquilo que ele será em 2080: uma pátria oca, genérica, sem identidade. Não permita que morra a brasilidade, o nosso senso do que somos e do que nos faz singulares. Se o poder público, em seu tempo, tomar decisões adequadas e o Congresso aprovar leis que tornem eficaz a proteção às manifestações de nosso patrimônio histórico e social, ainda haverá esperança. Como sei que o senhor é sensível a este tema, além de ser homem reto e atuante, me pareceu por bem enviá-lo está carta. Conto com o senhor – e os seus bisnetos também.

Atenciosamente,

LO.


Você já escreveu a sua carta argumentativa? Então, treine outros temas de redação e esteja preparado para o Enem!

Larissa Coelho

Larissa Coelho escreveu 1988 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *