Exercícios Resolvidos: Os erros mais comuns na redação ENEM

23/08/2016 Camila Paula

Leia o resumo Os erros mais comuns na redação ENEM e resolva os exercícios abaixo.

1. (FUVEST) Indique a forma que não será utilizada para completar a frase seguinte:

“Maria pediu ____ psicóloga que ____ ajudasse ____ resolver o problema que ___ muito ____ afligia.”

a) preposição (a)
b) pronome pessoal feminino (a)
c) contração da preposição a e do artigo feminino a (à)
d) verbo haver indicando tempo (há)
e) artigo feminino (a)

 

2.

redacao enem
Na tirinha de Jim Davis, Garfield, o verbo “ter” foi empregado de maneira coloquial, substituindo assim o verbo “haver”.Analisando o emprego do verbo “ter” na tirinha de Garfield, observe as proposições e assinale aquelas que estão corretas.

I. Na modalidade oral e na modalidade escrita, não é permitida a substituição do verbo “haver” pelo verbo “ter”, quando o sentido expresso for “existir”.

II. Quando o sentido for “existir”, prefira o verbo “haver”, sobretudo na norma culta.

III. “Haver” e “a ver” são termos semelhantes e podem ser empregados nas mesmas situações linguísticas.

IV. Reescrevendo as frases, teríamos, sem prejuízo na significação: “Eu sei onde há doces” ou “Eu sei onde existem doces”.

a) II e IV.

b) I, III e IV.

c) I, II e IV.

d) todas as proposições estão corretas.

 

3. Empregue corretamente os termos “mas” e “mais”.

I. Eles estavam felizes, _____ a chuva atrapalhou a cerimônia de casamento ao ar livre.

II. Eles estavam ______ felizes do que antes, embora a chuva tenha atrapalhado a cerimônia.

III. Eles se encontrariam ______ vezes, ______ Eduardo precisou partir

IV. Nós gostaríamos de voltar aqui ______ vezes, se você permitir

V. Tentei chegar na hora, ______ me atrasei.

a) mas – mas – mais – mas – mas – mais

b) mas – mais – mais – mas – mais – mas

c) mais – mais – mas – mais – mas – mas

d) mas – mais – mais – mais – mais – mas

 

GABARITO

1. Gabarito: E

Devemos completar a primeira lacuna com um a craseado, já que a preposição a é requerida, seguida do artigo a (a + a = à). A alternativa C, então, está incorreta.

Para completar a segunda e a terceira lacuna, devemos analisar a regência do verbo ajudar. Nesse caso, o verbo “ajudar” é um Verbo Transitivo Direto e Indireto (VTDI), já que ele está exigindo um objeto não preposicionado e, ao mesmo tempo, um objeto preposicionado (Ajudar alguém a fazer alguma coisa).

Pelo contexto, na segunda lacuna, é exigido um objeto direto (ajudar alguém) que, nesse caso, deve ser expresso por um pronome pessoal do caso oblíquo feminino, com função de objeto direto (a). Na terceira lacuna, porém, é exigida uma preposição que introduza o objeto indireto (ajudar a fazer alguma coisa = ajudar a resolver o problema). Com isso, então, as alternativas B e A, respectivamente, devem ser descartadas.

Na quarta lacuna, é exigida uma expressão que indique tempo decorrido. A palavra se encaixa perfeitamente nesse caso. (Há muito afligia = há muito tempo afligia). A alternativa D, então, está incorreta.

A situação da quinta lacuna é a mesma situação que encontramos na segunda, em que o verbo exige um objeto direto, expresso por um pronome pessoal do caso oblíquo feminino, com função de objeto direto (a)

 

2. Gabarito: A

Vamos analisar cada uma dessas afirmativas?

I. Essa afirmativa é FALSA, já que apenas na modalidade escrita a substituição do verbo “haver” pelo verbo “ter”, no sentido de “existir”, não é bem vista. Na modalidade oral, isso é bastante comum e acontece sem restrições. Podemos, já nessa analise, considerar que a alternativa A é a resposta da questão, já que ela é a única que não oferece a afirmativa I como correta. Mas vamos seguir adiante.

II. Na norma culta, o uso do verbo “haver” sempre vai ser altamente recomendável quando o significado for o mesmo do verbo “existir”. Temos, na II, uma alternativa CORRETA.

III. Esta alternativa não é somente falsa. É muito FALSA. Falsa mesmo. Falsa à beça. Lembra-se do 3º item do resumo? Vamos refrescar sua memória: “Haver é um verbo, sinônimo de “existir”. A ver é uma expressão formada pela preposição a e pelo verbo ver, normalmente associada ao verbo ter”. Bem, com isso sabemos por que motivo a III é falsa. Esses termos devem ser utilizados em situações linguísticas distintas.

IV. Temos, na IV, uma afirmação correta, já que, nesse caso haver, ter e existir tem o mesmo significado.

 

3. Gabarito: B

Aqui, no 7º item, você encontra a explicação com exemplos das situações comunicativas em que devemos usar o mas ou o mais. Mas a gente adianta a explicação pra você ficar por dentro da resolução dessa questão: “Mas” indica adversidade, contraste, oposição. É o mesmo que “porém”. “Mais” indica adição.

Vamos ver item por item?

I. As duas orações estão, entre si, estabelecendo uma relação de oposição, pedindo uma conjunção adversativa. (mas)

II. Nessa oração, a palavra que deve ser empregada é “mais”, já que o contexto exige a atribuição de grau a um adjetivo. Tendo como opção as palavras “mais” e “mas”, a única que cumpre essa função é a primeira. (mais)

III. Pelo contexto, na primeira lacuna, poderíamos empregar a palavra “outras”, que pode ser substituída por “mais”. Na segunda lacuna, uma conjunção com valor adversativo é requerida, já que as orações estabelecem entre si uma relação de oposição. (mais/mas)

IV. Nessa oração, o contexto também pede a palavra outras, como no caso do item anterior. Então, a palavra “mais” é a adequada. (mais)

V. Há, expressa nessas orações, uma oposição/adversidade. Então, o emprego mais adequado é o de “mas”. (mas)

Camila Paula

Camila Paula escreveu 2655 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *