12 filmes para aprender Derivação e Composição de vez!

16/09/2016 Má Dias

Fala, vestibulando! Tudo certo? Esperamos que sim! Mas se você chegou até esse post deve ser porque está com algumas dúvidas em Português, né? Seus problemas acabaram porque trouxemos a explicação definitiva para você nunca mais confundir os processos de Derivação e Composição nas formação de palavras. As derivações são subdivididas em: Prefixal, Sufixal, Prefixal e Sufixal, Parassintética, Regressiva e Imprópria. As composições subdividem-se em: Justaposição, Aglutinação, Redução, Hibridismo, Onomatopeia e Siglonimização. Muita informação de vez? Confira os filmes abaixo para entender na prática como cada um dessas formações funciona:

ORGANIZE ESSE CONTEÚDO EM UMA FOLHA DE RESUMO PARA FACILITAR SEU ESTUDO 😉 

1.Derivação Prefixal  ou “Atividade Paranormal”

Filme de 2007, com Micah Sloat e Katie Feartheston. Filme rodado no estilo pseudodocumentário. Katie e seu namorado Micah vivem em uma casa de dois andares onde acontecem diversos fatos estranhos. Katie afirma que uma presença demoníaca a persegue desde a infância.

A palavra “paranormal” é formada a partir do substantivo “normal” acrescido do prefixo “para” com o significado de “contra”.

Cena de “Atividade Paranormal”

2.Derivação Sufixal  ou “Aprendiz de Feiticeiro”

Filme de 2010, com Nicolas Cage e Alfred Molina. A palavra “feiticeiro” vem de “feitiço”, com o acréscimo do sufixo “-eiro”, formador de substantivos relacionados à profissão ou ocupação.

Cena de “Aprendiz de Feiticeiro”

3. Derivação Prefixal e Sufixal ou “A Invocação do Mal”

Filme de 2013, com Vera Farmiga e Patrick Wilson. Dois investigadores paranormais são contratados para tratar de fenômenos sobrenaturais que assombram a família Perron.

A palavra “invocação” tem como radical a palavra “voz”, oriunda do latim “vox” e geradora da palavra latina “vocare” que significa chamar. A partir daí temos “invocar” e “vocação”, a primeira formada por derivação prefixal e a segunda por derivação sufixal. Sendo independentes um afixo de outro, chamamos essa derivação de Prefixal e Sufixal.

Cena de “A invocação do Mal”

4. Derivação Parassintética ou “Curtindo a Vida Adoidado”

Filme de 1986. Com Mathew Broderick e Charlie Sheen. É possível que os mais novos nunca tenham escutado falar, mas foi “febre” na década de 90. Ferris Bueller finge estar doente para não ir à escola e junta-se a sua namorada e um amigo para “curtir a vida adoidado” enquanto sua irmã tenta desmascará-lo e o diretor do colégio tenta pegá-lo.

A palavra “adoidado” vem da palavra “doido”, porém, não existe a palavra “adoido”, tampouco a palavra “doidado”, sendo assim, os afixos dependem um do outro para formarem a palavra. O que constitui a parassíntese.

Cena de “Curtindo a Vida Adoidado” – Ferris Bueller cantando “Twist and Shout” na rua.

5. Derivação Regressiva ou “À Espera de um Milagre”

Filme de 1999, com Tom Hanks e Michael Clarke Duncan. O filme conta a história de Paul (Tom Hanks) e sua vida como agente penitenciário do corredor da morte durante a Grande Depressão e os eventos sobrenaturais por ele presenciados.

O substantivo “espera” deriva do verbo “esperar”, que por sofrer a queda da letra “r” para a formação do substantivo, sofre regressão.

Cena de “À Espera de um Milagre”

6. Derivação Imprópria  ou “Anjos da Noite 4 – O Despertar”

Filme de 2012 – Com Kate Beckinsale e Stephen Rea – Selene (Backinsale) acorda de um coma em que era mantida depois de 12 anos. Descobre que tem uma filha de 14 anos, metade vampira, metade lobisomem e precisa impedir que sejam criados lobisomens modificados que poderão matar todo o mundo. (tenso!)

“Despertar” é um verbo que foi transformado em substantivo no subtítulo, o que caracteriza a derivação imprópria.

Cena de “Anjos da Noite 4 – O despertar”

7. Composição por Justaposição ou “O Espetacular Homem-Aranha”

Filme de 2012, com Andrew Garfield e Emma Stone. O filme trata do jovem Peter Parker enquanto desenvolve seus poderes na escola e tenta desvendar a verdade sobre seus pais.

A palavra “homem-aranha” é uma palavra composta por justaposição, uma vez que não sofre perda de letras na sua composição.

Cena de “O Espetacular Homem-Aranha”

8. Composição por Aglutinação ou “Piranhaconda”

Filme de 2012, com Michael Madsen e Rachel Hunter. É sério, o filme existe! Uma criatura híbrida, metade piranha, metade anaconda, ataca uma equipe de filmagem em um local perto de seu ninho, quando um ovo é roubado.

Apesar da criatura ser híbrida por ser mistura de duas espécies diferentes, seu nome é composto por aglutinação de “piranha+anaconda”, sofrendo a perda da partícula “ana”.

 

Cena do filme "Piranhaconda".

Cena do filme “Piranhaconda”

9. Composição por Redução ou “O Sequestro do Metrô 123”

Filme de 2009, com Denzel Washington e John Travolta. Um controlador de tráfego do metrô de Nova Iorque tem seu dia transformado em caos por causa do sequestro de um dos carros do metrô.

A palavra “metrô” vem de “transporte metroviário” que sofreu redução.

John Travolta em cena do filme "Sequestro do Metro 123"

John Travolta em cena do filme “Sequestro do Metrô 123”

10. Hibridismo ou “Diários de Motocicleta”

Filme de 2004, com Gael García Bernal e Rodrigo de La Serna. O filme trata da viagem e do livro de memórias escrito por Ernesto Che Guevara.

A palavra “motocicleta” é a junção da palavra “motor”, proveniente do latim e da palavra “cyclos”, rodas em francês que, no diminutivo, fica “cyclettes”. A essa junção de palavras de línguas diferentes formando uma única palavra em português, dá-se o nome de Composição por Hibridismo.

Cena de “Diários de Motocicleta”

11. Onomatopeia ou “Crash – No Limite”

Filme de 2005, com Sandra Bullock e Matt Damon. Fala de preconceitos em vários segmentos e trata de questões raciais e sociais em Los Angeles.

Apesar de “crash” ter seu significado em inglês: colisão, não foi modificado em português por poder assumir o mesmo papel de um substantivo que quebre e que emita algum tipo de som parecido a este no momento que quebra. A onomatopeia pode ser verificada em quadrinhos quando existe algum tipo de batida de carros ou coisa parecida.

Sandra Bullock em cena do filme "Crash - No Limite"

Sandra Bullock em cena do filme “Crash – No Limite”

12. Siglonimização ou “A História do FBI”

Filme de 1959, com James Stewart. O filme conta a história do FBI desde que a agência funcionava em uma pequena sala.

“FBI” é a sigla que representa “Federal Bureau of Investigation”. Uma vez que coloca-se um artigo (de+o) antes da sigla, transforma-se o mesmo em substantivo e a esse fenômeno damos o nome de siglonimização.

James Stewart em cena do filme "A Historia do FBI".

James Stewart em cena do filme “A História do FBI”

E aí, curtiu? Você consegue dar mais exemplos de nomes de filmes que possuem algum desses recursos de formação de palavras? Não deixe de estudar também o resumo e as questões comentadas sobre o assunto, ok? Deixe o nome nos comentários e vamos juntos conquistar aquela vaga na faculdade! 🙂

Má Dias

Má Dias escreveu 1605 artigos

Deixe o seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *