• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Como Planejar a Reabertura no Retorno das Aulas Presenciais?

Desde a aprovação do PL 5529/20 na Câmara, o debate sobre a transformação da educação básica em serviço essencial se intensificou. Uma vez decretada a essencialidade, dificilmente voltaremos ao ensino remoto da forma como vimos ao longo da pandemia. Com isso, o retorno das aulas presenciais é iminente, mas demanda cuidados rigorosos. Já falamos sobre questões regulatórias e sanitárias em artigo anterior. Agora, vamos abordar como planejar a reabertura da sua escola.

Para alcançar um melhor entendimento sobre o tema, neste artigo, nós do Descomplica pra Escolas vamos falar sobre:

  1. Avaliação Diagnóstica da Defasagem de Aprendizado
  2. Planejamento de Conteúdo Escolar
  3. Plano de Contingência para Retorno ao Ensino Remoto
  4. Cuidados com a Comunidade Escolar

Avaliação Diagnóstica da Defasagem de Aprendizado

Certamente não foi só na sua escola: devido à pandemia, todo o sistema de ensino vem experimentando uma enorme defasagem de aprendizagem, que pode ter sido agravada pelas orientações de flexibilização da aprovação escolar. Por exemplo, no caso da rede pública do Governo de SP, estima-se que serão necessários até 11 anos para recuperar o aprendizado em português e matemática na educação básica¹. Sabemos bem que nem só de notas de 0 a 10 se faz o aprendizado dos alunos. Portanto, tem sido importante fazer deste ciclo 2020-2021 uma progressão continuada, ao invés de uma aprovação automática.

Quando pensamos em como planejar a reabertura e em sanar as deficiências de 2020 para colocar essa progressão em prática, é essencial o uso de dados para estruturar um plano de recuperação que identifique os conteúdos nos quais os estudantes enfrentam maior dificuldade. Essa análise pode ser feita através de listas digitais de exercícios com correção automática em que se verificam as prioridades de estudo através dos erros e acertos de cada turma e aluno. Assim, é possível focar nas dúvidas e implementar aulas de reforço escolar no contraturno aliadas a um planejamento de atividades complementares no Ensino Híbrido. A partir desse diagnóstico, é possível fazer um planejamento de conteúdo eficaz, capaz de diminuir essa defasagem da aprendizagem.

Planejamento de Conteúdo Escolar na Reabertura

Sim, a elaboração do planejamento de conteúdo escolar é responsabilidade dos professores de cada disciplina, mas é natural que retornem ao presencial com muitas incertezas e inseguranças. Nesse sentido, é importante que a gestão escolar apresente ou reestruture o planejamento contingencial levando em conta as diretrizes curriculares da BNCC e o calendário de datas escolares. Além de decidir ou não pela aplicação de aulas aos sábados conforme orientação do CNE.

O portal Nova Escola elenca as características de um bom planejamento escolar², que auxiliam em como planejar a reabertura:

  • Ter o foco na aprendizagem de todos, operacionalizando os conteúdos fundamentais;
  • Ser o produto de uma discussão que envolva toda a comunidade escolar;
  • Ter o desempenho constantemente monitorado, com abertura para redirecionamentos;
  • Conter princípios pedagógicos que correspondam ao contexto e à prática dos professores;
  • Prever tempo para a formação docente e para reuniões pedagógicas.

É relevante ter em mente que nenhum planejamento é perfeito, ainda mais quando lidamos com tempos tão instáveis. Assim, é imprescindível não perder o foco na resiliência exigida para encarar a possível necessidade de se manter um continuum do conteúdo até 2022. Esse cenário desenha-se como muito provável e pode ser melhor enfrentado com a utilização de bibliotecas estruturadas e confiáveis de conteúdo educacional digital.

Assine nossa Newsletter para ficar por dentro e acompanhar as mudanças na Educação no contexto da pandemia!

Plano de Contingência para o Ensino Remoto

No caso de agravo da pandemia e consequente retorno ao remoto, as escolas que tiverem implementado o uso de recursos digitais, aproveitando o momento presencial para reforçar o ensino híbrido, terão mais facilidade para manter os alunos engajados mesmo no Ensino Não Presencial. A parceria com o Descomplica pra Escolas permite à sua Instituição usufruir do Ecossistema de Recursos Pedagógicos Digitais do Descomplica, que vai auxiliar não só no diagnóstico e na reposição de conteúdo, mas também na transição para o ensino emergencial de forma mais suave do que no ano passado.

Leia também: Como preparar e dar aulas online mantendo o foco dos alunos

A gestão escolar deve ter em mente que o Ensino Remoto/Emergencial pode voltar a qualquer momento. Dentro de um planejamento que preveja a necessidade dessa flexibilização, é necessário um plano de comunicação com pais e alunos que englobe ferramentas e canais digitais (site, e-mail, aplicativos de mensagem, sistemas de gestão, redes sociais, etc) e esteja preparado para um diálogo, ou seja, um entendimento aprofundado dos traumas que tenham sido experimentados pela comunidade escolar ao longo da pandemia.

Cuidados com a Comunidade Escolar na Reabertura

Planejar é também levar em conta a necessidade de acolhimento socioemocional, sobretudo no presencial, em que há maior transferência de informações no relacionamento entre professor e estudante. Daí a importância de se ouvir a comunidade escolar de modos: 1) antecipado, entrando em contato com educadores, responsáveis e alunos; 2) presente, estimulando dinâmicas para fortalecer o vínculo e a empatia. São questões difíceis que vamos abordar no nosso próximo artigo.

O Retorno das Aulas Presenciais demanda uma conversa contínua e, por isso mesmo, este artigo não teve a pretensão de ser definitivo, mas sim parte de uma série de conteúdos que se destinam a abordar e tratar cada um dos seus aspectos. Para aprofundar o assunto de como planejar a reabertura, promovemos um debate:

Referências

¹ G1: SP estima de 1 a 11 anos o tempo para recuperar aprendizagem de língua portuguesa e matemática perdida por alunos na pandemia
² Nova Escola: Planejamento: momento de repensar a escola