• Aumentar Fonte
  • Diminuir Fonte
  • Trocar contraste

Variação da Força de Atrito

E aí, pessoal?  Tudo certo?

Depois do post sobre Força de Atrito, surgiram alguns pedidos para explicar melhor sobre variação de atrito e atrito estático máximo… Então, vamos ao trabalho!
Relembrando:
fe – Atrito estático.
fc – Atrito cinético.

Quando começamos a aplicar força em um objeto, a força de atrito imediatamente se manifesta, de acordo com a figura abaixo.

Considerando que a força aplicada começa do 0 e vai aumentando aos poucos, podemos estudar o comportamento da força de atrito com relação ao tempo. A variação do atrito pode ser dividida em três momentos:
1 – Variação do atrito estático.
A força de atrito estático (fe) é sempre igual à força aplicada (F). Logo, fe aumenta de acordo com o aumento de F até o limite (fe máximo).
2 – Atrito estático máximo.
Todo conjunto de objetos tem uma força de atrito estático máximo, que chamaremos de fem, e é calculado pela fórmula vista no post anterior. Quando F se iguala à fem, dizemos que o objeto está em iminência de movimento, ou seja, está prestes a se movimentar. Para que o objeto se mova, basta que F aumente.
3 – Atrito cinético.
Caso F aumente e ultrapasse a fem, o objeto entra em movimento e o atrito passa a ser cinético. A força de atrito cinético (fc) é constante, isto é, se F aumenta, fc não se modifica.

Para ilustrar melhor a variação da força de atrito, utilizamos o gráfico abaixo.

Tudo certo, pessoal?

Na próxima, postarei alguns exercícios resolvidos para tirarmos as dúvidas sobre atrito. Podem dar sugestões, sugerir posts e expor dúvidas!

Abraços!